A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

03/09/2015 17:38

Município não paga convênio e escola assume bolsa a melhores alunos

Ricardo Campos Jr.

O Colégio Dom Bosco assumiu os custos do ensino médio para 135 ex-alunos da Reme (Rede Municipal de Ensino) desde que a prefeitura parou de depositar a quantia de um convênio entre as instituições. A parceria previa 45 bolsas anuais custeadas pelo município para que os melhores estudantes das escolas públicas tivessem educação de qualidade e uma chance de ingressar em boas universidades.

A situação chegou aos ouvidos do MPE (Ministério Público Estadual), que abriu inquérito nesta quinta-feira (3) para investigar o caso. A denúncia afirma que a Capital deve R$ 300 mil à instituição privada.

O caso está na 31ª Promotoria de Justiça, que oficiou ambas as partes a se manifestarem. A direção do colégio informou que o convênio em questão foi realizado ainda na gestão de Nelson Trad Filho (PTB). O acordo valia até 2013, quando a instituição encaminhou um documento ao município demonstrando interesse em prosseguir com o projeto.

A Semed (Secretaria Municipal de Educação), na época, respondeu dizendo que também desejava manter a parceria. O problema, segundo os documentos anexados ao inquérito, é que nenhum contrato foi assinado e tampouco foi publicada a renovação do acordo em Diário Oficial.

Mesmo assim, o Dom Bosco prosseguiu com a seleção e recebeu em 2014 mais estudantes que haviam terminado o 9º ano na Reme e encaminhou a conta ao município, que não pagou. Em outubro, a prefeitura se manifestou à instituição dizendo que não poderia mais dar continuidade ao convênio, pois a situação financeira não permitia.

Diante do problema, a direção da escola foi reunida e junto com a entidade mantenedora, a Missão Salesiana, decidiu assumir os custos para não prejudicar os estudos dos 135 jovens contemplados, sendo 45 em cada nível do ensino médio.

Até 2013, conforme demonstrou a prefeitura por meio de notas fiscais, o convênio foi pago em dia. Naquele ano foram investidos R$ 171.425,43 no projeto. O município encaminhou ofício ao MPE onde afirma que estão em análise os processos para fazer os pagamentos de 2014 e 2015, sem prazo para resposta.

EMHA suspende atendimento ao público para capacitação de funcionários
O atendimento ao público será suspenso nesta sexta-feira (15) na EMHA (Agência Municipal de Habitação). Segundo a assessoria de comunicação da prefei...
Homem tem casa invadida, pula muro para fugir de ladrão e quebra o pé
Homem de 29 anos quebrou o pé após pular o muro do sobrado onde mora para fugir de ladrões, na noite de ontem (13), na Rua Canavieiras, na Vila Plana...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions