A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

11/08/2015 18:08

Moradores do Indubrasil sofrem com onda de assaltos e pedem segurança

Michel Faustino
Moradores estão sofrendo com a ação dos bandidos. (Foto: Vanessa Tamires)Moradores estão sofrendo com a ação dos bandidos. (Foto: Vanessa Tamires)

Moradores do Bairro Indubrasil estão preocupados com a onda de assaltos que vem atingindo a região nos últimos meses. Segundo os relatos, somente nos últimos três dias, 12 pessoas foram rendidas e tiveram seus pertences roubados por criminosos armados.

Segundo a estudante Camila Machado, 23 anos, nas últimas duas semanas a situação piorou e os bandidos começaram a agir também em plena luz do dia.

“Só esse fim de semana a gente ficou sabendo que assaltaram uma sorveteria e entraram também em uma casa e roubaram tudo. Pra se ter uma ideia, assaltaram até um pessoal que estava no campo de futebol jogando. Chegaram em uma moto, anunciaram o assalto e levaram celular de todos”, disse.

Conforme a estudante, a situação também se complica ao entardecer, horário em que há um fluxo grande de pessoas chegando do trabalho.

“É complicado também porque tem rua que a iluminação é precária e isso contribui para a ação dos bandidos. A maioria dos casos que a gente sabe aconteceu aqui nestes últimos meses foi de gente que estava chegando do serviço e foi abordada por ladrões que geralmente estão de moto e quase sempre armados”, comentou.

 

Dona de casa diz que não se sente segura mais em ficar em frente de casa. (Foto: Vanessa Tamires)Dona de casa diz que não se sente segura mais em ficar em frente de casa. (Foto: Vanessa Tamires)
Vendedor pede mais policiamento. (Foto: Vanessa Tamires)Vendedor pede mais policiamento. (Foto: Vanessa Tamires)

A dona de casa Glauceli de Freitas, 43 anos, diz que hoje os moradores se sentem refém da violência e é impossível ficar em frente de casa tranquila, principalmente durante a noite.

“Antes a gente ficava sentado aqui na calçada e não tinha perigo nenhum. Hoje a gente tem que ficar esperto. Qualquer movimentação a gente já fica meio assim, com medo. Eu graças a Deus nunca fui assaltada, mas pelo que já ouvi do pessoal aqui eles (assaltantes) não perdoam mesmo. Te ameaçam com arma pra roubar qualquer coisa sua”, disse.

Glauceli lembra que no bairro existe um posto policial, no entanto, que é guarnecido de apenas um policial militar, que fica impossibilitado de atender a demanda da região. Segundo ela, a falta do policiamento ostensivo contribuí para a ação dos criminosos.

“Quase nunca passa viatura da polícia aqui. É muito raro. E isso deixa a gente inseguro né, porque quando acontece alguma coisa a gente liga para a polícia e eles demoram pra chegar e dificilmente resolve”, comentou.

Para o vendedor Daniel de Souza, 67 anos, somente a presença da policia poderia inibir a ação dos bandidos.

“Eu acho que tinha que ter mais polícia na rua. Ai esses bandidos ai só de ver uma viatura não ia nem ficar circulando e a gente também poderia ficar mais tranquilo, mas a gente sabe que não é bem assim né”, lamentou.

Falta de efetivo - O coronel Francisco de Assis Ovelar, comandante do Comando de Policiamento Metropolitano, reconhece que existe problemas para “cobrir” a região do Indubrasil por conta da falta de efetivo.

No entanto, Ovelar ressalta que a PM tem feito o trabalho ostensivo na região, que segundo ele, não é classificada como uma “zona de risco”, por conta da baixa incidência de violência, quando se comparado com outras regiões da cidade.

Mesmo assim, o coronel garantiu que o policiamento ostensivo será intensificado, na medida do possível.

Posto policial funciona apenas com um agente. (Foto: Vanessa Tamires)Posto policial funciona apenas com um agente. (Foto: Vanessa Tamires)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions