A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

18/01/2016 15:54

Mãe de suspeita de matar manicure diz à policia que filha confessou crime

Thiago de Souza e Alan Diógenes
Jeniffer Nayara foi morta com dois tiros e crime teria relação com cíumes e vingança. (Foto: Reprodução Facebook) Jeniffer Nayara foi morta com dois tiros e crime teria relação com cíumes e vingança. (Foto: Reprodução Facebook)

Uma das mulheres suspeitas de matar a manicure Jeniffer Nayara Guilhermete de Moraes, 22, confessou o crime para a própria mãe, segundo informações da Polícia Civil. O motivo, bem como a identidade da suspeita, no entanto, não foram informados pelo delegado Alexandre Evangelista, da 2ª Delegacia, que investiga o caso.

O homicídio estaria relacionado a ciúme e vingança, mas, como a polícia ainda está em diligências, detalhes são mantidos sob sigilo. Os investigadores também indicam ter havido a participação de uma terceria mulher no homicídio.

No total, seis pessoas prestaram depoimento ao delegado nesta segunda-feira (18), inclusive uma das suspeitas do assassinato, que alegou estar em outro local e com outra pessoa no momento do crime.

A informação da confissão veio do depoimento que a mãe de uma outra suspeita prestou à polícia. No momento a filha dela está foragida.

Segundo o delegado, a mãe da vítima, Lucimar Vieira Guilhermete, 39, foi ouvida novamente hoje e manteve a versão apresentada inicialmente, dando conta de que a filha foi fazer um serviço de manicure no Bairro Vida Nova I. A manicure teria recebido diversas ligações e entrou no carro com duas mulheres dizendo que iria resolver um desentendimento.

A polícia descartou a participação do marido da vítima, que recentemente reatou o relacionamento com Jeniffer.
Várias diligências estão sendo feitas na tarde desta segunda-feira em busca das suspeitas de participação no homicídio.

A polícia espera chegar até as suspeitas tendo como base as características do veículo GM Sonic, de cor branca e placas de São Paulo, no qual Jeniffer teria saído com as suspeitas momentos antes do crime.

O crime

Testemunhas afirmaram à polícia que Jeniffer Nayara fazia trabalho de manicure, na tarde de sexta-feira (15), quando teria recebido diversas ligações pelo celular de uma pessoa identificada como Gabriela Santos, que depois foi até a casa onde a vítima estava. A jovem, então, disse que resolveria um desentendimento e saiu com Gabriela em um veículo Sonic, de cor branca, com placa de São Paulo.

Depois disso, Jeniffer não atendeu mais o celular. Ainda de acordo com a testemunha, Gabriela estava acompanhada de outra mulher, conhecida como Aninha.

No local, também foram localizados um chinelo e um bilhete, que pertencia a vítima. O caso foi registrado como homicídio simples na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do Centro.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions