A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 15 de Outubro de 2019

12/10/2016 09:51

Imagem do socorro, Nossa Senhora vai no nome, fé e esperança dos fiéis

Aline dos Santos e Júlia Kaifanny
Nossa Senhora Aparecida recebe homenagens neste 12 de outubro. (Foto: Júlia Kaifanny)Nossa Senhora Aparecida recebe homenagens neste 12 de outubro. (Foto: Júlia Kaifanny)
Olívia e Bráulia são devotas da santa.  (Foto: Júlia Kaifanny)Olívia e Bráulia são devotas da santa. (Foto: Júlia Kaifanny)

A fé que vai na assinatura do nome, na devoção que supera os esquecimentos do Alzheimer ou no joelhos que se dobram em busca de uma graça.

A íntima e fervorosa relação dos fiéis com a Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil, move as pessoas a lotarem a igreja, que leva o nome da santa, na avenida Tamandaré, em Campo Grande.

Aos 92 anos, Bráulia Roja Montania é devota desde criança e, agora, convive com os efeitos do Alzheimer. “Mesmo assim, ela não esquece as devoções. Lembra de todas as orações, pede para ir à missa e não esquece de Nossa Senhora”, afirma a filha Olívia Montania, 54 anos.

A fé também está no nome de quem alcançou graças. A comerciante Francilene Aparecida Messias dos Santos, 45 anos, conta que ganhou o nome da santa porque teve problemas de saúde logo após o nascimento. “Passou da hora do parto e fiquei roxa. Preocupada e devota, minha avó pediu para que Nossa Senhora me salvasse. Devo a vida e milagres à santa”, diz.

Após perder dois filhos ainda durante a gestação, Ana Felipe Schruff, 63 anos, prometeu que se o filho nascesse e fosse mulher teria o nome de Aparecida. Após a promessa, veio Ivete Aparecida Schruff, que, atualmente, tem 48 anos. Formada por devotos, da família veio de Ivinhema, a 282 km de Campo Grande, para participar da celebração deste 12 de outubro.

 

Padre afirma que popularidade da santa vem de ser imagem do socorro e esperança. (Foto: Júlia Kaifanny)Padre afirma que popularidade da santa vem de ser imagem do socorro e esperança. (Foto: Júlia Kaifanny)

Em um momento de extrema dor, Edinir Batista Figueiredo, 64 anos, recorreu à oração.

“Há 21 anos meu marido teve um AVC [Acidente Vascular Cerebral] e os médicos disseram que ele não andaria mais. Fui à igreja, me prostrei para Nossa Senhora, que intercedeu. Menos de três meses depois ele estava andando”, relata.

Segundo Ednir, o marido também se tornou devoto. “Ele anda com dificuldade. Mas vive com dignidade e nos braços de Nossa Senhora”, diz.

A popularidade da santa vem de sua imagem de socorro e esperança. “Nossa Senhora é a presença materna de Deus na vida do povo. É mãe, mulher. Tem tanta influência sobre e as pessoas porque é imagem de socorro, esperança para os que sofrem”, afirma o padre Paulo Donatti.

Após lançar maconha na Máxima, dupla é perseguida e presa pela polícia
Dois homens, de 27 e 29 anos, foram presos nesta segunda-feira (14) após jogarem tabletes de maconha por cima do muro do presídio de segurança máxima...
Adolescente de 16 anos é apreendido com 95 papelotes de droga no Tiradentes
Um adolescente, de apenas 16 anos, foi preso ao ser flagrado com 95 papelotes de cocaína no Bairro Tiradentes, em Campo Grande. Os policiais civis d...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions