ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 12º

Capital

Incrédulos, moradores tentam retomar rotina após estupro em condomínio

Funcionário acha possível que ninguém tenha visto menina ter sido levada para apartamento de vizinho

Anahi Zurutuza e Ana Beatriz Rodrigues | 05/09/2022 19:30
Residencial onde vizinho teria estuprado adolescente fica no Jardim Canguru. (Foto: Paulo Francis/Arquivo)
Residencial onde vizinho teria estuprado adolescente fica no Jardim Canguru. (Foto: Paulo Francis/Arquivo)

Incrédulos com o que aconteceu na noite deste domingo (4), moradores de condomínio no Jardim Canguru, onde menina de 13 anos denunciou ter sido estuprada por vizinho, de 37 anos, tentam levar a vida normalmente nesta segunda-feira. Quase ninguém quer comentar o assunto também.

“É uma coisa inacreditável, ninguém acha que vai acontecer”, afirmou um funcionário do residencial, o único a dar entrevista, na condição de anonimato.

Ele revelou que apesar dos moradores não quererem se comprometer, falando com a imprensa, o assunto do dia era o acontecido.  Muita gente não consegue acreditar como foi possível a garota ser arrastada para um dos apartamentos, como relatado à polícia, sem que ninguém tivesse visto. “É que no fim de semana, o pessoal bebe aqui né? Vai ver que não viram mesmo”, comentou o empregado sobre o movimento nas áreas comuns do condomínio, localizado na região sul de Campo Grande, aos sábados e domingos.

O que moradores, que ontem se mobilizaram para garantir a prisão do suspeito, agora aguardam é o resultado da investigação. Mas, nesta segunda-feira, algumas poucas crianças ainda desceram para brincar no pátio.

O Campo Grande News não conseguiu localizar a mãe da vítima e o apartamento do suspeito também estava vazio, no fim da tarde de hoje.

O caso – Conforme registrado em boletim de ocorrência, a mãe deu falta da adolescente por volta das 18h e só conseguiu localizá-la quase três horas depois, com alguns hematomas no pescoço, quando chamou a PM (Polícia Militar). A garota relatou que havia sido abordada por um vizinho e levada até o apartamento dele, onde foi estuprada, no banheiro.

A menina não narrou ter pedido socorro, mas disse ter sido ameaçada. Conforme descrito para os policiais militares, após recusar o convite do homem para ir até a casa dele, ele teria dito que caso ela não o obedecesse, “seria pior”.

A vítima foi levada a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), onde passou por exames. O homem foi preso, negou o crime em depoimento e disse que o filho dele, de 12 anos, tem relacionamento com a garota e que os dois adolescentes podem ter mantido relações sexuais. A garota, porém, reconheceu o homem como o seu agressor.

Nos siga no Google Notícias