A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/05/2013 08:38

Mãe de aluna agride outra pela 3ª vez dentro de escola pública da Capital

Nadyenka Castro e Viviane Oliveira
Menina de 12 anos teve a mãe agredida por mãe de estudante da mesma escola. (Foto: Marcos Ermínio)Menina de 12 anos teve a mãe agredida por mãe de estudante da mesma escola. (Foto: Marcos Ermínio)

Casos de agressão em escola assustam quando acontece entre alunos. A situação é mais revoltante quando envolve quem deveria educar o filho, ao invés de dar exemplo de violência.

Na tarde desta quarta-feira, uma mãe de uma estudante de 13 anos agrediu outra mãe de aluno, no pátio da Escola Estadual Padre José Scampini, na Coophavilla 2. A vítima precisou de atendimento médico e é o terceiro alvo da autora no colégio. A direção disse que irá acionar o Conselho Tutelar e o MPE (Ministério Público Estadual).

Há 17 anos trabalhando no colégio, o diretor-adjunto Jessier Baes de Meneses, afirma que as meninas são as que mais se envolvem em briga e, na maioria das vezes, têm notas baixas e sem acompanhamento dos pais da vida escolar.

Segundo a família da vítima, de 32 anos, e a direção da escola, a briga de hoje foi resultado de ‘perseguição’ que começou há cerca de um mês, após um concurso de teatro e música. As duas filhas da mulher agredida – de 12 e 14 anos – foram as vencedoras.

No início da tarde, a vítima foi levar a filha mais nova no colégio e quando entrou no pátio, foi abordada pela agressora. O marido da agredida conta que ela está com ferimentos na cabeça e arranhões por todo o corpo. “Eu estava no trabalho quando recebi ligação da minha esposa que já estava no posto de saúde. Ela disse que levou um chute na cabeça e chegou a desmaiar. Minha filha levou um tapa na cara”, fala o construtor de 47 anos.

A mulher foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros. Já a agressora, ficou na escola e justificou a lesão corporal ao diretor-adjunto, dizendo que se vingou das meninas batendo na mãe delas, em nome da filha. Na versão da mulher, a filha lhe contou que esbarrou na menina de 12 anos e a irmã não gostou e bateu nela.

O educador não acredita na versão da agressora e afirma que não houve nenhuma ocorrência envolvendo as três estudantes. Segundo Jessier, esta foi a terceira vez que a mulher bate em outras pessoas na escola e que ela só vai à unidade de ensino para brigar, e não para participar da vida escolar dos três filhos matriculados lá. Já a mãe agredida, acompanha a situação das duas filhas e ambas possuem notas boas.

Segundo o diretor-adjunto, a filha que não tem acompanhamento da mãe costuma se envolver em confusões na escola e já chegou a sair em anos anteriores. Conforme Jessier, a menina tem perfil das que geralmente causam problemas: é do Ensino Fundamental, não tem acompanhamento dos pais e as notas são baixas.

O responsável pelo colégio fala ainda que, em algumas vezes, as brigas de fora do colégio terminam lá dentro e têm relação ‘com namorados’.

O marido da mulher que foi machucada disse que pensa em trocar as filhas de escola caso a unidade de ensino não tome providências em relação às autoras. 

Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


A direção da escola tomou as providências pertinentes ao caso, para quem não tem conhecimento dos fatos é facil criticar, qual atitude tomar se a mãe em questão não é aluna da escola, e tal desavença vem de fora da unidade escolar, a unica solução que cabe a escola foi tomada, registrar um boletim de ocorrência policial e comunicar a promotoria publica.

 
Jessiermenezes@yahoo.com.br em 24/05/2013 22:28:39
Tadeu martinez,vc tem toda razão era assim mesmo, o DIRETOR da escola era AUTORIDADE, infelizmente hoje eles perderam essa autoridade, e são ABRIGADOS a engolir tudo dentro da escola, dessa mulecada mal educada, atualmente tá tudo errado. Nesse caso só a policia para resolver o problema da mãe, já as filhas conselho tutelar com certeza resolve também.
 
helena da costa andrade em 24/05/2013 21:41:29
Quem tem que sair da escola são os filhos da agressora, já que são alunas e mãe problemáticas, o que será dessas meninas com a falta de educação dos pais?
 
helena da costa andrade em 24/05/2013 21:21:06
tem que juntar uma turma e dar uma surra nela, pra ela aprender a respeitar os outros, por que infelizmente esperar pela justiça e bobagem, pois nao funciona nesse pais.
 
daniela dias em 24/05/2013 01:18:31
Que exemplo para as crianças, hem ? O pior de tudo é que a família agredida é que está pensando em mudar ! Claro, não tem nenhum tipo de punição para a agressora... Mais uma vez, ficou por isso mesmo !
 
Marcos Figueiredo em 23/05/2013 17:14:32
Se a mãe é desse jeito imagina o que essas crianças vão se tornar se continuarem sendo criadas por uma pessoa dessas???
È o cumulo do absurdo!!! Cade a direção da escola, na minha época tudo que acontecia dentro da escola era responsabilidade do diretor, mais hj parece q esta tudo jogado, virou a casa da Sogra... Tem que tirar essas crianças dessa louca pq eles ainda tem salvação, Agora pau q nasce torto morre torto! CADEIA NELA!!!!
 
Amanda Montagneri em 23/05/2013 13:44:18
Meu Deus!!!! Já é a terceira vez que a mesma mulher vai à escola para agredir pessoas, esta unidade escolar já demorou demais para tomar uma atitude com esta estudante e denunciar a "mae" que é agressora, por enquanto foram apenas freimentos e a mae agredida e suas filhas estao vivas, mas isso pode se agravar e fechar as portas para a realidade que se tem nas escolas hoje pode acabar em muitas mortes de pessoa de bem que querem ser alguém na vida.
 
Sarah de Castro Ovando em 23/05/2013 13:30:48
Hoje em dia está sendo comum esse tipos de coisas na escola, os professores , coordenadores e diretores, muitas vezes escondem fatos que acontecem na escola , só pra escola não ficar com má fama, ai quem acaba sofrendo as consequências , são os bons alunos que vão só pra estudar, infelizmente ainda tem pessoas desses tipos em todos os lugares.
 
walkiria alonso em 23/05/2013 12:53:23
PESSOAL PRA QUE ABRIR BOLETIM DE OCORRENCIA CONTRA ELA ????????????????
SÓ PRA GUARDAREM MAIS PAPELADAS NAS DELEGACIAS!!!!!!!!!!!!!!!!
SE NÃO MUDAREM O SISTEMA ATUAL, NÃO SERVIRÁ PRA NADA!
INFELIZMENTE SERIA O CERTO MAS NÃO É!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
idevaldo de jesus em 23/05/2013 12:18:11
É INTERESSANTE E ABSURDO OQUE VOU ESCREVER; CADE A DIREÇÃO DESSA ESCOLA?CADE OS COORDENADORES/?QUANDO ACONTECEU PELA PRIMEIRA VEZ JÁ ERA PARA TEREM TOMADO PROVIDENCIAS,FEITO BOLETIM DE OCORRENCIA INCLUSIVE EM CIMA DA DIREÇÃO TAMBÉM QUE NÃO FEZ NADA.NÃO DEVEM TIRAR AS ALUNAS BOAS DA ESCOLA NÃO,É SER EXPULSA ESSA ALUNA MALFEITORA E DENUNCIAR A MÃE DELA IMEDIATAMENTE.AONDE JÁ SE VIU,GENTE DE BEM PRESA E GENTALHA FAZENDO OQUE QUEREM!!! QUEREMOS JUSTIÇA!!!!!
 
sandra rojas de oliveira em 23/05/2013 11:22:52
Está explícito o motivo dos filhos dessa PRIMITIVA, serem o que são, nenhuma fruta cai longe do pé.
A DESIQUILIBRADA... têm que ser severamente punida, mas para que isso ocora realmente faz-se necessário o BO.
Concordo, com o colega leitor Tadeu Martinez, hoje professores e escola perderam totalmente o poder. Infelizmente, a coisa fica por conta dessa leis burras, falhas, omissas...que não ajuda em nada a pessoa correta, só beneficia EXTRATOS d porcaria como essa indivíua e sua cria. MAS ALGO É PRECISO FAZER, não dá para deixar a cobra solta sem punição.
 
Neyde de Oliveira em 23/05/2013 11:10:52
Vimos a poucos dias a "justiça" interferir e tirar do colo da mãe uma criança do alguns meses de vida. Alegando que a familia não tinha condiçoes de cria-la. Será que essa mãe marginal tem condições de criar e educar alguem? Cadê a mesma justiça que agiu contra a mãe e o bebe? Escola é espaço público a policia pode intervir sim, desde que queiram!!!
 
Klebber Silva em 23/05/2013 10:53:24
Mas que belo exemplo de mãe!
 
João Carlos Colli em 23/05/2013 10:25:40
O que eu acho interessante é a sequencia dos fatos, se é a terceira vez que esta cidadã tem tal atitude, será que foi punida? ou teve que responder de alguma forma seus atos anteriores? Se não houve nenhuma providencia das ultimas vezes que a mesma bateu ou brigou com alguém, este é o motivo desta agressão atual, muitas vezes as autoridades da escola age com certa inercia o que dá a entender que tudo bem, pode fazer de novo. Porque o conselho tutelar já não foi acionado??? Precisa ter vitima agredida ou até morta primeiro?
“A audácia dos maus, se alimenta da covardia e da omissão dos bons”.
 
Marineiz Rocha em 23/05/2013 10:19:02
ATE QUANDO A POLICIA VAI FICAR SEM AGIR? ISSO É AGRESSAO. ESTA NO CPB.VAMOS LÁ, PROCESSO NELA. SENAO, SEM LIMITES PROXIMO PASSO É MATAR ALGUEM.

 
LUCIANO MARQUES em 23/05/2013 10:14:46
Engraçado, "o marido da mulher mchucada" disse que a unidade de ensino tem que tomar provividências... E esse banana não vai tomar nenhuma providência? Faça um boletim de ocorrência e represente a autora do crime. Vê se pode!!!
 
João da Silva em 23/05/2013 09:56:12
terceira vez? e fica isso por isso mesmo?

 
marcel dos santos nobre em 23/05/2013 09:51:56
Se isso acontecesse com minhas filhas e esposa, eu daria um pau nessa vagabunda que ela nunca mais iria fazer isso com ninguém. Ah, mas não posso, tem a Lei Maria da Penha. Mas ela pode fazer o que bem entende e fica por isso mesmo???? Já é a 3ª vez que essa infeliz apronta e nada acontece e nem vai acontecer pelo jeito.
 
Anderson Garcia em 23/05/2013 09:43:51
Cadê o Conselho Tutelar? Tem que tirar a guarda dos filhos dessa agressora o quanto antes, ainda resta esperança de torná-los bons cidadãos, ao contrário da mãe, que é caso perdido e ainda merece cadeia.
 
Paulo Medeiros em 23/05/2013 09:36:35
Ah, mas tá que eu deixaria minhas filhas continuarem na escola onde a filha dessa mãe maluca também estudasse. Que, pessoa sem noção. Já é a terceira vez que ela agride pessoas na escola? E ninguém fez nada? Nâo foi tomada nenhuma providência para impedir novas agressões? Ela tá "poderosa" demais não é não.
 
Lourdes Arruda Santana em 23/05/2013 09:36:00
Falta de alguém chamar a polícia ou ir registrar um boletim de ocorrência contra essa pessoa por agressão. É triste ver que essa pessoa que deveria estar dando bom exemplo aos seus filhos haja de maneira truculenta e ignorante.
 
Daiane Akina em 23/05/2013 09:32:48
Prá que "acionar Conselho Tutelar e o MPE"???... Em outros tempos o diretor expulsava a aluna infratora a seu juízo e estava tudo resolvido... E as escolas eram maravilhosas... Já atualmente ...
 
Tadeu Martinez em 23/05/2013 09:16:41
Uma mulher dessas só para quando encontra alguém que enfia uma bala na cara dela ou quebra ela inteira na pancada...
 
Dário Silva em 23/05/2013 09:10:54
PORQUE NAO ABRIU UM BOLETIM DE OCORRENCIA?AI ESSA AGRESSORA VAI PAGAR PELO SEUS CRIMES,AO INVES DE CORRIGIR A SUA FILHA ,FICA PASSANDO A MAO NA CABEÇA AI VAI CHORAR MAIS TARDE,PORQUE A VIDA E UMA ESCOLA E SO TEM SUCESSO QUEM E APROVADO NELA,VAI CUIDAR DA SUA FILHA QUE SO ESTA CAUSANDO PROBLEMAS E SO TEM 13 ANOS JA PENSOU MAIS TARDE.OLHAS AS NOTAS DELA ISSO JA DEMONSTRA TOTAL FALTA DE RESPEITO E EDUCAÇAO ,E EDUCAÇAO VEM DE BERÇO.QUAL E O EXEMPLO QUE ESTA DANDO PARA A SUA FAMILIA?
 
Agnaldo Silva em 23/05/2013 09:09:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions