A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

28/12/2011 19:35

Lixão onde criança foi soterrada não tinha seguranças, afirmam catadores

Marta Ferreira e Viviane Oliveira
Lucilene Correia chora ao chegar no Lixão onde o filho foi soterrado (Foto: Simão Nogueira)Lucilene Correia chora ao chegar no Lixão onde o filho foi soterrado (Foto: Simão Nogueira)

O lixão da saída para Sidrolândia, em Campo Grande, onde um menino de 9 anos está sendo procurado, após ter sido soterrado pela montanha de lixo, está sem seguranças que impeçam a entrada de crianças, que é proibida. É o que informam trabalhadores que atuam no local.

O presidente da entidade que reúne os catadores de material reciclável do local, Daniel Arguelho, disse que o local está sem seguranças há mais de seis meses. Um outro catador, de 33 anos, que não quis se identificar, disse que são dois meses. Nesta tarde, a equipe do Campo Grande News* não encontrou ninguém na guarita do local.

Há divergências sobre quanto tempo já dura a falta de seguranças, mas os catadores são unânimes em dizer que, desde então, a presença de crianças, que já foi um sério problema, tem sido comum.

Hoje, segundo os trabalhadores disseram que havia 15 crianças, quando um caminhão despejou lixo, foi feita a compactação e uma parte da montanha de entulho caiu sobre o barranco onde estava o grupo.

A maioria das crianças escapou, mas dois meninos foram atingidos, entre eles Maikon Correia de Andrade, de 9 anos, que desapareceu.

Cerca de 15 homens, entre trabalhadores do lixão e militares do Corpo de Bombeiros trabalham nas buscas. Uma viatura do Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência), que tem um médico a postos, e policiais militares estão no lugar.

A busca, que começou manualmente, vai usar máquinas pesadas, para revolver o lixo e tentar encontrar a criança.

O Campo Grande News fez contato com a Financial, empresa que recolhe o lixo na cidade, onde ninguém atendeu aos telefones, e com a Prefeitura.

A informação da assessoria de imprensa é que a Prefeitura só vai se manifestar após receber informações do Corpo de Bombeiros e da Polícia sobre o que ocorreu no lixão.



meus pesames a familia desse menino.
 
paulo giovani em 29/12/2011 07:26:03
Lamentável o ocorrido com uma criança de 9 anos.
Já nesta idade num lixão, fazendo sabe lá o quê?
Que seja da prefeitura a responsabilidade, mas fazer o quê se o mandatário nem está ai?
Hoje é este garoto... amanhã é outro.
Qual o futuro dessas crianças?
E a dor dos pais?
Este é o retrato de nossa cidade... cheia de contrastes sociais... os que podem fazer algo, ignora a existência deles.
 
Paulo R. P. Arrieiro em 29/12/2011 02:51:52
- Atuei no lixão ha 13 anos atras, fiz todo o cadastro, pesquisa e, infelizmente até hoje a situação continua na mesma, com presença de crianças, drogas e prostituição. O Min. Público "mente' que atua e a prefeitura "finge" que cumpre o TAC. É muito triste.....só tem direito de falar quem realmente conhece a realidade destes catadores....
 
Sergio Correa em 28/12/2011 09:43:16
Triste demais...
 
Priscila Baggio em 28/12/2011 09:23:14
Se fosse obrigatório todos que enviam lixo para este local ir até lá apenas uma vez todo cidadão seria a favor de melhorias do local e de melhores condições para os catadores.
 
Leandro Vilar em 28/12/2011 08:44:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions