A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018

25/01/2014 10:39

Justiça nega liminar para imediata retirada de pombos da rodoviária

Aline dos Santos
Pombos fazem morada no terminal rodoviário. (Foto: Defensoria Pública)Pombos fazem morada no terminal rodoviário. (Foto: Defensoria Pública)

A Justiça negou liminar para a imediata retirada dos pombos do terminal rodoviário de Campo Grande, localizado na avenida Gury Marques. A ação é movida pela Defensoria Pública, que alegou “iminente risco de saúde”.

As fezes dos pombos contêm fungos e bactérias e, depois de secas, liberam partículas que, se respiradas pelo homem, podem transmitir diversas doenças, como meningite e alergias.

O pedido era para imediato controle das aves, com métodos a serem informados pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), imediato afugentamento dos pombos e colocação de artefatos para impedir a permanência das aves no terminal.

Três motivos foram apontados para a infestação: oferta abundante de abrigo (grande quantidade de frestas que simulam perfeitamente o habitat natural das aves), grande quantidade de alimentos (lixo, restos, grãos, farelos) e ausência de predadores no ambiente urbano.

Na decisão, o juiz da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, Amaury da Silva Kuklinski, afirma que não existe fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação. “Haja vista que a exposição dos usuários, qualificados como consumidores, do local não ocorre de forma permanente, já que normalmente tais pessoas encontram-se de passagem pelo local, o que elimina a urgência”, salienta.

O magistrado também pondera que é feita a limpeza diária na rodoviária, amenizando os riscos dos usuários se contaminarem com as fezes das aves.



Esse juiz não pensa nos funcionários do local? Só nos passageiros?
 
Maria Lima em 25/01/2014 11:59:22
“Haja vista que a exposição dos usuários, qualificados como consumidores, do local não ocorre de forma permanente, já que normalmente tais pessoas encontram-se de passagem pelo local, o que elimina a urgência” Juiz Kuklinski, e as pessoas que lá trabalham e que ficam expostas ao problema diariamente e por horas, estas não contam?
 
Antonio Mazeica em 25/01/2014 11:23:09
Benza Deus esse Juiz hein???? Certamente ele nunca foi na rodoviária...
 
Andre Barros em 25/01/2014 10:54:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions