ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Na ativa em Campo Grande, jogo do bicho agora funciona em bancas de revistas

Não tem operação do Garras que resolva; vídeo mostra apostador registrando jogo sem qualquer dificuldade

Por Clayton Neves | 16/08/2021 15:49


Menos de um ano depois de operação da Polícia Civil lacrar barracas do jogo do bicho em Campo Grande, as apostas de azar estão de volta à cidade com o mesmo formato, mas com nome diferente: MTS. Camuflado em bancas de revista, o esquema, que antes era chefiado por organização criminosa liderada por Jamil Name, agora é comandado por quadrilha do Rio de Janeiro.

Em vídeo a que o Campo Grande News teve acesso, apostador conseguiu registrar um jogo sem qualquer dificuldade. Nossa equipe de reportagem recebeu dois registros, um feito na tarde de sexta-feira (14) e outro na manhã desta segunda-feira (16), ocasião em que as imagens foram gravadas.

Pela regra, os bilhetes custam R$ 10 e prometem pagar até R$ 40 mil reais. “Cada quatro acertos rendem R$ 4 mil”, comenta um morador ouvido e que preferiu não ser identificado. Segundo ele, os resultados são diários.

Jogos feitos por apostador em banca de revista em Campo Grande. (Foto: Direto das Ruas)
Jogos feitos por apostador em banca de revista em Campo Grande. (Foto: Direto das Ruas)

Nas imagens recebidas por nossa equipe de reportagem, é possível notar quando o cliente se aproxima da banca de revistas, no Centro da cidade. Ele pergunta sobre o jogo de azar e, sem qualquer dificuldade, consegue ter acesso ao resultado da rodada anterior e também, registrar uma “fezinha”.

“Faz um terno de quatro aí”, pede. Em seguida, o homem informa os animais: gato, porco, vaca e galo. Ele completa informando os números e o valor da aposta. “Completa R$ 10”.

Durante a conversa, o apostador ainda questiona sobre quem são os líderes do novo jogo do bicho e consegue a resposta. “Esse é do Rio de Janeiro. Aquele do Jamil Name a polícia acabou”, afirma o dono da banca de revista.

Proibido na cidade -  Nos dias 30 de julho e 23 de setembro de 2020, operação da Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros) fechou bancas do jogo do bicho que encontrou abertas em Campo. A contravenção, que já é prática tradicional nas ruas de todo o País, voltou ao foco depois da operação Omertà, contra organização criminosa liderada pelo empresário Jamil Name, que é também acusado de chefiar o jogo do bicho na Capital. Por aqui, as apostas movimentavam R$ 18,2 milhões por ano

O jogo do bicho surgiu no Brasil há mais de 120 anos, com a criação de banco de apostas, para evitar que o zoológico do Rio de Janeiro fechasse. Mas em 1941, passou a ser proibido pela lei como jogo de azar e é considerado contravenção.

Nos siga no Google Notícias