A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Janeiro de 2019

26/07/2017 17:42

Mayara foi espancada até a morte em motel por dupla que queria roubar carro

Trio foi preso pelo crime na tarde desta quarta-feira (26); entre os envolvidos está um músico, que teria um relacionamento com a jovem

Luana Rodrigues e Amanda Bogo
Anderson, Ronaldo e Luis Alberto, presos pela polícia. (Foto: Marcos Ermínio)Anderson, Ronaldo e Luis Alberto, presos pela polícia. (Foto: Marcos Ermínio)

Três homens foram presos pela morte da musicista Mayara Amaral, 27 anos, que teve o corpo parcialmente carbonizado, e foi jogada, sem vida, na região do Inferninho, em Campo Grande, nesta terça-feira (25). O crime teria sido praticado durante uma emboscada, preparada por dois dos envolvidos, no motel Gruta do Amor, saída para Rochedo.

De acordo com o delegado Tiago Macedo, um dos suspeitos, Luis Alberto bastos Barbosa, 29 anos, que também é músico, contou que tinha um relacionamento com a moça e combinou um encontro com ela no motel, por volta das 22h de segunda-feira (24).

Sem que a jovem soubesse, ele levou um amigo para o encontro, Ronaldo da Silva Moeda, 30 anos. No local, os dois teriam mantido relações sexuais com a jovem, segundo os suspeitos, com o consentimento dela.

Mas o plano da dupla era outro. Segundo o delegado, eles já haviam combinado de roubar o carro e outros pertences da moça, e depois assassiná-la. Quando ela percebeu a emboscada, tentou reagir, mas acabou morta.

Mayara teria sido espancada pelos dois homens até a morte. Depois disso, já na madrugada, eles colocaram o corpo dela no carro e partiram para casa de Anderson Sanches Pereira, 31 anos, amigo dos dois.

No endereço, ainda não revelado pela polícia, o trio teria chegado a enterrar o corpo da moça no quintal, mas voltou atrás e, para não levantar suspeitas, acabou decidindo levá-lo para a região do Inferninho, onde atearam fogo. 

Os três negam o crime, mas irão responder por latrocínio – roubo seguido de morte - e ocultação de cadáver.

Em apresentação à imprensa, Luis alegou que é usuário de drogas e não se lembra do que ocorreu, muito menos quem teria matado a jovem. Já os comparsas dele, disseram que não participaram do crime, apenas teriam combinado a compra do carro que era da jovem, por R$ 1 mil.

Versão contestada pela polícia, já que, segundo o delegado, foi o próprio Luis quem entregou o paradeiro dos "amigos", encontrados usando o carro da jovem, na região Central da Capital.

Luis é músico, baterista de uma banda, por isso teria se aproximado da vítima há cerca de um mês. Ele não tem passagem pela polícia. Já a profissão de Ronaldo e Anderson não foi divulgada. Os dois já foram presos por tráfico de drogas e furto, segundo o delegado. 

O delegado afirma que encerrará o inquérito no prazo de dez dias. Outras pessoas, incluindo amigos e parentes da vítima, serão ouvidas. 

Luis Alberto bastos Barbosa, 29 anos, é músico, assim como a vítima. (Foto: Marcos Ermínio)Luis Alberto bastos Barbosa, 29 anos, é músico, assim como a vítima. (Foto: Marcos Ermínio)
Ronaldo da Silva Moeda, 30 anos, teria planejado emboscada. (Foto: Marcos Ermínio)Ronaldo da Silva Moeda, 30 anos, teria planejado emboscada. (Foto: Marcos Ermínio)
Mayara foi encontra morta no começo da noite de ontem (Foto: reprodução/Facebook)Mayara foi encontra morta no começo da noite de ontem (Foto: reprodução/Facebook)

O caso - Mayara estava desaparecida desde segunda-feira (24), quando saiu com duas amigas para ensaiar com a banda. Ela teria sumido após brigar com o namorado.

Ontem à noite, a mãe dela procurou a polícia após receber mensagem - provavelmente de uma pessoa se passando pela vítima - dizendo: “Você está onde agora? Ele é louco mãe. Está me perseguindo. Estava na casa dele e brigamos feio”. O corpo já tinha sido encontrado, mas até então estava sem identificação.

A vítima foi localizada por moradores às margens da rodovia que dá acesso à cachoeira do Inferninho. De acordo com a delegada Priscilla Anuda Quarti Vieira, que atendeu a ocorrência, havia sinais de pancadas na cabeça da mulher. "Ainda não dá pra saber se foi uma pedrada ou uma paulada", disse.

O fogo que carbonizou parte do corpo de Mayara teria começado primeiro na mata e depois atingido a vítima, encontrada apenas de calcinha.

O incêndio na vegetação começou por volta das 16h. Uma hora depois fazendeiros que passavam pela estrada avistaram o corpo, que ainda estava em chamas. Eles, então, acionaram o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar).

- Matéria editada às 18h05, para acréscimo de informações

Homem é encontrado morto com mãos amarradas e enrolado em cobertor
Um homem ainda não identificado foi encontrado morto na manhã deste domingo (20) no bairro Nova Capital, em Campo Grande. O corpo estava com as mãos ...
Durante assalto em ponto de ônibus, vítima tenta fugir e é baleada na perna
Um homem de 34 anos foi baleado na perna na madrugada deste domingo (20), no bairro Nova Lima, em Campo Grande. Ele foi ferido após descer de um ônib...


Que absurdo, quanta monstruosidade ! Enquanto não houver a pena de PRISÃO PERPÉTUA (com trabalho forçado), para assassinos de mulheres, de crianças, para estupradores, pedófilos, torturados de crianças, sequestradores, esse tipo de vermes continuarão a proliferar em nosso País. Alguém acha que esses tipo de monstruosidade terá fim, sem que haja mudanças em nossas Leis Penais.
 
Ezequiel em 27/07/2017 08:54:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions