A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

16/08/2013 12:58

Hipermercado abre processo interno para apurar violência contra cliente

Luciana Brazil e Graziela Rezende
Rapaz reclama de preconceito e mercado diz que abriu processo interno para apurar o caso. (Foto:Graziela Rezende)Rapaz reclama de preconceito e mercado diz que abriu processo interno para apurar o caso. (Foto:Graziela Rezende)

O Hipermercado Extra informou que abriu processo interno para averiguar os atos de violência cometidos contra um jovem de jovem de 26 anos, espancado e acusado de furto por seguranças da empresa, na manhã de hoje (16), na unidade da rua Maracaju, em Campo Grande.

A rede disse, por meio da assessoria de imprensa, repudiar qualquer ato de violência ou discriminatório e alegou que “suas ações são sempre pautadas no respeito à integridade e promove contínuo treinamento dos seus colaboradores para o cumprimento das leis e do Código de Ética do grupo”.

Mesmo apresentando nota fiscal, o jovem foi acusado de furto e contou que levou empurrões e socos sem motivo algum. “Eu comprei uma bolacha, no valor de R$ 1,89 e saí da loja. No pátio fui perseguido por dois seguranças. Um deles, de nome Peterson, me acusou de furto e mostrei a nota, dizendo que era consumidor. Mesmo assim, ele desferiu um soco na testa e foi me empurrando e chutando para a rua”, comenta o tapeceiro Paulo Henrique Leiva Ferreira, 26 anos.

Sujo por conta do trabalho, ele diz que os funcionários tiveram preconceito por causa de sua roupa e pelo fato de ser negro. “Não tem outra explicação para isso. Meu pai todos os dias frequenta a loja para comprar pão, ele tem o cartão daqui. E os seguranças já olham feio pra gente, tem bronca mesmo”, comenta Ferreira.

O rapaz ficou indignado com a ação dos seguranças e ligou para o pai, que esteve no local. 

No caixa, a atendente Maria Fátima Gonçalves, 38 anos, confirmou a ação dos seguranças. “Meu horário de entrada é às 7h e, exatamente às 7h49, conforme a nota fiscal, ele pagou pela bolacha. Estou aqui há apenas seis meses e posso estar correndo risco, mas não concordo com a atitude dos seguranças”.

Além da atendente, a vítima e o seu pai tiveram o apoio de várias testemunhas, que confirmaram o crime. A vítima permanece com marcas na testa e na boca. “Nós vamos daqui direto para a delegacia. Quero registrar queixa e que eles sejam punidos por isso”, garante o pai de Paulo Henrique.

A Polícia Militar esteve no local, mas apenas orientou a vítima a prestar queixa na delegacia.

 

Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


Depois, quando um segurança desses se depara com alguém que sabe se defender e revida essa agressão, todos ficam se lamentando, mas existe truculência por grande parte dos seguranças.
 
Adão Machado em 16/08/2013 15:15:23
http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/mais-uma-vitima-de-golpe-com-nome-de-deputado-federal-procura-policia
 
Paloma santos em 16/08/2013 14:04:27
"várias testemunhas" e ninguem fez nada?
"A Polícia Militar esteve no local... orientou a vítima a prestar queixa"???
Deixa ver se entendi !!!
Se eu agredir uma pessoa na rua a nossa policia vai orienta-la a prestar queixa???
Não posso ser preso por agressão é isso???
Se for uma mulher a "maria da penha" tambem diz para dar queixa?
Com a palavra os entendidos em lei.
 
Alex André de Souza em 16/08/2013 13:41:30
seguranças ou bandidos a populaçao tem que ir para outros supermercado este nao presta
 
elenilton dutra de andrade em 16/08/2013 13:06:18
Se eles encontram com um pavio curto, pregam fogo neles dentro da loja.
 
Mirtes Lourenço Camilo em 16/08/2013 13:03:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions