A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/12/2011 20:10

“Minha família está um caco”, diz tio de jovem morta atropelada na Capital

Francisco Júnior

Jovem morreu atropela na noite de ontem na avenida Afonso Pena

Corpo está sendo velado na casa onde vítima morava com a avó. (Foto: Pedro Peralta)Corpo está sendo velado na casa onde vítima morava com a avó. (Foto: Pedro Peralta)

Muito abalado e com lagrimas nos olhos, Antônio João Larrea Barcelos, 41 anos, tio de Alessandra Larrea Barcelos da Silva, 25 anos, morta atropelada na noite de ontem (20), no centro de Campo Grande, disse que sua família vai demorar a superar essa perda precoce e trágica. “Estamos um caco. Nem um cachorro merece morrer desse jeito”, afirmou.

Esta é segunda tragédia que abala a família em pouco mais de um mês. No dia 19 de novembro, o irmão de Alessandra, Luiz Antônio Larrea Barcelos da Silva, morreu aos 21 anos, também vítima de acidente de trânsito. A moto que ele conduzia foi atingida por um carro Ecoesport. O rapaz chegou a ser socorrido para a Santa Casa, mas não resistiu e morreu. “Há 30 dias perdemos uma pessoa muita querida e agora 30 depois mais um que vamos ter que enterrar”, disse chorando o tio.

Alessandra voltava do trabalho, nas Lojas Americanas, quando foi atropelada na avenida Afonso Pena, por um táxi, conduzido por Aparecida Dantas dos Santos, 42 anos.

Emocionado, ele lembra como a sobrinha era querida pelos amigos e parentes. “Ela entrou no emprego há um mês e fez um monte de amigos. Era uma pessoa muito determinada, muito competente. Vai fazer muita falta para nós”.

Para Antônio Larrea, o acidente que vitimou sua sobrinha foi provocado por "pura imprudência” da condutora do táxi. “ Minha sobrinha estava atravessando na pista e vem a motorista e faz uma coisa dessas. As pessoas deveriam olhar com mais carinho para seus semelhantes”.

Ele defende uma punição mais severa para quem comete infrações no trânsito. “ É preciso multas mais altas, prisões para que muitos motoristas se conscientizem da necessidade de se ter prudência no trânsito”, afirmou.

Ele é pessimista quanto à punição para a condutora do carro que atropelou sua sobrinha. “ No máximo vai pagar cinco cestas básicas”.

O velório de Alessandra está sendo na casa onde ela morava com a avó, no Jardim Presidente. O sepultamento será às 8h30 de amanhã no cemitério Memorial Park, em Campo Grande.



Que Deus possa confortar esta família, a perda de alguém querido é muito dificil de superar, ainda mais quando em acidente.
Perdi minha avó num acidente de transito em 2009 e o motorista até hoje dirige por ai. A impunidade é geral, basta olharmos pro lado e veremos politicos corruptos, ladroes, assassinos e muitas vezes nada acontece.
O cara que atropelou minha avó, tá ai, se divertindo!
 
Fernanda Rigo em 22/12/2011 08:41:10
nao e bem assim como disse o companheiro o indice de acidente de taxi e muito baixo
todos tem muita prudencia e cautela isso que aconteceu foi uma fatalidade que deus conforte o coracao dessa familia mais que nao queirao crusificar a motorista oucam a versao dela primeiro obrigado..............
 
roberto carlos batista de deus em 22/12/2011 05:00:29
Taxi só anda em Alta Rotação..Eles chegam atraz de motoqueiro só falta passar por cima..e ai de vc que ñ abra caminho p eles passarem..Eles são pior que motoboy...
Motorista de Onibus tb são mesma Coisa.eu não sei o que anda acontecendo com as Pessoas ..
Tinha k dificultar muito p quem quiser tirar habilitaçao..Fazer Milhoes de Exames..des da Cabeça dos dedos do pés ate os cabelos ...
 
Fábio Souza em 21/12/2011 09:51:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions