ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Influenza faz síndromes respiratórias subir 95% em Campo Grande

Segundo o infectologista Julio Croda, motivo do aumento é o retorno das atividades presenciais

Izabela Cavalcanti | 04/10/2022 10:46
Pessoas aguardando na Unidade de Pronto Atendimento do Coronel Antonino (Foto: Marcos Maluf)
Pessoas aguardando na Unidade de Pronto Atendimento do Coronel Antonino (Foto: Marcos Maluf)

Campo Grande teve aumento de 95,77% no número de casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) por influenza, em oito meses. O percentual representa 68 casos a mais. Os dados fazem parte do Boletim Epidemiológico, divulgado pela SES (Secretaria Estadual de Saúde). Com isso, consequentemente, o tempo de espera nos hospitais também fica comprometido.

No levantamento do dia 27 de janeiro de 2022, foram contabilizados 71 casos confirmados por Influenza. Já no dia 27 de setembro, passou para 139.

Segundo o infectologista e pesquisador da Fiocruz, Julio Croda, a alta está associada ao retorno das atividades e ao baixo número de pessoas vacinadas contra a Influenza.

“Quando a gente retoma as atividades, e sem vacinação, lógico que tem um aumento de casos em pessoas não protegidas que vão pegar a doença”, explica.

Ainda de acordo com ele, no pico da pandemia, quando as escolas estavam fechadas, foi difícil de as crianças terem contato com o vírus.

“As escolas estavam fechadas na pandemia, daí a gente tem um número grande de crianças que não teve contato com o vírus”, completa Croda.

Ontem (3), o Campo Grande News recebeu o relato de uma mãe que esperou por 3h para que a filha, de 5 anos, fosse atendida no Hospital Unimed.

Em nota, a Unimed alegou que houve aumento nos atendimentos dos prontos socorros em Campo Grande, sendo a maioria dos casos relacionados a sintomas respiratórios.

"Ressaltamos que a unidade hospitalar segue todos os protocolos e orientações do Ministério da Saúde referente ao atendimento de nossos pacientes, incluindo a classificação de risco dos mesmos. Além disso, conta com equipes completas de médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde preparados para atender à demanda de nossos beneficiários", completou.

Vacina – Segundo dados do Ministério da Saúde, até agosto, somente na Capital foram aplicadas 172.144 doses contra a Influenza para 295.280 pessoas, o que representa 58,2% da população vacinada.

Nos siga no Google Notícias