ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  01    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Motorista que invadiu garagem e fugiu responde por porte ilegal de pistola

Até abril deste ano, ele era monitorado por tornozeleira eletrônica e tinha horário para estar em casa

Por Geisy Garnes e Ana Oshiro | 22/06/2021 12:01
Entrada da Garagem ficou destruída após invasão de carro (Foto: Marcos Maluf)
Entrada da Garagem ficou destruída após invasão de carro (Foto: Marcos Maluf)

O motorista que invadiu garagem de veículos na rua Joaquim Murtinho, no Jardim Bela Vista, na noite desta segunda-feira (21), em Campo Grande, responde na Justiça por porte ilegal de arma. Até abril deste ano, ele era monitorado por tornozeleira eletrônica e tinha horário para estar em casa todos os dias da semana.

Aos 30 anos, o motorista acabou preso em flagrante em setembro de 2020, quando foi flagrado com pistola calibre 380, no Jardim Monumento. Os policiais responsáveis pela apreensão relataram ter ouvido tiros enquanto faziam rondas pelo bairro e assim chegaram a casa do suspeito.

Moradores viram a polícia no local e relataram que o morador “sempre atirava”. A pistola foi encontrada escondida debaixo do fogão. Indagado, o homem afirmou apenas que gostava de armas. Na Justiça contou outra versão: disse ter recebido a pistola como pagamento de carro no valor de R$ 3 mil.

Em audiência de custódia ganhou a liberdade sob condição de permanecer em casa das 21h às 6h durante a semana e aos fins de semana das 18h às 6h, além de usar tornozeleira eletrônica.

No mês de abril de 2020, a tornozeleira foi desativada, mesmo com o Ministério Público defendendo o contrário. Não houve revogação, no entanto, do “toque de recolher” estipulado pela justiça.

Fato novo - Nesta segunda-feira (22), já eram mais de 22 horas quando o mesmo homem perdeu o controle da direção do Gol e invadiu  garagem de veículos na rua Joaquim Murtinho. Esse horário também já havia ultrapassado o limite permitido pela prefeitura para circulação de pessoas nas ruas de Campo Grande, por conta da pandemia do coronavírus.

Três veículos que estavam estacionados e expostos para venda foram atingidos. "Ele entrou voando por aqui, destruiu tudo", disse a empresária Vanessa Auto, uma das responsáveis pelo local.

Segundo a empresária, quando chegou ao estabelecimento viu motorista dentro da ambulância, “agitado e negando atendimento”. Seu estado de saúde, no entanto, era delicado. Segundo a Santa Casa, unidade para onde foi levado, o paciente deu entrada com lesões graves e traumatismo cranioencefálico, mas ainda assim fugiu do hospital pouco depois.

Ecosport ficou com motor no chão depois de ser atingida por Gol (Foto: Marcos Maluf)
Ecosport ficou com motor no chão depois de ser atingida por Gol (Foto: Marcos Maluf)

A suspeita é que ele tenha bebido antes de dirigir. Na Santa Casa chegou a confessar o crime, mas não deu detalhes da quantia ou o que teria acontecido.

O processo sobre o porte de arma está na fase de alegações finais e pode ser afetado pelo acidente desta noite. Cometer qualquer tipo de infração pode fazer com que o suspeito volte a usar tornozeleira ou seja preso novamente.

Prejuízo – O prejuízo total ainda não foi contabilizado, mas só com os carros atingidos a proprietária estima que gastará ao menos R$ 61 mil. "A Ecosport possivelmente deu perda total, o motor tá no chão, ela é avaliada em R$ 55 mil. Com o Celta eu devo gastar mais R$ 5 mil e o Uno, que foi menos atingido, acho que mais R$ 1 mil", explicou a empresária, que ainda disse que a loja não tem seguro e que não sabe ainda quanto custará para arrumar a entrada da loja.

A garagem de veículos está funcionando normalmente nesta terça-feira e os proprietários se dividem em resolver a situação do acidente e atender os clientes.



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário