A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/08/2013 16:11

Morador usa Facebook para reclamar de esgoto a céu aberto em bairro da Capital

Bruno Chaves
Na Rua Catiguá, o problema também é frequente (Foto: Reprodução/Facebook)Na Rua Catiguá, o problema também é frequente (Foto: Reprodução/Facebook)

O autônomo Luiz Araújo Sobrinho, de 34 anos, criou página no Facebook para denunciar a situação de insalubridade em que os moradores do Conjunto Habitacional Paulo Coelho Machado vivem: esgoto a céu aberto e vazando dentro de casa. Segundo Luiz, o problema é antigo e já chegou até o conhecimento do MPE/MS (Ministério Público Estadual).

Há 10 anos morando na Rua Odilon de Souza Nogueira, Luiz conta que o problema sempre existiu. No entanto, há cerca de três anos, com a instalação do residencial da construtora Homex, tudo piorou. “O bairro inteiro sofre, quando o esgoto não estoura em uma rua, estoura na outra ou dentro de casa. Quando isso acontece, fica um rio de esgoto”, afirma.

Para que o problema fosse sanado, no início de 2011, o morador fez um abaixo assinado e protocolou reclamação no MPE e na concessionária de água do município. Pouco tempo depois, no dia 15 de março de 2011, as duas instituições deram um prazo de até 30 dias para que a rede coletora fosse contornada.

“Eles vieram, colocaram válvula de contenção para o esgoto não escorrer para dentro de casa. Mas em vez de entrar, ficou vazando na rua”, explica.

Luiz citou a falta de planejamento na região como causa do problema enfrentado. Ele contou que o lençol freático do bairro é superficial. “Se perfurar alguns centímetros já encontra água. Quando a prefeitura mandou instalar o esgoto não fizeram rede de captação de água e nem asfalto”, reclama.

Com as chuvas, areia e pedra entram na rede e agravam a situação, de acordo com o morador.

Diversas tentativas de conserto na rede coletora foram frustradas. Depois de saber da situação dos moradores, o vereador Eduardo Romero (PT do B) protocolou ofício no MPE/MS para que as causas do vazamento do esgoto sejam apuradas.

Enquanto o problema não é resolvido, Luiz promete fazer novo abaixo assinado para pressionar as autoridades competentes a resolverem a situação do Residencial Paulo Coelho Machado, que fica na região sul da cidade.

Na página do Facebook, o morador publica fotos e informações sobre a falta de saneamento básico que a população local é obrigada a suportar.

A empresa Águas Guariroba, concessionária de saneamento, disse que ainda não foi citada pelo MPE para se pronunciar. No entanto, a empresa garantiu que a rede pública de esgoto está funcionando normalmente.

Ao MPE, a concessionária informou que as “causas do problema advêm do mau uso das referidas redes pelos próprios usuários, que nelas lançam resíduos sólidos e fazem conexões indevidas das tubulações de águas pluviais, sobrecarregando-as”.

Multa à Homex - A denúncia de que a empresa mexicana Homex implantou condomínios sem rede de esgoto no bairro Paulo Coelho Machado, inclusive com lançamento dos detritos nas ruas, a céu aberto, acabou provocando atuação de fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), multando-a em R$ 4.516,00.

Na notificação, em razão dos esgotos domésticos dos condomínios que fazem parte do loteamento Varandas do Campo, a Semadur descreveu a seguinte irregularidade: “Iniciar ou prosseguir em operação empreendimento ou atividade sem licença ambiental” e com “potencial poluidor” classificado como “médio”. A rede de esgoto dos condomínios não está ligada na rede pública coletora.



Concordo com a reclamação, mas muitos moradores encanam a água da chuva para o esgoto e, isto é contra Lei. Existe uma Lei, que se comprovado pelas águas guariroba,o encanamento de águas da chuva para o esgoto, o mesmo pode ser multado. As águas deveriam verificar o bairro Paulo Coelho e Mário Cóvas, o quanto antes.
 
Mirtes Lourenço Camilo em 20/08/2013 18:27:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions