ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 29º

Capital

MP acompanha implantação de nova ferramenta de regulação de leitos da Capital

O projeto está em fase de finalização e não terá custos para o município devido a parceria com universidade

Lucia Morel | 23/09/2022 18:03
Projeto do Hospital Vó Honória Martins Pereira - Day Clinic. (Foto: Reprodução prefeitura)
Projeto do Hospital Vó Honória Martins Pereira - Day Clinic. (Foto: Reprodução prefeitura)

Em parceria com  o LAIS/UFNR (Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte), a Prefeitura de Campo Grande está prestes a implantar o Regula Campo Grande, que é um sistema de gerenciamento de leitos, segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

A implantação do serviço está sendo acompanhada pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul através da 32ª Promotoria de Justiça, que também abriu procedimento para fiscalizar a implantação do Hospital Vó Honória Martins Pereira - Day Clinic, nas Moreninhas.

Conforme a Sesau, com o Regula Campo Grande será possível visualizar todos os leitos disponíveis na Capital, “bem como o seu status, se disponível ou não, e eventuais encaminhamentos”. A ferramenta será de uso interno, mas também estará acessível aos órgãos de controle, como o MPMS.

O projeto está em fase de finalização e não terá custos para o município devido a parceria com a universidade do Rio Grande do Norte.

Hospital – para o hospital, ainda não há previsão de que obras comecem ou que a obra seja entregue. O estabelecimento ocupará espaço do antigo Hospital da Mulher, das Moreninhas, fechado em 2016 pela Vigilância Sanitária.

O projeto está orçado inicialmente em R$ 15 milhões e prevê a disposição de um complexo de três salas cirúrgicas, uma sala de recuperação pós-anestésica com quatro leitos, 18 leitos de internação temporária, três de estabilização e quatro salas para exames diagnósticos (raio-x, ultrassom, tomografia, colonoscopia e endoscopia).

Além disso, deverá contar com salas para gesso, central de material e esterilização, curativo, de indução e recuperação pós anestésicos, consultórios, farmácia, serviço social, e salas administrativas e banheiros com acessibilidade.

Nos siga no Google Notícias