A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019

19/10/2019 08:38

Grupo usava dados reais para falsificar RG e aplicar golpe contra comércio

Vendedor fez checagem dos dados e encontrou documento em nome de outra pessoa, denunciando à polícia; 3 foram presos

Silvia Frias e Clayton Neves
Delegado Rodrigo Camapum registrou o caso como estelionato e falsificação de documento (Foto: Kisie Ainoã)Delegado Rodrigo Camapum registrou o caso como estelionato e falsificação de documento (Foto: Kisie Ainoã)

Três pessoas foram presas depois que tentaram aplicar golpe na compra de bicicleta elétrica com RG falsificado. Eles usavam base de dados verídicos e imprimiam os documentos com a foto dos comparsas.

O flagrante aconteceu ontem, por volta das 17h, depois que o caso foi denunciado quando uma mulher foi tentar comprar bicicleta em uma loja na Avenida Júlio de Castilho.

Previamente, o cadastro foi aprovado pelo banco para financiamento, sendo a negociação em 36 parcelas no valor de R$ 245,00, totalizando R$ 8.820,00.

Por conta de prejuízos ocorridos na loja em outras ocasiões, o vendedor resolveu consultar o sistema (e-título) e descobriu que a foto do documento digital não conferia com a pessoa que estava na loja. O vendedor negou a venda, comunicou o caso à polícia e relatou os dados da ficha cadastral.

Os dados cadastrais estavam em nome de outra mulher, que foi até a polícia e disse desconhecer todas as  informações contidas na ficha feita pela estelionatária na loja, como endereço, no Jardim Seminário e as pessoas listadas como referência.

A equipe do GOI (Grupo de Operações e Investigações) foi até o endereço, na Avenida Prefeito Heráclito Diniz de Figueiredo, Bairro São Francisco, e encontrou a jovem que se passou por compradora na loja de bicicletas, identificada como Gueisa.

Ela confessou que foi recrutada por amigo identificado como Leonardo e tentou fazer outras duas compras em lojas de shopping, mas o pedido foi recusado pelas empresas. No celular dela, foram encontradas mensagens evidenciado que Leonardo seria responsável pela falsificação.

O rapaz foi localizado em casa, no Jardim Los Angeles. Ele disse que as falsificações estavam com outro comparsa, identificado como Rafael, residente no bairro Buriti.

Na casa dele, os policiais apreenderam celulares, impressora, dois pendrives contendo arquivos e programas utilizados para falsificações, dois computadores portáteis, duas cédulas de RG, documento falso, soprador térico e máquina micro retífica.

O boletim de ocorrência registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da região central foi registrado como associação criminosa, estelionato e falsificação de documento público. A polícia ainda apura como conseguiram acesso à base de dados veríficas. O delegado Rodrigo Campaum arbitrou fiança, não divulgada, mas os três seguiam na delegacia até o fechamento desta reportagem.

Segundo caso - Também ontem, homem de 28 anos foi preso com uma impressora e banco de dados para falsificação de documentos. O rapaz foi flagrado no final da tarde, no Bairro Rita Vieira. De acordo com a polícia, o falsificador recrutava laranjas e pagava cerca de R$ 500,00 por RG.

 

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions