A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

20/10/2014 18:10

Menina morta em tiroteio era filha única e bisavó não soube de tragédia

Filipe Prado
A bebê foi sepultada no mesmo dia que a bisavó (Foto: Alcides Neto)A bebê foi sepultada no mesmo dia que a bisavó (Foto: Alcides Neto)

A menina Maria Clara Silva Santos, de dois anos e 11 meses, que morreu na noite de ontem no Jardim Batistão, em Campo Grande, era filha única e morava somente com a mãe, Luana Silva Santos, 19. A bisavó do bebê, Maria da Conceição Silva, 72, não soube da morte da bisneta antes de morrer. No entanto, segundo familiares, ela passou mal ao pressentir algo ruim com a bisneta.

Maria Clara e a bisavó foram sepultadas na tarde de hoje (20) no cemitério do Cruzeiro, na saída para Cuiabá. Os pais da criança não quiserem conversar com a imprensa, por que estavam “sem forças” e vão esperar a “justiça de Deus”.

A bisavó da menina passou mal horas antes do tiroteio e foi levado para a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Aero Rancho. Segundo um amigo da família, que não quis se identificar, Irene pressentiu que algo “ruim” iria acontecer com Maria Clara, então passou mal.

As duas foram sepultadas em locais diferente do cemitério. Durante o enterro, Luana abriu o caixão da filha e a beijou pela última vez, como uma forma de despedida.

Tragédia - A bebê Maria Clara Silva Santos foi baleada no peito e chegou a ser socorrida, mas morreu no posto de saúde do bairro Aero Rancho. A polícia apura se foi Marcos Antônio Reis Santos, 20 anos, ou Elvis Henrique Ortega Cheles, 21 anos, o autor do disparo fatal.

Os dois foram até uma casa, na Rua Israel, onde acontecia uma festa de aniversário. Ambos foram chamados por Gabriel Henrique Amorim Bernardo, 22 anos, que havia apanhado no local minutos antes após tentar agredir uma mulher, que seria ex-namorada dele.

Marcos e Elvis fizeram pelo menos 12 disparos que atingiram cinco pessoas. Ficaram feridos José Atanazio Soares, 80 anos, Heleno Escobar, 52 anos, Wanderson Escobar Soares, 27 anos, José Atanazio Escobar Soares, 29 anos, e Jorge Lhopes Barbosa, 52 anos.

Wanderson e Jorge estão internados na Santa Casa. Já José Escobar teve um ferimento superficial, recebeu atendimento médico e foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga. Há um mandado de prisão em aberto contra ele.

Marcos, Elvis, Gabriel e Douglas Aparecido de Oliveira Batista, 18 anos, motorista do carro que levou os atiradores o local do crime, foram presos e também estão na Depac Piratininga.

Luana foi amparada pelos familiares durante o enterro (Foto: Alcides Neto)Luana foi amparada pelos familiares durante o enterro (Foto: Alcides Neto)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions