A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

12/01/2011 14:10

No local, há desde restos de alimentos a seringas descartadas

Nadyenka Castro
Seringa e equipo de soro e outros resíduos chegam a lixão improvisado.(Foto: João Garrigó)Seringa e equipo de soro e outros resíduos chegam a lixão improvisado.(Foto: João Garrigó)

Lixo residencial, hospitalar, entulhos, carcaças de eletrônicos, restos de móveis e até de carne jogados em um matagal às margens do anel rodoviário, na BR-163, transformaram o local em um lixão irregular. Detalhe: o local fica em frente ao aterro sanitário municipal, onde é despejado oficialmente todo o lixo produzido pela população de Campo Grande.

O depósito de lixo paralelo acabou se transfomando em fonte de dinheiro para os adolescentes da comunidade Cidade de Deus, vizinha ao local, que recebem um “dinheirinho”, como dizem, para ajudar a retirar dos caminhões o que será despejado.

“Aqui não pode jogar lixo, mas é 24 horas o pessoal jogando. Chegam e despejam sem poder”, afirma a catadora de material reciclável Lucilene Camargo dos Anjos, 45 anos, que desde o ano passado vive na Cidade de Deus.

Lucilene mostra o lixão irregular. (Foto: João Garrigó)Lucilene mostra o lixão irregular. (Foto: João Garrigó)

A atitude irresponsável de muita gente transformou a vegetação em uma espécie de lixão paralelo ao oficial. Tem de tudo: seringas, latas de alimentos, restos de móveis em madeira, lixo residencial, garrafas pets, sofás, carcaças de produtos eletrônicos, vidros e carne vermelha.

“Caminhão da empresa que coleta o lixo não joga aqui. São as outras pessoas”, diz um homem de 30 anos, que há 10 vive e trabalha no local, e que preferiu não se identificar.

Entre o lixo, estreitas ruas foram abertas. E são por elas que passam os veículos, na maioria caminhões, que despejam o material. “Não pode jogar nada, nem entulho. Fazem isso e fica o cheiro ruim”, declarou uma moradora que não quis se identificar.

Crianças- O despejo de lixo e entulhos é garantia de lucro para crianças e adolescentes. O flagrante feito pela reportagem do Campo Grande News na manhã desta quarta-feira retrata o que acontece diariamente.

Crianças penduradas em caminhão para ganhar um troco. (Foto: João Garrigó) Crianças penduradas em caminhão para ganhar um "troco". (Foto: João Garrigó)

Três irmãos: de 10, 11 e 15 anos, se penduraram na traseira de um caminhão carregado com galhos de árvores, se misturaram em meio a eles e assim seguiram até o local onde seria feito o despejo. “Vamos ajudar a descarregar”, gritou um deles. “A gente ganha um dinheirinho assim”, revelou o irmão.

Sobre quanto iriam ganhar, eles responderam que depende do motorista e do serviço. Eles afirmaram que estudam, mas estão em férias, e que é comum “ajudar” no despejo de lixo.

Antes do “serviço”, os três estavam sentados em frente à rua estreita e afirmaram que os pais estavam dormindo. Um deles chegou a pedir dinheiro para a equipe de reportagem.



E essas crianças que são criadas no meio do lixo, só frequentam a escola pois precisam do Bolsa Familia, mas durante as ferias não tem nenhum prejeto no bairro para ocupa-las com esporte, arte e cultura. O prefeito poderia dar mais atenção a essa população carente, pois na rua durante tanto tempo, essas crianças e adolescentes aprendem a roubar, a usar drogas, se envolvem em crimes.
 
sheila rodrigues em 13/01/2011 10:03:21
A população´precisa tbm fazer a sua parte, a cidade já está feia, não é somente o poder público, todos precisam dar a sua parcela..já está demais o lixo.
 
Juares Spinosa em 12/01/2011 03:16:27
Lixão igual a esta existe na via que dá acesso ao Parque Residencial União e Oliveira, dos dois lados, é tão grande que pega na parte baixa do Bairro Caiçara e depois da ponte toda lateral do corrego até a outra pista, é tanto lixo que poucos dias após a prefeitura limpar já enchem de novo, tamanho o relaxismo de uns, é ao lado da obra feita pela prefeitura que deverá ligar a Duque de Caxias a região da Cophavila II

Poderiam dar uma solução definitiva para a região que já não aguenta tanto lixo, antes das obras da prefeitura haviam muitos barracos as margens do corregos e carroceiros que moravam e jogavam lixo ali, hoje eles mudaram, mas voltam diariamente jogar lixos com suas carroças, e também caminhões e carros de passeios usam o local para despejar lixos e animais mortos, uma vergonha ter um lixão desses a 10 minutos do centro de Campo Grande,precisamos de uma solução urgente, pois o IPTU esse ano na região veio altissimo
 
Maria Clara em 12/01/2011 02:55:18
Pra vocês verem: as pessoas que protestam pela presença do prefeito são as mesmas que jogam lixo onde não é permitido, são as mesmas que reclamam de por ter uma casa demolida por serem construidas em local indevido... Campo Grande: a cidade de dois pesoas e duas medidas.
 
Rita Maria Moreira de Campos em 12/01/2011 02:32:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions