ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 11º

Capital

Jovem que bateu em poste e levou mulher à UTI já se envolveu em outro acidente

Motociclista que teve exposição óssea na colisão de 2022 pede indenização contra Felipe Farfan Mazzini

Por Silvia Frias | 17/06/2024 10:44
Felipe Mazzini já havia se envolvido em outro acidente, em 2022 (Foto/Redes Sociais)
Felipe Mazzini já havia se envolvido em outro acidente, em 2022 (Foto/Redes Sociais)

Felipe Costa Farfan Mazzini, 27 anos, o condutor do carro que bateu em um poste na Avenida Afonso Pena, neste fim de semana, em acidente que terminou com passageira ferida em estado grave, é alvo de de ação por outra colisão, ocorrida em 2022. O autor do processo pede indenização por danos morais e estéticos, por ter ficado com lesões permanentes na perna esquerda.

O acidente ocorreu no dia 9 de julho de 2022, no cruzamento da Rua Clevelândia com Travessa Paraopeba envolvendo Felipe, que estava em um VW Gol e balconista de farmácia, de 26 anos, que estava em uma Honda Fan.

Na ação, protocolada em novembro daquele ano, consta que a moto foi atingida pelo VW Gol na rua Clevelândia. “O acidente ocasionou invalidez da parte autora (...) sofreu laceração do joelho esquerdo e exposição e contusão do cotovelo esquerdo”.

Local do acidente ocorrido no Aero Rancho; do lado esquerdo, o Gol usado por Felipe, retirado da rua (Foto/Reprodução)
Local do acidente ocorrido no Aero Rancho; do lado esquerdo, o Gol usado por Felipe, retirado da rua (Foto/Reprodução)

O boletim de ocorrência foi realizado com base o depoimento de Felipe, já que o motociclista foi levado para atendimento médico. Ele disse que estava na Rua Clevelândia, em sentindo contrário da moto, sendo atingido no lado do motorista do carro.

Porém, uma testemunha relatou à equipe da BPTRan (Batalhão de Policiamento de Trânsito) que o motociclista estava na Rua Clevelândia, sendo atingido por Felipe, que invadiu a rua preferencial, vindo da Travessa Paraopeba.

No boletim consta a observação de que não foi possível estabelecer a dinâmica do acidente foi Felipe retirou o veículo do local, segundo o condutor, por ordem dos socorristas do Corpo de Bombeiros.

Na ação, consta que o acidente aconteceu “devido total falta de atenção do réu”. No relatório de atendimento feito na Santa Casa, consta que o motociclista foi levado com “laceração e exposição óssea no joelho esquerdo”, levando a lesão permanente.

“O requerente sofre constantemente com as consequências do acidente, eis que convive permanentemente com as sequelas (...) Ademais, os danos estéticos suportados com muita dor e angústia pelo requerente também deverão ser levados em consideração (...), pois as sequelas resultantes do acidente ora noticiado lhes causam vergonha e constrangimento (...)”.

Na ação, porém, não constam novos documentos que detalhem a lesão permanente alegada. Os exames de raios-x anexados são do dia do atendimento, e não mostram a situação atual do rapaz.

No boletim de ocorrência, a versão apresentada por Felipe (esq) e a da testemunha (dir) sobre colisão em 2022 (Foto/Reprodução)
No boletim de ocorrência, a versão apresentada por Felipe (esq) e a da testemunha (dir) sobre colisão em 2022 (Foto/Reprodução)

À Justiça, o motociclista pede que seja calculada indenização por danos morais e físicos em valor não inferior a 100 salários mínimos, ou seja, de R$ 141,2 mil e verba distinta para danos estéticos, que não seja inferior a 50 salários de R$ 70,6 mil.

Também pede pensionamento vitalício, com base na expectativa de vida do farmacêutico, com base na idade de 76 anos, com base no salário do rapaz, de R$ 1.760,00. Na ação, também é solicitada que seja deferida produção de provas periciais e testemunhais, requerendo que seja realizada perícia médica com especialista em medicina do trabalho.

Sumiço – A ação tramita na 4ª Vara Cível Residual. Em dezembro de 2022, o juiz Juliano Rodrigues Valentim pediu designação de audiência para tentar acordo entre as partes, que foi agendada para 8 de março de 2023.

No dia marcado, autor da ação e Felipe não compareceram na audiência, sendo reagendada para 15 de maio daquele ano. Na nova data, Felipe não compareceu à Justiça.

A ação, ainda em tramitação, passou a tentar localizar Felipe em vários endereços, como antigos locais de trabalho, sendo que não consta que os oficiais de Justiça tenham conseguido localizá-lo.

Mais um – Felipe Farfan se envolveu em outro acidente na madrugada de domingo (16). Ele era o condutor do Chevrolet Corsa Sedan que bateu em um poste na Avenida Afonso Pena, próximo da Rua Terenos, no Bairro Amambaí.

A batida foi registrada por câmera de segurança de uma farmácia. No registro da ocorrência, consta que o veículo estava "com os pneus traseiros em péssimas condições de uso".

A passageira, Anne Caroline Né Barros, 25 anos, foi levada em estado grave para a Santa Casa. Felipe também precisou de atendimento médico após a colisão. No boletim de ocorrência, consta que a jovem não responde aos estímulos e família estaria aguardando abertura de protocolo para morte cerebral.

A assessoria da Santa Casa foi procurada para informar o estado de saúde dos dois feridos, mas não respondeu ao questionamento.

A reportagem tenta contato com Felipe Farfan ou familiares desde o acidente na Avenida Afonso Pena, mas ninguém foi encontrado.


Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias