A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

01/06/2015 15:06

Invocação de "espíritos" por alunos causa polêmica e assusta pais

Aline dos Santos
Meninas contam que desafio chegou há duas semanas na sala de aula.  (Foto: Marcelo Calazans)Meninas contam que desafio chegou há duas semanas na sala de aula. (Foto: Marcelo Calazans)

Estratégia para divulgar filme de terror, o desafio “Charlie Charlie” atrai adolescente, preocupa pais e provocou tumulto, com alunos passando mal, em colégios de Manaus (AM) e Boa Vista (RR). Em Campo Grande, a brincadeira já chegou a muitas salas de aula. A brincadeira é simples, bastam duas canetas ou lápis e papel. Os lápis são colocados em formato de cruz em cada quadrado é escrito sim ou não. O desafio começa quando o primeiro participante pegunta “Charlie. Charlie, você está aí?”. Se um dos lápis se mover para o sim, é sinal de que Charlie, que seria um espirito ou o demônio, está presente.

Uma estudante de 14 anos diz que o desafio chegou há dua semanas na escola. Ela conta que já viu colegas brincando de “Charlie Charlie”, mas que não se interessa em participar. Curiosa, pesquisou na internet e viu que a origem seria uma demônio que veio do México.

“Existe o bem e o mal, se procura o mal, acaba aparecendo”, diz a garota. Já sua colega de sala, uma adolescente de 13 anos, diz que tem medo e passa bem longe da brincadeira. Ela conta que em um dos jogos a caneta vermelha estourou e já há quem jure se tratar de sangue.

Outra adolescente, de 13 anos e que estuda no nono ano do mesmo colégio, afirma que o professor explicou se tratar de um fenômeno físico.

Uma empresária de 34 anos conta que soube na novidade por meio da amiga da filha. “Desconfiei e fui pesquisar na internet, porque está rolando nas escolas, tem bastante comentário no Facebook. Passei mensagem para ela não participar, porque não vai de acordo com a nossa fé. Realmente acredito que está evocando o demônio”, diz.

Outra mãe afirma que soube da brincadeira por meio do filho dos dez anos, que viu o jogo em sala de aula. Ela pediu informações na direção.

Histeria – Em Manaus e Boa Vista, o fato de alunos passarem mal depois do “Charlie Charlie” foi considerado histeria coletiva. Conforme o G1 Amazonas, no dia 28 de maio, alunos da escola José Carlos Mestrinho, em Manaus, precisaram de atendimento médico. O relato é de gente delirando, não dizendo “coisa com coisa”, além de desmaio.

No dia 29 de maio, o G1 Roraima divulgou que quatro adolescentes foram levados pela PM (Polícia Militar) à igreja depois do “Charlie Charlie”. Nesse episódio, a brincadeira foi em um terreno baldio em frente à escola estadual Doutor Luiz Rittler Brito de Lucena. Os adolescentes se debatiam e desmaiaram.

A brincadeira macabra faz parte de uma estratégia de marketing para divulgar o filme “A Forca”. Charlie é um dos personagens da história, que morreu dentro de um colégio.

Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


Isso que dá ensinar "ensino religioso" ao invés de ensinar ciência nas escolas. Esse é o motivo dessa ignorância total sobre o evento.

Parabéns pessoas, continuem "assombradas por demônios" (Carl Sagan)
 
Estudioso em 02/06/2015 08:36:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions