A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

28/08/2013 17:37

Herdeiro destrói 6 casas em ação de despejo com as "próprias mãos"

Bruno Chaves e Lidiane Kober
Ao todo, comerciante que se diz dono de terrenos destruiu seis casas (Foto: Cleber Gellio)Ao todo, comerciante que se diz dono de terrenos destruiu seis casas (Foto: Cleber Gellio)

Herdeiro de terrenos, o comerciante Gilmar Gobbi decidiu fazer “Justiça” com as próprias mãos e, em um ataque de fúria, pegou uma pá-carregadeira e destruiu seis casas de invasores de lotes no Bairro Nossa Senhora Aparecida, na região da Vila Nasser, em Campo Grande. Ele surpreendeu as famílias na tarde de hoje (28) ao promover a desocupação por conta própria. Ninguém ficou ferido.

Mais de 300 famílias foram surpreendidas pelo trator, que avançou e destruiu casas em diversas ruas. Os moradores ficaram desesperados e atribuíram o ataque ao comerciante, que se declara herdeiro dos terrenos.

Segundo a dona de casa Kellen Cristina da Silva Lopes, 19 anos, essa é a terceira vez que Gilmar ataca as residências. “Ele diz que essa área é dele, que é herança de família. Ele vive passando aqui de noite, ameaçando as famílias e dando tiros de revólver para cima”, afirmou. O ataque de hoje causou pânico entre os moradores.

Após a demolição, o cenário era de destruição. Muitas pessoas estavam chorando, desesperadas e pedindo socorro. Depois da sequência de destruição, Gilmar parou em uma casa onde estava a cozinheira Jurema Andrade Moreira, de 42 anos. A mulher estava deitada no quarto, pois está doente e tinha acabado de chegar do hospital.

Na mesma casa, estava Maíra Motta, 23 anos, grávida de sete meses. A moça contou que começou a chorar de desespero quando viu toda a destruição e diante da ameaça de perder seu canto. “O cara só parou porque os vizinhos começaram a apedrejar ele”, lembrou. Maíra também estava acompanhada do filho de três anos.

A Polícia Militar chegou no momento em que Gilmar era atacado a pedras pelos moradores. Testemunhas afirmaram que o comerciante contratou um motorista com pá-escavadeira. Gilmar estaria em cima do trator, acompanhado do motorista. Além da pá-carregadeira, outros três carros com seguranças acompanhavam Gilmar.

O pedreiro Eser Soares Ferreira, de 42 anos, teve a casa destruída. Ele falou que perdeu fogão, TV, cama, material de construção e outros objetos. Ele, a esposa, e dois filhos, um de sete anos e outro de 12, moravam no local há quase um ano. As crianças estavam na escola no momento do ataque. A casa da família foi completamente destruída.

“Não tenho nem R$ 1 no bolso para começar a levantar a casa de novo. Não sei o que fazer, estou desesperado”, se lamentou, dizendo que vai se acomodar na casa dos vizinhos enquanto decide o que fazer da vida.

De acordo com o advogado que representa as famílias moradoras da área, Euder Barcelos, a posse do terreno está em litígio e Gilmar não tem liminar para conseguir o lugar.

Euder disse que os atingidos irão entrar na Justiça com denúncias de invasão de domicílio, ameaça e porte de arma, já que testemunhas afirmam que Gilmar usava um revólver. “Ele vai ter que, pelo menos, indenizar essas famílias”, afirmou o advogado.

Kellen Cristina disse que a casa dela foi “salva por um triz”. “O pessoal começou a gritar porque tinha uma criança de três anos dormindo em casa”, disse. A mulher ainda contou que, escoltado pela polícia, Gilmar saiu rindo, dando tchau e dizendo que voltaria a noite. “Ele disse que dá a vida pelo terreno”, lembrou.

O acusado de destruir as casas foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro. Além dele, alguns moradores também foram detidas, já que estavam apedrejando o acusado.

Cenário é de destruição (Foto: Cleber Gellio)Cenário é de destruição (Foto: Cleber Gellio)
Moradores contabilizam prejuízos (Foto: Cleber Gellio)Moradores contabilizam prejuízos (Foto: Cleber Gellio)
Homem é ferido a tiro na saída de pagode no Bairro Taquarussu
Giovani Rodrigues Barbosa, 22 anos, foi baleado no tórax na saída de um pagode, na madrugada deste domingo (18), na Avenida Presidente Ernesto Geisel...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Querem saber um pouco da verdade?
Eu moro aqui muito proximo desse conflito! Já visitei as imediações para construir uma igreja evangélica, pois observava a facilidade em invadir e pensei que estaria fazendo uma obra do Senhor para essas pessoas.
Mas tive a oportunidade de encontrar esse proprietario, foi quando tentei um terreno com ele, mas percebi a sua angustia diante + de 60 pessoas invadindo, querendo tirar seu futuro conquistado com muita dificuldade.
Foi neste contato que fui até a prefeitura e la encontrei seu nome e seu terreno averbado a mais de 15 anos com IPTU certinho, cofirmei no cartorio de registro de imoveis e tambem consta sua escritura correta. Aí percebi que esta sendo vitima de pessoas que querem sua casa a qualquer custo e desisti da tal igreja. Quero dignidade.
 
Vanice marques vergueira em 02/09/2013 17:04:19
Se o Sr. Gilmar Gobbi é o herdeiro do terreno e tem os documentos comprovando-o a posse do mesmo, poderia ter ido na prefeitura e também procurado o MPE para agilizar a integração de posse do terreno (ao invés do MPE querer impor a Lei do Silêncio para beneficiar uma minoria - como se fosse o único problema na cidade).
Mas... depois que o Sr. Gilmar Gobbi fez justiça com as próprias mãos, creio que ele perdeu completamente a razão.
A JUSTIÇA PODE SER LENTA SIM, mas o que ele fez, provavelmente as indenizações vão custar o valor do terreno em questão.
 
Marcelo Mattos em 02/09/2013 08:15:48
Antes de invadir um terreno caríssimo no centro da cidade, adquira no seu bairro com dignidade e depois entre com o material para construir no que é seu. assim é muito fácil, invadir e esperar ganhar no grito! E agora se dão de vitima. com certeza a justiça vai tirá-los, embora é lenta. eu ja construí a minha, mas no meu terreno, comprado com meu suor, igual o suor desse proprietário. Chega de passar a mão em fingidos de coitados! Vocês vão ficar aí no centro? com certeza não. vão dar de migué e depois vendem e vão pra outra invasão. Não se fazem de vitimas! Vocês são grandes culpados. nada justifica invadir locais alheios. pronto. falei.
 
Dina Mascarenhas em 31/08/2013 11:02:49
Temos que ter dignidade! Eu tanto almejei minha casinha! mas primeiro comprei um terreno no Caiobá ll, dentro do meu padrão de vida, que provavelmente é o mesmo desses invasores. para depois gastar com materiais e construir no que é meu e não em áreas dos outros. Imagina quanto vale um terreno aqui próximo do centro? isso não é necessidade, é ganancia. Assim seria fácil pra mim também. invadir sem custo de compra do terreno e só entrar com materiais e ir me acomodando em cima do que não é meu! Isso teve custos para esse senhor, que talvez deixou de aquirir outras coisas na vida, para ter este terreno e quem sabe é sua reserva para a velhice, aposentadoria! Agora todos se fazem de vitimas, pegam criancinhas no colo, fotos em frente os entulhos. puro sensacionalismo.E se fazem de vitima?
 
Dina Mascarenhas em 31/08/2013 10:40:20
Nao da para julgar o proprietário. Sem hipocrisia, faria o mesmo caso tomassem alguma propriedade minha, comprada a suor e batalha.
 
Edson Barbosa em 30/08/2013 02:06:24
meu Deus quantos absurdos ditos aqui!!!todo mundo julgando sem saber a historia de cada morador..não é certo se apropriar do que não é seu, mais pior ainda é a atitude desse senhor.Graças a Deus só foram danos materiais......duvido mto que se houvesse vitimas físicas vocês estariam com esses pensamentos individualistas,melhor,só porque vocês tem suas casas próprias ou tem condições para pagar um aluguel não podem sair por ai acusando,julgando e condenando esses moradores! Tenho certeza que se pudessem não estariam ali.
 
francimeire pereira em 29/08/2013 16:31:56
Não conheço todos os fatos, só os apresentados aqui, mas fico com as seguintes duvidas: 1) Se o maluco é realmente o dono dos terrenos, por que esperou as pessoas construirem as casas para depois destrui-las, por que não ia la todos os dias "andar de trator"?
2) Se eu passar com um trator sobre a casa do maluco, quanto tempo vou ficar preso?
 
Alex André de Souza em 29/08/2013 15:26:06
Engraçado que todos se lembram que a culpa é da justiça, que é lenta, que as leis acobertam aproveitadores, que a polícia é inoperante e outros absurdos... ou a culpa é do cidadão que, desinformado e desinteressado, vota a troco de qualquer migalha oferecida ou por conveniência? há também os que nem isso fazem, como se fosse mudar alguma coisa abster-se de votar... por acaso, são os juízes, os promotores, os delegados, os policiais quem fazem as lindas leis que aí estão? ou são os incompetentes vereadores, deputados e senadores (a serviço de seus próprios interesses que não o da população), que lá são colocados legitimamente pelo voto? e a quem interessa que tais coisas se perpetuem (desinformação, desinteresse, descaso), aumentando o curral de gado eleitoral? e viva a copa! acorda, Brasil
 
Alexandre Araujo em 29/08/2013 13:07:22
TEMOS QUE SER SENSATO . SEM GENERALIZAR , MAS ALGUMAS PESSOAS VIVEM DISSO : APROPIAR DO QUE NÃO É SEU PARA SE BENEFICIAR DA SEGUINTE FORMA, AMANHA GANHA CASA DO GOVERNO PARA VENDER. *UM EXEMPLO : CASAS DO SOTER, MUITOS QUE MORAM ALÍ NÃO VIERAM DAS FAVELAS NA BEIRA DO CORREGO SOTER. ESTOU ERRADO?. A JUSTIÇA TEM QUE BATER DE PORTA EM PORTA PARA AVERIGUAR ISSO; ELES FAZEM?????HANNN.
 
ELVIS OCAMPOS. em 29/08/2013 11:40:53
que a justiça seja feita. roubo e invasão é tudo a mesma coisa.
 
adriana nunes em 29/08/2013 11:02:24
Concordo com a atitude do proprietário!esta corretíssimo,se o terreno é de herança e não esta em nome dos que construiram porque arriscaram em construir?agora vão crucificar o dono da área?se vcs estão com dó dessas pessoas porque vcs não sedem um canto no terreno de vcs para eles construirem?oportunidades tem e muito para que pessoas cresçam na vida agora cabe a elas fazerem a escolha,se estão fazendo ma distribuição das casa populares porque não correr a traz o povo junto faz a diferença,mas enquanto o povo fica esperando cair do céu ai as coisas não andaram mesmo mesmo!!!

 
rodrigo rocha em 29/08/2013 10:43:57
Justiça lenta, dá raiva mesmo.
 
RODRIGO FERREIRA em 29/08/2013 10:29:26
O que mais tem em Campo Grande,é gente construindo em terrenos invadido,tanto da prefeitura como de particulares,constroem casas "de alvenaria" em terras dos outros e depois querem ter direitos,onde esta a presença da justiça nesses casos?
 
Teresa Moura em 29/08/2013 10:17:37
As pessoas deveriam se conscientizar em construir naquilo que realmente lhe pertence,como você pode habitar em um local que já possui dono a mais de 17 anos,documentado,seja honesto com aquilo que é seu e não com os dos outros.
 
adriana souza em 29/08/2013 09:47:44
Sr. Gilmar, prepare o seu bolso, danos materiais + danos morais = indenização para a famílias.
 
Pedro Gomes em 29/08/2013 09:47:14
Absurdo prender a vítima da invasão os verdadeiros criminosos são os posseiros que invadiram propriedade particular. Invasão de propriedade é crime. E se fosse a sua casa invadida?
 
Deocleciano Rover em 29/08/2013 09:25:30
Lógico que a atitude dele foi errada, mas por meios legais a justiça não tira as pessoas, não estou defendendo ele, só queria ver se fosse você com um terreno parado, por que existem um monte de gente morando la sem pagar nada pra você e por meios legais pode demorar anos e anos pra resolver. Veja bem como é o Brasil, o cidadão INVADE um terreno, constrói uma casa, e se o "DONO" do terreno destruir essa casa, ainda tem que pagar indenização? Pra que comprar terreno então? se eu posso invadir, e só me tiram de la se me derem um lugar pra morar
 
Bruno Munaro de Melo em 29/08/2013 09:20:19
Um rapaz desses primeiramente deve ser preso, depois indenizar as pessoas pela destruição de seus bens. Nada justifica um ""ataque de fúria desses"".
 
Marco Barboza em 29/08/2013 08:50:33
Invasão de propriedade particular é crime, porque esses posseiros não batem às portas da Agehab e da Emha, ao invés de invadirem terreno alheio, agora só falta a Justiça mandar prender o dono e deixar os posseiros livres. Tá com dó leva pra casa, deixa eles invadirem a sua propriedade também, pimenta no olho dos outros é refresco. Se não tem a escritura do terreno tem que desocupar. É A LEI.
 
Deocleciano Rover em 29/08/2013 08:37:51
absurdo isso , esse cara não tem família não , se fosse com a dele ele reagiria assim destruindo o pouco que o povo tem , ele não sabe que a casa e sonho de todo mundo e destrói assim . ele tem que indenizar a todos , tinha que agora dar uma casa pra cada um que ele destruiu e ainda mobiliada pois isso não se faz com um ser humano que só quer ter seu canto pra morar . que Deus ajude essas famílias......
 
robson lima em 29/08/2013 08:31:24
Sem querer justificar o ato , o que tem de gente invadindo de um tudo não é brincadeira, conheço gente que está encostado pelo INSS, continua trabalhando, tem casa e ainda vai ganhar alguns hectares de terra por se infiltrar com os sem terra. Trabalho feito louco pra pagar imposto e não tenho nenhum atendimento de saúde que presta.
 
elio santos em 29/08/2013 08:30:18
Nada justifica esse ataque, contudo, essa questão de invasão é um problema sério aqui nesta cidade, as autoridades tem que tomar um providência, porque senão, eu também quero invadir, tem um monte de terreno bom desocupado que me interessa!
 
Heraclito Guedes em 29/08/2013 07:58:56
Muita sacanagem o que esse cara fez com essas famílias, as propriedades nem eram definitivamente dele. Falta de respeito ao próximo, ele deve estar agora dormindo, em algum lugar sob um teto, mesmo sendo o teto da delegacia ele está protegido.
E essa famílias como ficam? Gostaria de convidá-los caros leitores a ajudar de alguma forma essa famílias, com certeza serão bem vindos por eles. Seja com material de construção, móveis para substituir os que foram quebrados ou mesmo dinheiro. Acho que não importa se for pouco, como dizem por aí, é de grão em grão a galinha enche o papo.
No momento não estou tendo muito com o que contribuir, mas tenho um pouco de cimento, tinta e pedra aqui guardado que quero levar lá para ajudar, se muitas pessoas levarem um pouquinho, dá pra ajudar mais.
 
Jefferson N. Nunes em 28/08/2013 22:10:12
Só gostaria que o site noticiasse apos a ida destas pessoas a delegacia para saber o final desta reportagem, se liberarem pra justica ser feita pelas proprias pessoas vou encerrar minha temporada como formando à bacharel de direito.#temor
 
Jose Alves em 28/08/2013 21:47:13
engraçado campo grande vem tomada por onda de invasões onde as pessoas se acham no direito de invadir o que não lhes pertence e pior saem para ir na delegacia como vitima pobres vitima trabalhar p pagar um prestação de um terreno ninguém quer invadir o dos outros e mais fácil ate essa justiça nossa vai apoiar esse tipo de gente que se dono do terreno dos outros
 
jose nilson barbosa em 28/08/2013 21:45:19
TA CERTINHO, NESSE PAIS QUE A JUSTIÇA É UMA VERGONHA, QUE SEJA PELAS PRÓPRIAS MÃOS!
 
carlos dias em 28/08/2013 20:22:10
Parabéns!!! Se todos tivessem a mesma coragem não seria tão fácil um cidadão que paga seus impostos perder suas terras muitas vezes vindas de herança para um bando de larápios que simplesmente se assetam e já se dizem dono do lugar! Assim é fácil!
 
Paulo Ovando em 28/08/2013 20:16:31
Nem o Sr. Gilmar e nem os moradores tem culpa dos acontecimentos de hoje, na verdade quem mais tem culpa é nossa justiça que é lenta e morosa, pois o terreno não pertence a nenhum parente dos magistrados, pois se pertencesse duvido que já não estaria resolvido essa perrenga. Agora quem paga o pato é a população que vive no local que pertence a uma pessoa, que infelizmente é tomada pela emoção e raiva da demora dessa nossa justiça e faz justiça pelas próprias mãos, se bem que muitos terrenos antigos nesta cidade foi ganho na mão grande e ninguém fez nada. PS- aí de quem invadir o meu kkkkkkkkk, justiça bah...
 
Douglas Ruiz em 28/08/2013 19:59:05
Se Gilmar Gobbi é herdeiro, porque então ele não pode apropriar daquilo que é seu?????
Se as famílias não tem moradia, porque então a prefeitura não doa casas a essas pessoas???
Ter um lugar para morar todos nós queremos, mas não devemos invadir o terreno de ninguém.
Disponibilizar moradia é o dever da prefeitura e do governo.
.
Creio que antes das derrubadas das casas o Gilmar Gobbi deveria ter uma autorização da justiça para o tal ato, mas antes de fazer qualquer coisa, essas famílias deveriam ter um lugar para morar.
.
As famílias querem moradia.
O homem quer ter aquilo que é seu.
A prefeitura/Governo deve construir moradia.
A Justiça tem que da aquilo que é nosso por direito.
Todos nós queremos paz, coisa que ninguém faz.
 
Adriana oCândido em 28/08/2013 19:15:55
justiça lenta, cria impaciência nas pessoas, país sem lei, se o terreno tem dono pq invadir, "dia de fúria".
 
vidal da silva em 28/08/2013 18:51:06
Agora quero ver os "direitos humanos" irem lá defender essas famílias. Outro dia a polícia matou um bandido que estava aterrorizando a cidade, os "direitos humanos" baixaram lá na hora e quatro policiais ficaram afastados do serviço, por cumprirem o dever, agora vem um insano, passa por cima de todo mundo e quero ver se eles aparecem por lá.
 
Julio César em 28/08/2013 18:46:38
Espero que isso seja exemplo do que pode ,essa morosidade da justiça, tanto para desapropriar, quanto para reaver...ninguém quer perder o que a família demorou anos para adquirir!!
 
Caio Prado em 28/08/2013 18:27:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions