ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Idoso morre após 1 mês internado e família procura ciclista suspeito de agressão

Valter de Souza Sandim, de 74 anos, não conseguiu se recuperar de trauma no crânio

Por Liniker Ribeiro e Ana Beatriz Rodrigues | 20/09/2021 18:59
Valter de Souza Sandim morreu na Santa Casa de agressão um mês após internado (Foto: Arquivo Pessoal)
Valter de Souza Sandim morreu na Santa Casa de agressão um mês após internado (Foto: Arquivo Pessoal)

Inconformados com a morte do catador de recicláveis Valter de Souza Sandim, de 74 anos, familiares cobram justiça e buscam por informações que possam ajudar a identificar e localizar ciclista suspeito de envolvimento em confusão no trânsito, que resultou na internação do idoso. Segundo as filhas, a vítima teria se envolvido em acidente entre carro e bicicleta, no dia 15 de agosto, ocasião que acabou sendo agredido em via pública a ponto de precisar ficar internado por pouco mais de 30 dias e não resistir.

Na madrugada de ontem (19), Valter, que estava na Santa Casa de Campo Grande, não conseguiu se recuperar de trauma no crânio e a um hematoma subdural agudo, tendo a equipe médica constatado óbito às 2h.

Conforme boletim de ocorrência registrado pela família, a agressão aconteceu próximo a bar na Rua Urariocara, no Jardim Colúmbia, região norte da Capital. O idoso, que estava de carro, se envolveu em acidente com ciclista.

Ferimentos que, segundo a família, foram provocados por agressão (Foto: Arquivo Pessoal)
Ferimentos que, segundo a família, foram provocados por agressão (Foto: Arquivo Pessoal)

A vítima foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levada à UPA Coronel Antonino. Apesar do registro policial não mencionar, a família relatou à reportagem que Valter foi liberado pela equipe médica no mesmo dia, mesmo com ferimentos no rosto e na cabeça, e após o idoso relatar agressão.

"A gente não entende porquê não foi registrado boletim de ocorrência no dia, se ele chegou a falar da agressão", diz Silvana de Souza, de 54 anos, filha de criação do idoso. Segundo ela, o registro só foi feito pela família, dias após a internação.

Liberado, Valter chegou a ir para casa e a narrar como foi a agressão aos familiares. Na madrugada do dia seguinte, ele acabou pedindo socorro para um vizinho ao perceber que estava tendo uma hemorragia.

"Ele não estava conseguindo enxergar e sangrava, daí o vizinho levou ele para a Santa Casa", conta Silvana.

Após internação, o estado de saúde do paciente evolui para grave, rapidamente. "O boletim médico da Santa Casa informa que o paciente está em leito de CTI, em estado grave por uma hemorragia cerebral", destaca ocorrência policial registrada pela família no dia 6 de setembro, dias após a agressão.

O boletim revelada ainda, Valter estava sedado, entubado, respirando por ajuda de aparelhos e se alimentando por meio de sonda no estômago. Na madrugada de ontem, a vítima veio a falecer.

"A única coisa que eu tinha era ele, porque meu pai me abandonou quando pequena e ele me criou. Eu espero que o cara que fez isso com ele seja preso", lamentou Silvana, emocionada.

Eucleia Pereira de Souza, de 49 anos, filha de Valter, também demonstrou indignação pelo ocorrido. "Vou mover céus e terras para fazer justiça pelo meu pai". Valter foi enterrado na tarde desta segunda-feira (20), no Cemitério Jardim da Paz.

Investigação - A reportagem procurou a Polícia Civil para saber como anda a investigação sobre a morte de Valter e aguarda retorno. Boletim de ocorrência foi registrado como morte a esclarecer.

Também procuramos a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) para saber quais procedimentos foram realizados no paciente, no dia da internação, e por que o idoso foi liberado, e também aguardamos retorno.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário