A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/04/2015 10:19

Homem vai a júri por matar mulher a facadas para ela não voltar aos EUA

Leonardo Rocha e Filipe Prado
Vanderlei é acusado de ter matado esposa a facadas em 2007, em Campo Grande (Foto: Alcides Neto)Vanderlei é acusado de ter matado esposa a facadas em 2007, em Campo Grande (Foto: Alcides Neto)

Vanderlei Marcelino vai a juri popular, na manhã desta quarta-feira (15), acusado de matar a esposa, Cláudia Rodrigues Carvalho Marques, a facadas no dia 12 de julho de 2007 na Vila Nha-Nha, em Campo Grande. O motivo do crime era que ela pretendia se separar do marido e voltar para os Estados Unidos, onde tinha a intenção de se casar com um americano.

De acordo com a denúncia do MPE (Ministério Público Estadual), o casal morava há cinco anos juntos e tinha um filho de 12 anos na época do crime, quando voltaram dos Estados Unidos já separados, Vanderlei veio na frente e a vítima depois. Cláudia estava juntando dinheiro, para voltar aos Estados Unidos, pois tinha a intenção de se casar novamente, inclusive já tinha economizado a quantia de R$ 20 mil.

O cunhado da vítima, Mauro de Freitas Pedroso, relatou, durante o julgamento, que o relacionamento do casal era conturbado e que o acusado batia na esposa. Ele viu por diversas vezes hematomas na vítima. Uma vez até encontrou um corte em sua mão, que havia sido feito com uma faca pelo marido. Ele ainda revelou que as agressões e ameaças nunca eram denunciadas às autoridades competentes.

Já o filho do acusado, Lucas Sobrinho, que hoje está com 21 anos, afirmou que o relacionamento do casal era muito bom, e que nunca presenciou agressão na residência, e que os pais eram unidos. Sobre a volta da vítima aos Estados Unidos, o filho garante que era um combinado dos pais, dela se casar com um americano, para conseguir o visto, mas que esta situação era de comum acordo. 

Crime – O cunhado relatou que no dia do crime foi avisado do ocorrido pelo sobrinho, e quando chegou ao local notou que não havia sinal de arrombamento e que a vítima teria aberto a porta a um conhecido, também notou que havia muito sangue pela residência, parecendo que a vítima havia sido arrastada e que tinha uma toalha molhada, dando a impressão que alguém tinha acabado de tomar banho. Ele ainda presenciou o acusado colocando um dinheiro da vítima no bolso.

Já o filho do acusado lembra que neste dia estava na casa de um dos amigos e que pediu para mãe para ficar até mais tarde, depois o pai foi buscá-lo e o levou para casa, quando chegou se deparou com a mãe assassinada. Ele acredita que o pai é inocente desta acusação. O julgamento começou hoje (15) de manhã, no Fórum de Campo Grande, e deve ter o veredito no período da tarde.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions