A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

30/10/2017 10:29

Hospital do Trauma só deve atender pacientes no fim de janeiro de 2018

Novo prazo é mais um capítulo da longa história da obra, que atravessa duas décadas

Aline dos Santos
Hospital do Trauma é construído na rua 13 de Maio e está 99% pronto. (Foto: Marcos Ermínio)Hospital do Trauma é construído na rua 13 de Maio e está 99% pronto. (Foto: Marcos Ermínio)

O Hospital do Trauma, em construção ao lado da Santa Casa de Campo Grande, só deve abrir as portas aos pacientes no fim de janeiro de 2018. O novo prazo para ativação da unidade foi informado nesta segunda-feira (dia 30) pelo secretário estadual de Saúde, Nelson Tavares. Até então, a previsão era que o local, apontado como solução para desafogar a Santa Casa, funcionasse em dezembro deste ano.

“A obra está 99% pronta, mas não está toda pronta. Nós não vamos inaugurar se não estiver em condições de funcionar. Na minha avaliação, porque estive visitando a obra na semana passada, nós não temos condições de funcioná-lo em dezembro. Acho que conclui em dezembro, mas não em termos que ele possa funcionar. Vamos ser sinceros e honestos”, afirma o secretário.

Segundo ele, os funcionário estão trabalhando até em terceiro turno para que o hospital fique pronto ainda nesse ano. Inclusive, os tapumes da obra já foram retirados. “Não tem restrição financeira. Mas a finalização que é complicada”, diz.

Na finalização, entram serviços como gesso, régua de gases medicinais, elevadores. A intenção é inaugurar a unidade com uma grande cirurgia.

“Depois de concluída a obra física, vai mais um mês de inspeção, tem que ver se os gases estão todos funcionando, não é simples. Ainda tem que instalar todos os aparelhos. É humanamente impossível estar adequado para funcionar em dezembro”, diz.

 Acho que conclui em dezembro, mas não em termos que ele possa funcionar. Vamos ser sinceros e honestos, diz Tavares. (Foto: Marina Pacheco)" Acho que conclui em dezembro, mas não em termos que ele possa funcionar. Vamos ser sinceros e honestos", diz Tavares. (Foto: Marina Pacheco)

O titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Marcelo Vilela, afirma que a pasta não foi informada da alteração de prazo. “Oficialmente, não tem nada para nós”, diz. A construção é acompanhada por uma comissão tripartite, que se reúne a cada dois meses.

O novo prazo é mais um capítulo da longa história da obra, que atravessa duas décadas. Inicialmente, a construção na rua 13 de Maio seria uma maternidade. Após idas e vindas do contrato, no mês de junho de 2016 foi assinada a ordem de serviço para que a obra do hospital, paralisada desde 2012, fosse retomada, com previsão de término no final do primeiro semestre de 2017.

Nos mais de sei mil metros quadros de área construída, funcionarão o setor de ortopedia e politraumatismo, com 130 leitos de enfermaria, 10 leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva), dois leitos de isolamento, 18 leitos de observação e cinco salas cirúrgicas.

O espaço será destinado a pacientes politraumatizados, principalmente vítimas de acidente. Tecnicamente, o nome é Unidade do Trauma, porque tem estrutura interligada com a Santa Casa, compartilhando setores como cozinha, lavanderia e administração.

Para reforma e conclusão, foram investidos R$ 8,4 milhões - R$ 3,2 milhões da prefeitura, R$ 2,5 milhões do Ministério da Saúde, R$ 1,6 milhão do governo do Estado e R$ 890 mil da ABCG (Associação Beneficente de Campo Grande), que administra a Santa Casa.

A reportagem não conseguiu contato com o diretor-presidente da associação, Esacheu Nascimento, e aguarda retorno da assessoria de imprensa do hospital.

Obra foi retomada esse ano, com várias previsões de término. (Foto: Marcos Ermínio)Obra foi retomada esse ano, com várias previsões de término. (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions