A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

06/06/2019 10:31

Na Casa da Saúde, pacientes se deparam com servidores de braços cruzados

Contra aumento na carga horária, funcionários paralisaram atividades por uma hora e cobram reajuste salarial

Ronie Cruz
Concentração de servidores na porta da Casa da Saúde começou depois das 8h  (Foto: Ronie Cruz)Concentração de servidores na porta da Casa da Saúde começou depois das 8h (Foto: Ronie Cruz)

Servidores que atuam na Casa da Saúde paralisaram as atividades por uma hora na manhã desta quinta-feira (6) para reivindicar melhorias salariais e nas condições de trabalho. A população que foi buscar atendimento depois das 8h se deparou com aproximadamente 70 funcionários de braços cruzados e com faixas na porta do órgão na avenida Afonso Pena.

De acordo com o presidente do Sintss (Sindicato dos Servidores da Saúde de Mato Grosso do Sul), Ricardo Bueno, a categoria é contra a proposta de ampliar a carga horária de trabalho de seis para oito horas. Atualmente os servidores se dividem em dois turnos de seis horas. “As oito horas prejudicam a população porque a maioria dos lugares trabalha 12 horas. No hemosul tem ciclo de exames que dura 10h. Como que vai funcionar oito?”, questionou.

O protesto na Casa da Saúde faz parte de uma série de manifestações realizadas por servidores públicos estaduais e ocorre após as paralisações pontuais no Hospital Regional (HR) e no Hemosul na semana passada. “São quatro anos anos com perda salarial que acumulam mais de 20%. Daí essa ampliação de seis para oito horas você aumenta a carga horária em 25% sem contrapartida nenhuma. Nem alimentação eles querem dar. São irredutíveis”, destacou Bueno.

Entre as pessoas que aguardavam para atendimento durante a mobilização, o aposentado Ênio da Silva, 72, que foi buscar remédio para o filho, manifestou apoio aos servidores. “Tomara que alguém dê atenção e atenda o pedido desses trabalhadores. Porque se melhora para eles melhoras para todo mundo o atendimento”, disse.

Na ocasião, alguns manifestantes também criticaram a mudança de endereço da Casa da Saúde que está prevista para ocorrer a partir do mês que vem. A Casa deve ser realocada no antigo prédio da Escola Estadual Riachuelo, perto da avenida Ernesto Geisel. “Não tem nem linha de ônibus perto lá”, criticou uma servidora.

Servidores seguram faixa em protesto contra acúmulo de perda salarial (Foto: Ronie Cruz)Servidores seguram faixa em protesto contra acúmulo de perda salarial (Foto: Ronie Cruz)

Outro lado - O governo do estado não se posicionou sobre as reivindicações dos servidores até a publicação desta reportagem. 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions