A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

03/04/2015 09:48

Guardas municipais agrediram jovem em confusão no Centro, diz PM

Liana Feitosa e Caroline Maldonado
Vítima foi encontrada pela PM caída a 100 metros de posto da Guarda Municipal. (Foto: Caroline Maldonado)Vítima foi encontrada pela PM caída a 100 metros de posto da Guarda Municipal. (Foto: Caroline Maldonado)

Jovem agredido no final da madrugada desta sexta-feira (3) já reconheceu os autores, segundo o policial militar Edmar Soares, presidente da Associação de Cabos e Soldados da PM.

De acordo com Soares, a vítima afirmou que dois guardas municipais o agrediram e quem não soube diferenciar as fardas, da PM e GM, foi uma testemunha, que viu a vítima no solo e acionou a PM.

Indícios - Ainda de acordo com Soares, o caso será comunicado ao Ministério Público. "Tudo indica que a agressão realmente partiu dos guardas municipais. A vítima foi encontrada no chão, sozinha, pela PM a cerca de 100 metros de uma base da Guarda, na antiga rodoviária de Campo Grande", explica Soares.

Ele alega que o caso indica a necessidade urgente de haver distinção entre as fardas da PM e da Guarda Municipal. "A Associação vai encaminhar, o mais rápido possível, pedido à Secretaria Municipal de Segurança Pública para que os uniformes sejam mudados, até mesmo por causa de confusões como essas", adianta.

Confusão - No episódio desta manhã, ao chegarem no local, PMs procuraram os acusados. De acordo com um policial que não quis se identificar, foi dada voz de prisão aos guardas municipais, o que gerou confusão.

"A PM, então, pediu apoio do Batalhão de Choque, que se dirigiu ao local. O Choque orientou os guardas para que fossem à delegacia prestar esclarecimentos", conta.

Conforme Soares, a PM e o Choque tiveram dificuldades para convencer os guardas a se dirigirem à delegacia. "Depois de muita conversa, alguns se deslocaram à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, onde aguardam para serem ouvidos pelo delegado", afirma Soares.

Abuso de autoridade - Segundo o advogado Laudo César Pereira, da Associação de Cabos e Soldados da PM, a vítima não tem passagens pela polícia. "Uma situação como essa está fugindo da obrigação da Guarda, que é proteger o patrimônio público. Isso é abuso de autoridade", classifica.

Questionado acerca das informações dadas pela PM, o chefe de Divisão de Operação da Guarda Municipal, Jair Viana, reiterou que o órgão aguarda mais esclarecimentos. "Vai ser apurado se houve algo. A Guarda ainda não sabe o que aconteceu e está aguardando o caso ser registrado na delegacia", finalizou.

A vítima também está na delegacia e ainda reclama de fortes dores. Foi solicitado exame de raio-x no CRS (Centro Regional de Saúde) Guanandi, a suspeita é de fratura na costela.



ELES (GUARDAS MUNICIPAIS) SE ACHAM 'AUTORIDADES' E QUEREM SER POLICIAIS! QUE VÃO TOMAR AULAS DE RESPEITO À POPULAÇÃO E APRENDAM A SE CONTROLAR PARA EVITAREM FICAR AGREDINDO PESSOAS DE BEM!!
 
Antenor em 04/04/2015 08:09:30
O que era para auxiliar a policia esta causando desordem, bando de guardas sem estudo, querendo armas?? Mudanca na cor da farda ja. Senao algum pm tera que responder pelo despreparo destes segurancas de patrimonio publico. Fardamento verde ou vermelho para esses analfabetos. Se quiserem virarem policia, faça concurso pra policia
 
abdalla em 03/04/2015 10:37:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions