ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Marquinhos espera impulso a lojistas com reforma na antiga rodoviária

Parte do prédio pertence ao município e passará por revitalização de R$ 15,4 milhões

Por Tainá Jara e Fernanda Palheta | 30/12/2019 12:41
Rodoviária antiga tornou-se abrigou para moradores de rua e usuários de drogas (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)
Rodoviária antiga tornou-se abrigou para moradores de rua e usuários de drogas (Foto: Arquivo/Kisie Ainoã)

O prefeito Marcos Trad espera impulsionar aluguel e a venda de salas comerciais com a reforma de 11% do prédio da antiga rodoviária, localizada no Bairro Amambaí, em Campo Grande. Privado, o imóvel é dividido entre vários proprietários que, conforme o prefeito, já renegociaram impostos visando a valorização do espaço com a revitalização de R$ 15,4 milhões dos 4 mil m² pertencentes ao município.

Durante assinatura para formalização do repasse com a Caixa Econômica Federal, na manhã desta segunda-feira, o chefe do executivo lembrou que alguns dos cerca de 100 proprietários de salas do prédio da antiga rodoviária renegociaram dívidas do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) durante o Refis realizado em 2019. Para ele, o acerto de contas sinaliza interesse em investir no empreendimento. “O progresso vai chegar”, afirmou.

O abandono do prédio se agravou ao longo de quase dez anos, com a desativação do Terminal Heitor Eduardo Laburu e mudança de local para os serviços de transportes intermunicipais e interestaduais da Capital, para a Avenida Gury Marques, no Bairro Universitário. A estrutura de 25 mil metros quadrados de mais de 40 anos deteriorou-se ainda mais e tornou-se abrigo para moradores de rua e usuários de drogas.

Perspectiva de melhora também é compartilhada pela síndica do prédio, a comerciante Rosane Nely Lima. Ela afirma têm recebido muitas ligações nas últimas semanas de investidores interessados em comprar e alugar imóveis no local. “Esta ocupação vai ocorrer de forma natural a partir do momento que a prefeitura fizer isso [a reforma]”.

Ainda há divergência quanto a data para abertura de licitação e início das obras. O secretário municipal de Infraestrutura e Serviço Público, Rudi Fioresi, ainda precisa apresentar detalhes do projeto à Caixa antes de abrir a licitação, que deve ficar para o segundo semestre de 2020. Já o prefeito garante início das obras ainda no primeiro semestre do ano. Como 2020 é ano eleitoral, a transferências de recursos da União aos Estados e Municípios é vedada nos três meses antes dos eleitores irem às urnas.

O deputado federal, Fábio Trad, membro da bancada que viabilizou o recurso em Brasília também participou da assinatura do contrato hoje. “Não basta só destinar a emenda. Tem que lutar para o empenho dela”, ressaltou.

Prefeito assinou nesta segunda-feira contrato para repasse de R$ 15,4 milhões para reforma da antiga rodoviária (Foto: Fernanda Palheta)
Prefeito assinou nesta segunda-feira contrato para repasse de R$ 15,4 milhões para reforma da antiga rodoviária (Foto: Fernanda Palheta)

Central do IPTU – De acordo com a coordenadora de projetos estratégicos, Catiana Sabadim, a Central do IPTU, que atualmente funciona no Paço Municipal, irá para a antiga rodoviária, assim como repartições da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Emha (Agência Municipal de Habitação) e Guarda Municipal.

Sabadim ainda destaca que a revitalização vai englobar ao todo 7 mil m², pois a prefeitura ficará responsável por obras para ampliar as vagas de estacionamento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário