A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Janeiro de 2018

16/01/2015 14:24

Homem que alegou estar bêbado ao matar esposa é condenado a oito anos

Alan Diógenes
Marcos disse que estava bêbado no dia do crime, e não se lembra de nada. (Foto: Marcos Ermínio)Marcos disse que estava bêbado no dia do crime, e não se lembra de nada. (Foto: Marcos Ermínio)

O auxiliar de serviços gerais Marcos José de Almeida, 36 anos, acusado de matar a esposa Ana Paula Virgílio a golpes de faca no dia 11 de julho do ano passado, foi condenado a oito anos e seis de meses de prisão em regime fechado. O Ministério Público e a defesa do réu excluiu as qualificadoras e ele foi julgado por homicídio simples.

O juiz Aluízio Pereira dos Santos havia pronunciado o acusado pelo crime de homicídio qualificado, com recurso que dificultou a defesa da vítima. Desta forma, ele poderia pegar até 30 de prisão. Mas, a defesa dele alegou legítima defesa e juntamente com o MP excluiu as qualificadoras apresentadas anteriormente.

Durante seu depoimento colhido pela 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (16), Marcos alegou que estava bêbado e teve uma “amnésia” no dia do crime, por isso não se lembra como matou a própria mulher. No dia dos fatos, ele agrediu a esposa quando chegou em casa, localizada em frente à Igreja Maria Mãe, na Avenida Júlio de Castilho, após uma discussão.

Diante do júri, Marcos negou as acusações e disse que estava embriagado. Ele disse ter lembranças apenas do que ocorreu antes e depois, mas nada do que aconteceu durante o crime. “Não me lembro de nada do acontecido. Até hoje não acredito que foi eu quem matou ela”, afirmou.

Marcos é natural do Paraná, não tem outros antecedentes criminais e veio ao Mato Grosso do Sul para trabalhar em uma empresa de refrigeração. Na oportunidade, conheceu a vítima e manteve um relacionamento com ela por cerca de cinco ou seis meses, até matá-la.

 



Muito triste existir uma lei que não deixa punir corretamente nem os homicídios.
Fala que teve amnésia, poderia internar o "aluado" por tempo indeterminado até ele ter condições de lembrar, senão fica internado, e quando retomar a "lembrança", sofre a pena para homicídio, que no Brasil é uma piada.
Mas a vítima já está morta mesmo e isso não é quantificado no homicídio e nem qualquer prejuízo o é em muitos crimes.
Quantos anos ele vai ficar preso? 08 anos e 06 meses?
Não fica em regime fechado nem 04 anos.
É de assustar e desacreditar que existe punição de verdade para crimes com essa lei do Brasil.
 
Adriano em 16/01/2015 15:08:05
Que justiça é essa?? O cara comete um crime desses e com certeza vai ficar no máximo 2 anos só em regime fechado, affff esse é o nosso país.
 
Laura Vicente em 16/01/2015 14:56:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions