ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Mulheres foram feitas reféns após vizinhos acionarem a PM, que frustrou assalto

Negociação do Bope com bandidos durou menos de 30 minutos e terminou sem feridos

Por Anahi Zurutuza, Ana Lívia Tavares e Ana Beatriz Rodrigues | 18/10/2021 19:12
Movimentação no local onde duas mulheres foram feitas reféns. (Foto: Reprodução)
Movimentação no local onde duas mulheres foram feitas reféns. (Foto: Reprodução)

Bandidos presos por fazerem duas mulheres – uma idosa e a cuidadora dela – reféns em casa no Bairro Coopharádio, em Campo Grande, tinham a intenção de roubar a residência. Segundo o tenente-coronel Marcos dos Nascimento Silva, a PM (Polícia Militar) foi chamada por vizinhos que viram o imóvel ser invadido, no meio da tarde desta segunda-feira (18).

“Entrou para o Ciops [Centro Integrado de Operações de Segurança] como invasão a domicílio”, explicou. Viatura da PM chegou rapidamente no endereço e acuada, dupla de assaltantes se trancou com as mulheres em um dos cômodos da casa.

De blusa amarela, idosa sendo amparada logo após ser resgatada. (Foto: Vinícius Santana)
De blusa amarela, idosa sendo amparada logo após ser resgatada. (Foto: Vinícius Santana)

O Batalhão de Choque e o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) foram chamados. A dupla exigia a presença da imprensa para se entregar. A operação teve cinegrafistas de duas emissoras de TV da Capital "convocados" para “salvar” a vida das mulheres durante as negociações, que levaram menos de 30 minutos.

“Queriam garantir a integridade física deles”, explicou o tenente-coronel sobre a exigência que a imprensa acompanhasse os trabalhos.

Um dos bandidos foi preso com arma municiada. Houve disparos, de acordo com o capitão Ronaldo Moreira de Araújo, subcomandante do Bope, mas nenhum ferido. “Estavam muito nervosos, causaram violência psicológica muito grande nas vítimas, mas a questão foi solucionada com certa tranquilidade. Apesar dos disparos, da violência psicológica, a situação foi controlada”.

Defesa – Além  de convocar a imprensa, um dos bandidos ligou para uma advogada. Jéssica Gamarra foi até o local e explicou que o cliente realmente estava muito nervoso, com medo do que poderia acontecer a ele caso a polícia entrasse na casa, mas que o homem foi levado sem ferimentos para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada). Ela não conhece o cliente ainda, mas até onde sabe, ele não tem ficha na polícia.

A polícia não divulgou a identificação dos criminosos.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

O cárcere – A idosa e a cuidadora foram feitas reféns por cerca de 1 hora e meia. As negociações começaram por volta das 16h30 e só terminaram perto das 18h.

Depois que disparos foram ouvidos no local, a idosa foi retirada da casa carregada no colo por um policial. Parentes foram ao encontro dela, enquanto PMs também deixaram o imóvel e viatura do Batalhão de Choque fez manobra para entrar de ré na garagem da casa. A dupla presa foi colocada na viatura.

Além do Bope, a operação envolveu quatro equipes do Choque, um total de ao menos 20 policiais militares. O Corpo de Bombeiros foi chamado para socorrer feridos e levou as vítimas para hospital.

A casa da vítima, que fica próxima ao condomínio Recanto dos Manacás, foi cercada, além de toda a quadra em volta. No local, muitos curiosos acompanharam a ação de longe.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário