A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Setembro de 2017

26/10/2016 10:15

MPE cumpre mandados de busca e apreensão na sede da Agetran

Órgão investiga multas aplicadas por equipamentos sem manutenção

Yarima Mecchi
Entrada da Agetran, em Campo Grande; local é alvo de diligência do Ministério Público nesta quarta-feira (Foto: Julia Kaifanny)Entrada da Agetran, em Campo Grande; local é alvo de diligência do Ministério Público nesta quarta-feira (Foto: Julia Kaifanny)

O MPE (Ministério Público do Estado) cumpre na manhã desta quarta-feira (26) mandados de busca e apreensão na sede da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), em Campo Grande. A ação faz parte da investigação feita pelo órgão sobre supostas cobranças indevidas feitas por radares que estavam com o selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) vencido entre 2015 e 2016.

A ação é da 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público de Campo Grande e tem o apoio da assessoria militar do MPE. Os documentos apreendidos deverão embasar as medidas judiciais para questionar a legalidade das autuações e responsabilizar os envolvidos.

Deferido pelo juiz Marcelo Ivo de Oliveira, da 1ª Vara de Direitos Difusos e Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, a ordem de busca e apreensão tenta achar documentos contendo a relação de todos os aparelhos utilizados para a aplicação de multas no âmbito em Campo Grande nos últimos 5 anos, bem como comprovantes de aferição técnica pelo Inmetro.

De acordo com nota divulgada pelo MPE, a Agetran teria lavrado, entre os anos de 2015 e 2016, diversas multas de trânsito a partir de radares com a aferição pelo Inmetro vencida, o que vai contra uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito.

Em agosto a promotoria recomendou que o Município de Campo Grande e a Agetran, enviasse documentos relacionados aos radares e as multas aplicadas nos anos de 2015 e 2016. Ainda segundo o MPE a prefeitura se limitou em informar a inexistência de equipamentos com aferição vencida, deixando de enviar a documentação requisitada pela promotoria, o que motivou a ação no dia de hoje.

Agetran se omite sobre calote em empresa de radares
Radares off – A Prefeitura de Campo Grande, na atual administração, tem dessas coisas. No dia em que praticamente todos os radares e lombadas eletrôn...
Campo-grandense perde R$ 1,9 mil ao cair em golpe do “falso parente”
Criminosos fizeram mais uma vítima do golpe do “falso parente”, desta vez, uma mulher de 35 anos, moradora do jardim monumento, em Campo Grande, perd...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions