A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

29/09/2011 10:31

Promotora de Justiça estabelece prazos para viabilizar consulta de enfermagem

Vinícius Squinelo

O MPE/MS (Ministério Público Estadual), por meio da promotora de Justiça de Saúde Pública, Sara Francisco Silva, determinou um prazo de 15 dias para que a Sesau (Secretaria de Saúde de Campo Grande) publique a normatização da assistência de enfermagem nos ciclos de vida, independentemente da elaboração do fluxograma da enfermagem.

Também foi estabelecido um prazo de 120 dias para a secretaria anexar os fluxogramas de atendimento e encaminhamentos dos pacientes na rede SUS (Sistema Único de Saúde).

O posicionamento do MPE é referente à normativa do Ministério da Saúde de 2007, que agora está em processo de estudo para ser aplicada em Campo Grande, e que prevê a realização de CE (Consultas de Enfermagem) por enfermeiros em unidades públicas de saúde.

Entre as atribuições autorizadas pela portaria, estão a de que o enfermeiro poderia solicitar exames complementares, prescrever e transcrever medicações, além de emitir um "pré-diagnóstico" para depois encaminhar o paciente para o médico especifico.

Na Capital, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirma que as CE já acontecem nas unidades de saúde, realizando a triagem antes do encaminhamento para a consulta médica.

O MPE/MS realizou ontem uma audiência de trabalho com o Grupo Técnico de Atuação Intensiva.

Na reunião foi apresentado o cronograma de capacitação dos profissionais de enfermagem que realizarão a consulta de enfermagem e do cronograma de implementação com o mapeamento das Unidades de Saúde que possuem os profissionais já capacitados e atendendo, independentemente da realização do curso de reciclagem. Também foi entregue o levantamento das Unidades que ainda não possuem profissionais com condições de realizar as consultas, ou que possuem em número insuficiente (casos em que deverá ser informado o Planejamento de Contratação de mais profissionais de enfermagem).

A diretora de Assistência à Saúde, Ana Paula Gonçalves de Lima Rezende esclareceu que a Normatização da Assistência de Enfermagem nos Ciclos de Vida está aprovada pelas duas Comissões do Conselho Municipal de Saúde e na sexta-feira (30) o protocolo será levado para aprovação na reunião plenária. Na oportunidade ela informou que a consulta de enfermagem sempre existiu e que a padronização do Ministério da Saúde está sendo cumprida.

A Presidente do Coren/MS, Amarilis Pereira Amaral Scudellari, ressaltou que para padronizar as consultas de enfermagem é preciso disponibilizar um enfermeiro Gerente nas Unidades de Saúde e também redimensionar o quantitativo de enfermeiros no plantão da emergência das UPAS (Unidades de Pronto Atendimento).



os enfermeiros são profissionais totalmente responsáveis, para tal ato, prescrição de enfermagem, não é prescrição médica, não misturem as coisas, os enfermeiros prescreverão apenas pelo protocolo do ministério da saúde, enfermeiros não são médicos, são duas categorias diferentes cada uma com suas responsabilidades.
 
Kátia Cristina Rodrigues em 29/09/2011 06:25:16
Seria que interessante que antes de fazer comentários sobre assuntos que não se conhece, os leitores procurassem ler um pouquinho sobre o assunto, só pra não dizer coisas muito absurdas e leigas... enfermeiro não vai fazer diagnóstico e nem prescrever medicamentos que não façam parte de protocolos do Ministério da Saúde!!
 
neiva rangel em 29/09/2011 03:50:11
Atenção: consulta de enfermagem é diferente de consulta médica, prescrição de enfermagem é diferente de prescrição médica, então não vamos generalizar, pois o enfermeiro tem graduação e é competente e legalmente qualificado para elaborar uma prescrição de enfermagem. Cada um na sua área de atuação, quem guanha é a população, não podemos discliminar quem cuida da nossa saúde 24 horas por dia!!!!
 
ELSON ALENCAR em 29/09/2011 03:46:40
ja era de se esperar que muitos comentario haveria a respeito, mas se voltarmos la no passa das politicas da saude vamos ver que muitos com a criaçao do SUS ,acreditavam que posto de saude nao era lugar de ir, e hoje vemos a populaçao reclamar pela super lotaçao mas e isso ai,so o tempo mostrara a dedicaçao dos emfermeiros para com os paciente,e farmacologia faz parte da grade curricular.
 
marta lopes em 29/09/2011 03:34:15
Eu acredito que a justiça tem responsabilidade. Já há casos de médicos que prescrevem medicamentos errados. Outro dia um amigo chegou ao hospital com tontura e lhe receitaram remédio para labirintite e ele estava com crise de sinosite, mas tarde constatado por outro medico e com realização de exame. Agora, enfermeiros prescreverem, isso é irresponsabilidade. Pelo amor de Deus,não façam isso.
 
LUCIO ALBERTO GAZAL em 29/09/2011 03:14:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions