ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Lixão onde criança foi soterrada não tinha seguranças, afirmam catadores

Marta Ferreira e Viviane Oliveira | 28/12/2011 19:35
Lucilene Correia chora ao chegar no Lixão onde o filho foi soterrado (Foto: Simão Nogueira)
Lucilene Correia chora ao chegar no Lixão onde o filho foi soterrado (Foto: Simão Nogueira)

O lixão da saída para Sidrolândia, em Campo Grande, onde um menino de 9 anos está sendo procurado, após ter sido soterrado pela montanha de lixo, está sem seguranças que impeçam a entrada de crianças, que é proibida. É o que informam trabalhadores que atuam no local.

O presidente da entidade que reúne os catadores de material reciclável do local, Daniel Arguelho, disse que o local está sem seguranças há mais de seis meses. Um outro catador, de 33 anos, que não quis se identificar, disse que são dois meses. Nesta tarde, a equipe do Campo Grande News* não encontrou ninguém na guarita do local.

Há divergências sobre quanto tempo já dura a falta de seguranças, mas os catadores são unânimes em dizer que, desde então, a presença de crianças, que já foi um sério problema, tem sido comum.

Hoje, segundo os trabalhadores disseram que havia 15 crianças, quando um caminhão despejou lixo, foi feita a compactação e uma parte da montanha de entulho caiu sobre o barranco onde estava o grupo.

A maioria das crianças escapou, mas dois meninos foram atingidos, entre eles Maikon Correia de Andrade, de 9 anos, que desapareceu.

Cerca de 15 homens, entre trabalhadores do lixão e militares do Corpo de Bombeiros trabalham nas buscas. Uma viatura do Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência), que tem um médico a postos, e policiais militares estão no lugar.

A busca, que começou manualmente, vai usar máquinas pesadas, para revolver o lixo e tentar encontrar a criança.

O Campo Grande News fez contato com a Financial, empresa que recolhe o lixo na cidade, onde ninguém atendeu aos telefones, e com a Prefeitura.

A informação da assessoria de imprensa é que a Prefeitura só vai se manifestar após receber informações do Corpo de Bombeiros e da Polícia sobre o que ocorreu no lixão.

Nos siga no Google Notícias