ACOMPANHE-NOS    
FEVEREIRO, SÁBADO  27    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Ministério Público vai acompanhar passo a passo vacinação no Estado e na Capital

MS recebeu ontem as primeiras doses do imunizante fabricado na China, a CoronaVac, totalizando 158 mil

Por Lucia Morel | 19/01/2021 15:22
Frasco com 10 doses da CoronaVac nas mãos de profissional de saúde na Capital. (Foto: Denilson Secreta/Prefeitura de Campo Grande)
Frasco com 10 doses da CoronaVac nas mãos de profissional de saúde na Capital. (Foto: Denilson Secreta/Prefeitura de Campo Grande)

Além do passo a passo da vacinação contra covid-19 em Mato Grosso do Sul, o MPMS (Ministério Público Estadual) também quer saber sobre o estoque de agulhas e seringas a serem usados no processo. Isso, para que não haja falta desses produtos durante a campanha que não tem data para acabar.

O Estado recebeu ontem as primeiras doses do imunizante fabricado na China, a CoronaVac, totalizando 158 mil. Grupos prioritários, como profissionais de saúde, idosos e indígenas serão os primeiros a receberem a vacina.

Procedimento administrativo foi publicado hoje pela 32ª Promotoria de Justiça da Saúde, da promotora Filomena Fluminhan. Segundo o documento, a medida visa atender o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a covid-19, que estabelece que a população estará segura quanto à circulação do vírus somente quando a vacinação atingir 70% das pessoas.

A publicação leva em conta ainda notas da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia) e da AMB (Associação Médica Brasileira), que defendem a vacinação e enfatizam que a vacina do Instituto Butantan diminui em 50% a chance de qualquer pessoa ter qualquer sintoma leve e 78% os demais sintomas (moderados e graves).

As entidades se posicionam ainda a favor da urgência na iniciação da vacinação no Brasil, a fim de evitar mais mortes causadas pela doença.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) foi questionada no procedimento e tem cinco dias para responder sobre o estoque suficiente de insumos estratégicos (agulha e seringas) que estará a cargo dos Estado; o escalonamento da vacinação contra a covid-19 em grupos prioritários; e quais os critérios utilizados para separar os grupos prioritários em cada uma das fases e a comprovação das comorbidades.

Para a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), o MP pede informações sobre a disponibilidade do sistema eletrônico de cadastro, acompanhamento e gerenciamento de vacinas e respectiva estratégia que será adotada para o controle das doses; as condições de armazenamento das vacinas; a estimativa do quantitativo de pessoas dos grupos prioritários para a vacinação no município; e se estes grupos estão regularmente informados junto à Secretaria de Estado de Saúde.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário