A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/01/2014 21:44

Motel indenizará mulher por invasão de quarto por ex-amásia de namorada

Josemil Arruda

Um motel da Capital foi condenado a pagar R$ 2.500,00 de indenização por danos morais à uma mulher que se hospedou no local e teve o quarto ameaçado de invasão pela ex-companheira de sua namorada. A mulher, de iniciais R.C. dos S., ingressou com ação judicial e obteve sentença favorável do juiz da 2ª Vara Cível de Campo Grande, Marcelo Câmara Rasslan.

Embora só agora o processo tenha sido julgado, a mulher entrou com a ação há quatro anos, logo após a ocorrência da situação vexatória. No dia 29 de julho de 2008, quando estava em um dos quartos do motel com sua namorada, a ex-companheira dela invadiu o quarto muito nervosa, xingando e fazendo ameaças.

Segundo a autora da ação, a ex-companheira entrou no quarto por meio da pequena janela utilizada para fazer o acerto dos valores. Para ela, a invasão aconteceu por falta de segurança no motel. Ao pedir a indenização, alegou que o fato causou dissabores e constrangimentos, pois ganhou repercussão, causando vexame e ofensa a sua honra.

Em sua defesa, o Motel argumentou que tem um esquema de segurança, mas a pessoa que invadiu o quarto hospedou-se como cliente e agiu de maneira rápida e silenciosa e que não pode ser responsabilizado por tal conduta.

O juiz Marcelo Rasslan considerou que não houve comprovação, no processo, da efetiva invasão ao quarto. Constatou haver apenas depoimentos de testemunhas afirmando que havia uma pessoa esmurrando a porta e gritando, e que a autora ligou para a recepção do motel pedindo que fosse verificado quem estava na porta perturbando.

Embora a gravidade ter sido menor do que a afirmada pela reclamante, o juiz entendeu que houve sim dano moral. “Apesar dos fatos devidamente comprovados não terem sido tão graves quanto os narrados na inicial, configura-se a perturbação da requerente por terceiro, em local que deveria ter sua privacidade resguardada”, afirmou o magistrado na decisão.

Para o magistrado ficou evidenciado o erro na vigilância do Motel, que não impediu a autora de ser constrangida em momento íntimo, de modo que deve arcar com as consequências de sua negligência, indenizando a vítima.

 

 



Sr Gilson e Sr Thairo, de fato os senhores estão parados no tempo! Ou seria mais correto dizer que os senhores estão sendo falsos-moralistas, criticando os outros e esquecendo de olhar a si próprios? Acredito que esta segunda definição é mais cabível! Faça me o favor! E essas afirmações feitas pelos senhores tem cunho preconceituoso sim! Se bem que isso é comum à pessoas com pensamentos (e atitudes) lamentáveis! E o casal em questão é normal! O que não é "normal" são pessoas que se dizem "dotadas de inteligência" agirem como seres irracionais!
 
Ricardo Boretti em 10/01/2014 08:54:29
Gilson vc tem todo direito de dar sua opinião, esses... rapazes te chamando de preconceituoso e eles o que são, já que acham que só a opinião deles é válida?
 
Karina Lopes em 09/01/2014 20:48:21
Comentário infeliz o de Gilson Giordano... BTW, "cruz, credo" sim, parece ser exclamação de franguinha exaltada. Faltou apenas relatar o "nojinho" da biba...kkkk
Fica na sua, meu. Cada um vai ao motel com quem quer... Palhaço.

Parabéns ao juiz aí, no caso.
 
Alexandre Labatut em 09/01/2014 15:08:24
hahahaha, é isso ai Gilson... Em nenhum momento você discriminou ninguém, apenas expôs sua opinião... Não vejo ofensa a nenhum homosexual.
 
Thairo Barbosa em 09/01/2014 13:52:41
Sr Gilson, quanto preconceito, heim??? em que século o Sr. vive???
Engraçado, tudo que temos hoje: Pedófilo, homossexuais,etc...sempre existiu desde que o mundo é mundo, não entendi o ESPANTO. Antigamente era tudo REPRIMIDO, com o passar dos anos as mentes foram abrindo-se, mas infelizmente alguns continuam na época da pedra.
Quanto aos Pedófilos, que existia aos montes no passado e não eram punidos, hoje graças a DEUS são preso e punidos. Já homossexualidade não é CRIME, apenas uma orientação diferenciada, que devemos respeitar e pronto,
 
Juan Charlymoon em 09/01/2014 12:44:11
Qual o problema Sr. Gilson, de duas mulheres frequentarem um motel? É proibido?
O sr. deveria ter vergonha de em 2014 expressar publicamente sua opinião homofóbica. Isso é CRIME!
Meus parabéns Juiz Marcelo Rasslan, como sempre, realizando um excelente trabalho!
 
Paulo Cruz em 09/01/2014 10:27:12
Cuidado Sr. Gilson Giordano com suas opinioes discriminatórias em público, pode levar um processo em virtude disso, se não está atualizado ou é "machista" problema é seu, mas dai pra se manifestar em público e cometer discriminação é outra coisa.....não sou homo....mas achei sua opinião muito infeliz para o contexto atual....se olhe um pouco mais...
 
joel pereira em 09/01/2014 10:24:37
Peraí..será que eu li errado? Rsrsrsrsrs kkkkkkk só rindoi mesmo viu? Na matéria aparecem apenas: mulher, namorada, ex-namorada.. é isso mesmo? Ué, mas normalmente em se tratando de Motel os personagens lógicos e normais, não deveriam ser um HOMEM E UMA MULHER? Putzz.. tõ mesmo super ultrapassado..... isso é é o tal do tempo moderno..... kkkkkk eu, hein? Cruz, Credo... logo logo também estarei lendo que no quarto de um motel na Capital (ou até mesmo no Estado), um Homem invadiu o quarto ao ver que o seu NAMORADO estava com um outro Homem....
 
Gilson Giordano em 09/01/2014 09:09:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions