A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

30/01/2013 13:00

Nem com padre pedindo, estudantes desistem de bebida em trote

Francisco Júnior e Luciana Brazil
Estudantes deixaram universidade e foram para posto de combustíveis. (Foto: Luciano Muta)Estudantes deixaram universidade e foram para posto de combustíveis. (Foto: Luciano Muta)
Calouro aprova trote e diz que no ano seguinte será a vez dele.Calouro aprova trote e diz que no ano seguinte será a vez dele.

Mesmo com todo o alerta sobre a proibição dos trotes vexatórios e violentos, a prática continua pelos acadêmicos nas universidades da Capital. Hoje (30) foi o primeiro dia de aula na UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). Na tentativa de sensibilizar os jovens para evitar o trote, o reitor da instituição, padre José Marinoni, chegou a ir até um posto de combustíveis que fica ao lado da universidade.

O padre abordou os estudantes orientando para que não bebessem e não cometessem atos agressivos. “Eu não tenho poder de Polícia. Eu não posso falar para o dono do posto não vender bebida e para não permitir aglomeração”, disse o reitor indignado com a situação.

Porém, a atitude do reitor não surtiu efeito nos estudantes que se aglomeravam no posto. O que se via no local era jovens sujos, consumindo bebidas alcoólicas, depois de serem atingidos por ovos e farinha.

Alguns veteranos levaram calouros para uma rua de chão batido ao lado do posto e lá, fizeram os novos alunos rolarem em uma poça de lama.

No início do ano, o MPF/MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) recomendou as dez maiores instituições de ensino superior do Estado para que tomem providências contra o trote estudantil, porque caso ocorra situações deste tipo a instituição poderá ser responsabilizada judicialmente.

“Eu quero que o Ministério Público venha falar comigo. Mas eu não tenho como evitar que as coisas aconteçam do lado de fora. Queria que a Polícia estivesse aqui fiscalizando”, afirma o padre.

 

Reitor  foi a posto pedir para alunos não beberem. (Foto: Luciano Muta)Reitor foi a posto pedir para alunos não beberem. (Foto: Luciano Muta)

A universidade se empenhou em combater a prática e chegou a publicar uma portaria com cinco artigos informando as punições aos alunos que insistissem no trote. Uma banda foi contratada para fazer a recepção dos novos alunos, após os dois primeiros tempos de aula, em uma das quadras poliesportivas da instituição. Antes do término das aulas, funcionários foram até as salas  para orientar sobre a proibição do trote.

Mesmo assim, um grande grupo de estudantes preferiu o posto de gasolina e os bares próximos à UCDB. “Trote é costume. Para quem está sofrendo talvez não seja legal, mas para quem está vendo é engraçado. A bebida faz parte, é como se fosse uma festa”, afirma um veterano de 18 anos do curso de engenharia civil. Ele não quis se identificar.

O colega dele também de 18 anos afirma que o trote faz parte da iniciação dos novos estudantes. “O trote é saudável e gostoso de participar, é claro que tem algumas que coisas sem noção, mas aqui ninguém está sendo forçado”, diz o rapaz.

Outro veterano que estava no posto diz que a bebedeira não se limita apenas a esses dias de início do ano letivo. “A gente sempre sai da aula para beber”, conta.

O calouro Lucas Francelino, 18 anos, estava no posto e aprova a realização do trote. Sem camisa e todo sujo o jovem comentou a ação. “ Esse ano sou que sou zoado, ano que vem sou eu que vou zoar”, afirma.

No total, 2,5 mil novos alunos ingressam na UCDB. Atualmente, a universidade conta com mais de 8 mil acadêmicos nos dois períodos: matutino e noturno.

Jovens ignoram instrução da universidade.Jovens ignoram instrução da universidade.
Veteranos sobem nos calouros.Veteranos sobem nos calouros.


O ministério publico joga toda responsabilidade pra cima da instituição, mas não ajuda a organiza nenhuma ato pra inibir esse tipo coisa. A responsabilidade da instituição é somente dentro de suas instalações, aparti do momento que sai pra fora o poder publico que deve tomar alguma atitude, o reitor fez o que devia dentro de suas limitações já que do lado de fora já não é responsabilidade dele, mas sim de cada um que fez o trote.por tanto não adianta jogar a responsabilidade somente pra um sendo que tem que ser um trabalho em conjunto, eu sou a favor do trote deis que não seja forçado e com o consentimento do aluno e que não ultrapasse os limites como em muitos casos e que me parece até agora ninguém reclamo porque sofreu o trote e nem apareceu casos de policia como ocorreu em outros anos.
 
guilherme bastos em 01/02/2013 11:05:40
Só digo ao meu filho pra não compactuar com a violência, mas "zoar", isso pode... Eles gostam... Desde que eu me entendo por gente existe isso...
 
Deborah Campos em 31/01/2013 23:23:28
A Universidade Católica Dom Bosco - não apenas o nosso Reitor, esclareceu que não promove, não compactua nem se responsabiliza por diversas formas de violência e abuso associadas ao que se convencionou chamar de "trote". Trote é o andar tradicional dos animais quadrúpedes, e é encantador, em seu devido contexto. Acolhida de calouros, com alegria e brincadeiras, acontece normalmente, e é feita por acadêmicos antigos e por professores. Oportunismo de venda de álcool, violência e abusos mil, inclusive de sensacionalistas de plantão, isso são problemas da nossa sociedade, aos quais todos precisamos dar combate incessantemente.
 
Josemar de Campos Maciel em 31/01/2013 20:23:16
vai quem quer! se você não quer participar do trote, você não participa! quem corre por gosto não cansa caros amigos! agora falar que culpa é do pai, ou da mãe, ai não, o problema é do camarada, ir aonde não aguenta a brincadeira, querer pagar de machão e parar no posto de saúde só pq quis dar uma de louco e tomou gasolina! não foi obrigado, ele fez pq quis, ai vem um monte de sensacionalistas, e querem ficar botando culpa em alguém, sendo que nem sabe oque acontece por lá!
 
Leison Freitas em 31/01/2013 13:00:43
Só vai no trote quem quer,quem não quer fica em casa,todo mundo sabe que o 1°dia é so zueira,se foi pra fauldade é porque queria fazer parte da zueira.Quer evitar FICA EM CASA!
 
Thayme Marotzki em 31/01/2013 12:41:11
Meu nobre Sr. Valdecir Antonio Zaniboni, encontre-me na faculdade e vamos conversar, assim me conhecendo voce pode engolir cada palavra que disse sobre minha pessoa. Claro, se souber debater ideias e/ou fatos sem atacar o outro. Te desculpo pelo que disse.
 
Samir Buchara em 31/01/2013 12:33:38
Isso n ão deveria existir, mas a culpa maior é dos pais, que não souberam educar os bêbes mimados, que fazem o que querem.
 
Carlos Santos em 31/01/2013 08:09:14
Na faculdade/universidade tem dois caminhos, os estudos com prátcas saudáveis e tem os estudos ou não tem com alcool e outras drogas, como por exemplo sertanejo universitário, que faz clara apologia ao consumo de bebidas alcoolicas e ao ócio, de certo ponto é bom pq elimina grande maioria na competição por uma vaga no mercado de trabalho futuro. Muito parece como uma forma de seleção natural, a qual privilegiará aqueles que seguirem o caminho certo e chegarem inteiros ao seu destino. O reitor fez a parte dele, gostei.
 
CLAUDIO MOREIRA em 31/01/2013 08:06:27
gente,o trote eh a alegria do academico , e o andar do cavalo
 
daniel lemos em 31/01/2013 07:31:34
Se hoje ignoram às ordens da universidade amanhã serão os transgressores da constituição e certamente serão enquadrados no código penal. O Brasil certamente estará "bem servido". Lamentável a postura desses acadêmicos!!!
 
Ronaldo Pissurno em 31/01/2013 07:06:42
De fato há muito abuso por parte dos veteranos, sou formado na UCDB e em todos os anos que passei lá presenciei trotes horrível principalmente dos "xucros" de Agronomia e Veterinária. Em esse ai abaixo que dizem que vai quem quer ao trote, muitas vezes até mesmo quem não quer é coagido moralmente e até fisicamente a participar disso. É mais que claro que ninguém aqui vai assumir que isso acontece. Não acho que deva proibir, apenas moderar e coibir o abuso pelas autoridades responsáveis.
 
André Serra em 31/01/2013 06:33:58
Penso que estes estudantes deveriam se preocupar com coisas mais importantes e ter ações que visem a melhoria do ser humano e não atos de humilhação.!
 
julia pereira de lima em 30/01/2013 23:46:46
É triste saber que todo ano um grupo de alunos e professores se mobilizam, estudam, lutam, planejam um trote diferente e organizado e acontece este tipo de bagunça.... Ritual ou não, festa ou que quiserem nomear, o trote SEMPRE passa dos limites e o objetivo de acolhimento e amizade acaba, literalmente, numa poça de lama. O meu trote teve bagunça, tinta, elefantinho... sofri, mas nem por isso bebi ou passei dos limites. Não quero julgar ninguém, todos aqui tem tirocínio e são capazes de dizer o que é melhor para si, mas quero deixo minha opinião: não precisamos denegrir nossa imagem com atitudes pequenas sabendo que somos capazes de produzir coisas maravilhosas.
 
Lucas Bianchi em 30/01/2013 23:11:46
este é o futuro do nosso pais, futuros profissionais que pra nada serviram.
 
jose roberto jacques em 30/01/2013 22:48:06
Quando fui calouro não participei de trote e no ano seguinte também não participei do trote aplicado nos novos calouros.Então se estes estaõ participando é porque querem ou gostam de fazer papel de ignorantes e de humilhado. Não tem como uma pessoa pegá-los a força pois seria crime (passível de cadeia) e expulsão.
 
Alexandre de Souza em 30/01/2013 21:39:06
Em pleno século 30 já,e ainda esta selvageria,isto parece com o militarismo,começou com o avô,que passa para o pai ,que passa para o filho e assim vai esta imbecilidade,até quando???todos acham isto normal,não pela bebida,pois se pode beber em qualquer lugar,mas pelas outras coisas que se faz ás escondidas e como dizem alguns "vai quem quer",mas sabemos que não é bem assim,ja começam por ai os princípios e carater dos futuros formandos e de alguns calouros,que adoram esta imbecilidade, lamentável.
 
cristina mendes carli em 30/01/2013 19:41:17
esse tipo de trote, para min e a maior palhaçada, e coisa de quem não teve infância, tem muitas maneira de comemorar, porque não vão doar sangue, levar 1 kg de alimento em uma institução,ou promover um baile beneficiente para ajudar os que mais precisa, ficam nas esquinas pedindo dinheiro, para tomar cerveja atrapalhando o tráfego, ai no ano que vem é a mesma coisa, TROTE É TRADIÇÃO DE IDIOTA, não sabem fazer outra coisa mais util, mas não, ficar jogando ovos nos calouros, pintando mandar rolar na lama é uma cultura o se é esse são os profissionais de amanhã.
 
hilibio junior em 30/01/2013 19:30:19
Cada um tem o livre direito até de pular da ponte, só não pode querer levar outros com seus desejos. Cada um na sua sem encomodar o vizinho. Eu por mim pode fazer o que quiser, desde que não me envolva ou queira induzir.
 
luiz alves em 30/01/2013 18:54:12
Muita gente reclamando, de fazer um "trote solidário", é uma ótima ação por sinal, se a pessoa quiser doar sangue, ou coisas do tipo iria para o hemosul e locais do tipo,pois quando o ser humano quer ajudar, vai atrás, não precisa de veteranos pra pegar na mãozinha e levar na porta do local. Porém o pessoal foi para o posto querendo se divertir, tanto veterano como calouro, nenhuma pessoa foi obrigada a ir até lá. Como disseram, é um ritual saudável, só vai quem quer. Porém como em todo lugar existem pessoas extrapolam os limites da brincadeira, estes que deveriam ser punidos, e não "proibir" todos por causa de uns.
 
Leo A. Santos em 30/01/2013 18:47:07
Durante o ano existem ações solidárias para os calouros e veteranos! O Hemosul não pode comparecer ao trote solidário pois a unidade móvel deles não esta funcionando! Eu sou veterana e eu fui atrás disso, e não obtive resposta positiva! Mesmo assim um dia de campanha para o Hemosul está sendo programado. Quanta a bebida, por favor não sejamos hipócritas, a galera que se acaba de beber nos trotes já bebia antes! Eu não bebo e no meu trote quando tentaram me forçar eu me impus e disse que não tomaria. O trote é um rito cultural, e muito contrário do que muitos pensam, aproxima e integra calouros e veteranos! é claro que não podemos dizer que tudo que acontece lá é certo e que pessoas não são forçadas...porém isso cabe as autoridades á fiscalizar!
 
Milena Moraes em 30/01/2013 18:19:51
nao o conheço, mas concordo com esse tal de Samir Buchara, quem nao quiser trote, é só nao ir no local que está ocorrendo, porque quem está na chuva é para se molhar, inclusive ele foi até legal ao dizer que excesso é beber gasolina, pular de pontes e outras coisas sem lógicas, e tenho dito.
 
joao martins da conceição em 30/01/2013 18:10:30
"Ó nossa que banalidade" os que comentam criticando não estavam lá, tampouco conhecem e ficam tirando conclusões indevidas e difamando os alunos da Universidade supracitada, todavia, quem não tem o que fazer são esses críticos, dando uma de bons samaritanos ao invés de estudar ou trabalhar, ficam dando Ibope para essa bobeira, o trote como já foi aludido é o ritual de passagem para faculdade, claro que é necessário o bom senso nas brincadeiras, esse ano ocorreu tudo bem, só brincadeiras legais como: pintar, ovos... ademais, ninguém foi forçado a beber, estando lá há presunção juris tantum que é maior de idade, o calouro que pede, aos pais que reclamam desse fato eduquem seus filhos em casa, pois não devêm beber apenas no trote, QUE ESSA FESTA E CULTURA NUNCA MORRA, VIVA AOS CALOUROS.
 
Raphael Neves em 30/01/2013 17:51:18
Samir Buchara, vc tá se achando o máximo com suas filosofias e colocações né. Tá bombando né. Pois é, se dependesse de formadores de opinião e filósofos "da atualidade moderna" igual a vc o mundo ainda estaria na idade da pedra.
 
Valdecir Antonio Zaniboni em 30/01/2013 17:20:57
Trote é festa, alegria, integração, uma tradição secular que gostemos ou não, sempre existirá. Velho envia telegrama de parabéns e cumprimenta com aperto de mão mas a moçada tem o seu jeito proprio de comemorar, se divertir e dar as boas vindas. Não é um banho de farinha com ovos ou óleo queimado recoberto com penas de galinha que vai prejudicar qualquer pessoa. Nas forças armadas é tradição, quando você tira o brevê da aviação, também, em todo lugar tem. Os próprios Centros Acadêmicos deveriam fiscalizar os excessos de alguns que não sabem o que é brincadeira saudável. Alguns são até caso de polícia mas não é por causa de meia dúzia que a tradição deva acabar.
 
Paulo Lemos em 30/01/2013 17:16:13
Me formei na Anhanguera onde o trote é cultural, "Trote Solidário" com arrecadações para entidades; Todas as turmas veteranas visitavam as salas dos calouros para desejar boas vindas e falar um pouco sobre a vida universitária, era algo gratificante, hoje já uma profissional, vi o quanto isto foi importante para meu crescimento profissional; O que mais me impressionou é que esta forma de trote da Anhanguera contagiava a todos, nem na faculdade e nas suas proximidades havia o tipo de trote desmedido; A faculdade tem o dever de mostrar a grande importância da valorização deste momento de passagem para a vida acadêmica, isso a faculdade tem o poder de mudar, fazendo virar tradição, receber os novos acadêmicos de uma forma que acrescente crescimento pessoal e profissional.
 
Rosana Souza em 30/01/2013 17:15:58
De que adianta estudar na melhor faculdade se o exemplo é esse,se no primeiro dia de aula ja estão desse jeito,imagina o futuro dessas pessoas,que profissionais serão...
 
Jaisilana Carvalho em 30/01/2013 16:52:23
Futuros advogados (como o sr. Samir), médicos e engenheiros deveriam se envergonhar de tais "ritos de passagem" de crianças a homens. Que remetem o ser humano ao ridículo, no mínimo. E tiram a dignidade de uma ocasião tão especial.
 
Higor Almeida em 30/01/2013 16:47:29
Tradição o show na Expogrande, tourada na Espanha, e estão querendo acabar tbm.
Vamos acabar com tudo?

Eu me referi, desde o começo, ao trote como uma festa, uma comemoração, até como um "ritual de passagem" como mencionaram. Esse trote não pode ser proibido, é falta do que fazer proibir, não tem sentido. O governante prefere proibir e punir por causa dessa coisa pouco de trote = festa, do que vigiar os excessos, esses sim TOTALMENTE ERRADOS, independente do local, circunstancia, e tudo mais.

Coação esta errado, agressão tbm, menor beber (talvez, não vejo problema), obrigar a beber esta errado, beber e dirigir esta errado... Policia existe para vigiar tudo isso. Proibir não é a melhor solução, agorinha vamos ser proibidos de fazer tudo por causa das exceções que sempre existem.
 
Samir Buchara em 30/01/2013 16:27:56
Sr. Samir Buchara, a escravidão também era uma tradição (soltar balões também é)... E dizer que só participa de trote quem quer é, no mínimo, ingenuidade, pois, se não ocorre a coação física (e muitas vezes ocorre), geralmente se caracteriza a coação moral.
 
Jorge Marques Batista em 30/01/2013 16:17:33
O DCE e os Diretórios Academicos organizam doação de sangue e cadastro de medulo ossea, arrecadação de roupas no inverno, arrecadação de brinquedos na época do dia das crianças,... como podem ver, se quiserem, logico, que cada época do ano é organizado algo diferente, dentro da devida necessidade.

Começo de curso = festa, bebidas, diversão
No decorrer do curso existem as ações sociais que são organizadas e realizadas pelos próprios academicos, esses mesmo que estão nas festas.

 
Samir Buchara em 30/01/2013 16:17:26
Calouro que não quer o trote nem vai no primeiro dia de aula, PONTO. Calouro que não quer o trote mas quer ir na aula, basta não ir para o trote, é tão simples.

Comparar um simples trote, "ritual de passagem" como mencionaram, com evolução, filhinhos de papai, é bobeira.

O trote não passa de uma festa, recepção. "Rituais de passagem" existem em vários lugares e em várias circunstâncias, tradições, países, e tudo mais.

É uma festa para comemorar a passagem do jovem da vida de criança, sendo levado pelos pais para a escola, para a vida de homem, faculdade, responsabilidades, estudos, profissão,... Eventuais excessos devem sim serem proibidos, beber gasolina, pular da ponte, roleta russa, essas coisas.


Vamos mudar o nome então, de trote para "festa de recepção dos calouros"
 
Samir Buchara em 30/01/2013 16:08:57
ESSE POVO NÃO TEM DEUS SIM RELIGIÃO....
 
MARCOS VINICIUS FERNANDES DE SÁ em 30/01/2013 16:05:22
VexATORIO ESTE TROTE,,,,,,,,,, MOSTRA A SANTA IGNORANCIA E O ESPREPARO COM QUE O JOVEM CHEGA A UNIVERSIDADE............
 
aDRIANA SILVA em 30/01/2013 16:04:03
Ninguém é forçado a ingerir bebida alcoólica, só toma se quiser. Se o calouro teve uma boa educação em casa, sabe dizer não e tem a opção de não ir para o posto participar disso. Ninguém é obrigado a sair da instituição e se dirigir até o posto a não ser que queira sair, até porque há mais de uma entrada e saída na UCDB. A do posto é apenas uma delas. O calouro que escolhe participar do trote não é vítima, escolheu ir lá com os veteranos por vontade própria de participar. Ninguém obriga ninguém a tomar álcool.

A UCDB fez o que poderia ter feito: promoveu um show de boas vindas no ginásio esportivo. Isso é integrar os alunos. Dentro da universidade é proibido, fora da universidade cabe às autoridades apenas.
 
Carolina Àvila em 30/01/2013 15:56:36
só uma pergunta: a polícia está de folga?
todos estão bebendo, e tem que dirigir? multa e cadeia neles.
 
ANIELLE MATOS em 30/01/2013 15:44:29
trote é crime, então não fique ligando para as pessoas apenas por diversão. Fica a dica.
 
Tery Alves em 30/01/2013 15:40:03
Estudo na Anhanguera Campo Grande , aqui não se permite trotes violentos, não e tradição dessa instituição trotes dessa natureza, os alunos que pensassem em fazê-lo eram advertidos de que não serão aceitos alunos com essa conduta. Quando a postura da direção e diferente a tendência e que a postura dos acadêmicos mudem, são os acadêmicos que tem que aprender que estão indo para um nível de cultura mais elevada e seus comportamentos precisam mudar, se o reitor não consegui mudar isso quem mudará?
Por conta da ausência de trotes violento, indiquei para meus filhos e primos, precisamos que os jovens da nossa família entendam que sabedoria sem educação e o mesmo que Fé sem obra.
 
Maria Madalena Almeida em 30/01/2013 15:37:02
Porque não fazer uma coisa util vai doar sangue para salvar vida . seja pessoa vai fazer visita a um asilo, faça coisa que vale a pena, doe sangue que vc pode salvar tua propria vida pense nisso ,bebendo dessa maneira.
 
rosalia pereira martins em 30/01/2013 15:31:39
Esse tipo de trote que vemos, não tem nada de saudavel. Que tradição!!! Evoluimos enquanto seres humanos...ou será que não? Ainda somos animais? Alias...piores de que muitos animais ditos irracionais. ACORDEM! Façam algo saudavel, salutar para a nova geração de futuros universitários.
 
Leonardo Calixto em 30/01/2013 15:18:42
Discordo plenamente do SRº Samir. Tem que se proibir mesmo isso, falta do que fazer é este grupo de "veteranos" induzir e a té mesmo obrigar a jovens ingerir álcool! O que será preciso acontecer de ruim para que as autoridades proíbam e prenda os responsáveis por estes "trotes"?
 
Pedro Alvares em 30/01/2013 15:16:07
Na era pré-histórica a humanidade não tinha a comunicação através dos códigos da fala. Eles gritavam, andavam com os cabelos compridos, se pintavam e corriam de um lado para o outro. O homem evoluiu, desenvolveu a fala, a tesoura, as roupas, mas ainda há muitos resquícios desta época "jurássica" da nossa história. Uma pena. Todos iludidos, achando que isso é bacana, é normal, é moderno. Moderno??????
 
Hellen Quida em 30/01/2013 15:08:08
São atitudes como estas que distanciam do Brasil que queremos. E padre, por favor né, o sr. é reitor e não vamos fantasiar que não faz nada porque não pode, PODE MUITO, porém quem disse esta disposto a perder potenciais clientes e reduzir as receitas da universidade. É que subestimar a inteligência das pessoas esse tipo de declaração.
 
Marcelino Junior em 30/01/2013 14:48:11
Entra ano, sai ano e as brincadeiras e muitas de péssimo gosto continuam. Eu participei do meu trote e não fiz nada que pudesse colocar minha vida ou saúde em risco. Agora, essa galera bem que poderia estar doando sangue, ajudando algum lar de crianças ou pessoas necessitadas, visitar um hospital, enfim, fazendo algo útil e em favor da sociedade sem esquecer da diversão.
 
mirtes ramos em 30/01/2013 14:46:38
A maioria desses jovens de hoje não tem cabeça boa , acham que a vida é só festa e curtição. Eles que não abram seus olhos para a realidade e lembrar que existe DEUS para eles verem o que vai acontecer.
 
Jonas Henrique da Luz em 30/01/2013 14:45:52
Como acadêmica da UCDB me sinto envengonhada com essas atitudes, realmente a universidade fez o possivel para conter esse "ritual de passagem" desnecessário que é o trote universitário, mas como o padre Marinoni afirmou "...não tenho como evitar que as coisas aconteçam do lado de fora". Sendo jovens, seria possivel canalizar a energia e a criatividade para uma "brincadeira" mais saudável e construtiva.
 
Damares Costa em 30/01/2013 14:36:52
Simples. Basta a policia cercar a área e averiguar se todos são maiores de idade. Ou podem esperar acontecer uma tragédia qualquer e depois disso, com seus argumentos, procurar os culpados.
 
José dos Santos em 30/01/2013 14:35:58
PERDOE-ME PADRE, MAS ALÉM DE PADRE, REITOR, O SENHOR NÃO SABE QUE É AUTORIDADE MÁXIMA, NÃO TEM O PODER DE POLÍCIA DIREITA, MAS INDIRETAMENTE É MAIS QUE ISSO UM SIMPLES TELEFONEMA DO SENHOR, A POLÍCIA ATENDERIA DE IMEDIATO, É SÓ LIGAR, USE AS PRERROGATIVA DE PADRE, E REITOR, PEDINDO, QUERO VER SE A POLÍCIA NÃO ATENDE, O SENHOR É AUTORIDADE.
 
PEDRO ANTUNES BRAGA em 30/01/2013 14:25:08
Estes são os futuros profissionais, com certeza filhinhos de papai que depois de beber pega o carro e vão embora. Porque não fazem um trote diferente, pedindo para os calouros doarem sangue...ou coisa parecida...
 
Fernando P Carvalho em 30/01/2013 14:18:19
Trote é tradição, sempre teve... existem excessos as vezes, mas onde não existe? O trote é para comemorar com o calouro o começo de uma nova caminhada... vai para a comemoração quem quer, ninguem amarra ou obriga...

Proibir trote é falta do que fazer... logo tudo será proibido e ninguém poderá se divertir... proibir essas coisas fúteis é perda de tempo... é apenas 1 dia, poucas horas de diversão e comemoração.
 
Samir Buchara em 30/01/2013 14:14:56
NÃO É SÓ BEBIDA ALCOÓLICA NÃO. TEM MUITAS COISAS MAIS FORTE, SÓ NÃO VE QUE NÃO QUER.
 
LOURENCO CARVALHO em 30/01/2013 13:24:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions