A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

19/05/2011 07:51

Jovem é preso com distintivo da Polícia Civil depois de confusão em bar

Francisco Júnior e Aline dos Santos

Rapaz não revelou onde conseguiu o distintivo

Rapaz não revelou onde comprou o distintivo. (Foto: Simão Nogueira)Rapaz não revelou onde comprou o distintivo. (Foto: Simão Nogueira)
Distintivo pode ser comprado em casas militares. (Foto: Simão Nogueira)Distintivo pode ser comprado em casas militares. (Foto: Simão Nogueira)

Wallace Borges da Silva, 21 anos, foi preso na madrugada desta quinta-feira depois de se passar por policial civil em um bar no bairro São Conrado, em Campo Grande.

Segundo informações da polícia, o rapaz juntamente com um amigo estava no bar, localizado na rua General Ângelo Frulegui da Cunha, ingerindo bebida alcoólica, quando os dois se envolveram em uma confusão com o proprietário do estabelecimento.

Wallace teria se apresentado como policial, porém o dono do bar não acreditou e acabou sendo agredido por ele.

Devido o ocorrido, policiais militares foram acionados até o local e apreenderam com Wallace um distintivo de escrivão da Polícia Civil, um coldre e uma pistola de brinquedo, que é uma replica de arma de uso restrito da Polícia Federal e forças armadas.

Os policiais encontraram também com ele um código penal.

Em depoimento, o rapaz não quis revelar onde comprou o distintivo, que nada mais é que um porta documentos que pode ser comprada por R$ 30 reais em casas militares, conforme apurado pelo Campo Grande News.

Porém, para comprar esse tipo de distintivo é necessário apresentar o documento oficial emitido pela Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública).

De acordo com a delegada Marília de Brito Martins, Wallace foi autuado pelos crimes de usurpação de função e uso indevido de símbolo da administração pública.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Pelo jeito essas casas de venda de produtos militares mais parece um comércio normal. Qualquer um consegue comprar artigos destinados aos militares, mesmo sendo cidadão comum...
E pra esse marginal aí, cadeia para este.
 
monika neves dos santos em 14/12/2013 14:44:27
Olá, boa noite?? Quero dizer para as autoridades que efetuou a prisáo deste sujeito, que de acordo com os comentarios de cada pessoa que lir, tudo chega a um só denominador que esta porta-documentos nao foi comprada e sim roubada. Há duas fontes de Informação; a 1ª fonte é: em qual loja de material Militar ele roubou esta carteira, e a 2ª fonte é: de quem éra esta carteira que ele roubou.
 
jose alves filho alves em 26/11/2011 07:05:35
lol eu conheço ele lkkkkkkk'
que figura mnw como ele apronta uma dessa kara
que fita mnw kkkkkk'
 
Arthur da cunha em 20/05/2011 08:12:31
Mas a coisa mais facil é comprar esses artigos "militares" na teoria tem que apresentar a funcional, mas na pratica não existe esse costume... convido a produção a fazer esse teste, essa materia vai comprovar que qualquer pessoa pode ser bombeiro, policial militar ou civil, ser médico do SAMU, ou ate mesmo "ser DA CIGCOE".
 
Denner Alberto em 19/05/2011 09:37:17
Um individou deste, que se passa por um servidor publico, que tem de passar por concurso ferrenho, provas fisicas rigorozíssimas, haja vista que muitos que são detentores de nivel superior reprovam, realmente sao aprovados, somente aqueles aptos de fato a exercerem uma carreira nas instituiçòes de segurança publica, mas nunca que um camarada desta estirpe e postura seria um agente da Polícia Judiciária, agora, o que precisa realmente é ser investigado de maneira eficiente, como e por que e quando, esta carteira funcional, ou distintivo, não sei como se chama, foi adquirida por este indivíduo, ou então até eu me habilitarei em comprar uma, mas acho que vou optar por uma do F.B.I, D.E.A, CIA, INTERPOL,SUWAT, da mais medinho...kkkkkk
 
Gustavo Cesar C. Gonçalves em 19/05/2011 04:19:58
Uma vez fui com um amigo policial a uma dessa lojas e ele comprou duas camisetas da policia e não pediram sua carteira funcional. Realmente o colega Dener tem razão não há um mínimo controle na venda desses artigos.
 
Rodrigo Silveira em 19/05/2011 04:13:01
Qualquer um compra essas carteiras, porta funcional, pela internet. Basta pesquisar em uma ferramenta de busca que aparecem centenas de sites que vendem. Cabe às pessoas exigir do suposto policial a IDENTIDADE FUNCIONAL de Polícia Civil, Federal ou militar...

Campo Grande/MS
 
Ramao Dauzaquer em 19/05/2011 03:46:36
Fala besteira não Denner, toda vez que vc entra em lojas de artigos militares pra comprar porta documento eles lhe pedem sim a funcional, quanto a farda tudo bem, mas quanto ao porta docunmentos NÂO, tem realmente que comprovar que vc é policial.Mas como foi dito na reportagem, o que o bandido possuia era apenas o porta documento, o que vale mesmo é a funcional do policial. Antes de comentar algo, procure comprar antes um porta blz?
 
Marcos Tonada em 19/05/2011 02:23:10
Pelo jeito essas casas de venda de produtos militares mais parece um comércio normal. Qualquer um consegue comprar artigos destinados aos militares, mesmo sendo cidadão comum...
E pra esse marginal aí, cadeia!!!
 
Wellington Sampaio em 19/05/2011 01:43:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions