A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

09/07/2013 08:08

No Noroeste, para falar ao celular tem de ir à esquina e internet boa é lenda

Elverson Cardozo
Se quiser falar ao celular, moradora precisa sair na frente de casa e caminhar até a esquina. (Foto: Cleber Gellio)Se quiser falar ao celular, moradora precisa sair na frente de casa e caminhar até a esquina. (Foto: Cleber Gellio)
O serviço aqui nunca funcionou, mas depois que arrancaram a torre piorou”. (Foto: Cleber Gellio)"O serviço aqui nunca funcionou, mas depois que arrancaram a torre piorou”. (Foto: Cleber Gellio)

Moradores do Jardim Noroeste, em Campo Grande, continuam a reclamar do sinal de internet e telefone celular que chega ao bairro. Quem mora na localidade se queixa da lentidão, oscilação, e quase sempre, da ausência completa dos serviços que, segundo relatos, nunca foi dos melhores.

A situação é tão crítica que, em alguns pontos, os moradores, quando precisam falar ao celular, saem das residências, atravessam a rua ou vão até a esquina mais próxima para conseguir, pelo menos, um sinal razoável.

Dona de casa, Maria Frey de Oliveira, de 48 anos, enfrenta esse problema todos os dias. “O serviço aqui nunca funcionou, mas depois que arrancaram a torre piorou”, disse, se referindo à decisão da Vivo, de retirar a antena que ficava nas proximidades do Presídio de Segurança Máxima, em outubro do ano passado, após determinação da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública).

A medida, segundo divulgou a empresa à época, foi tomada para evitar que os detentos realizem ligações de dento da penitenciária.

O esposo de Maria, o técnico de eletrônica Carlos Alberto de Oliveira, de 48 anos, argumenta que, se a intenção era solucionar esse tipo de problema, pelo visto a ação não foi bem sucedida. “Resolveu e não, porque os caras continuam ligando. Complicou a situação para gente”, disse, ao comentar que a falta de sinal é praticamente generalizada e abrange todas as operadoras.

“Quando o celular toca você tem que pegar ele e sair correndo”, relatou, brincando, mas sem deixar de falar a verdade. É o jeito.

Internet capenga – Ele também reclama da internet. Há 2 meses, contratou 5 mega da Oi, mas até hoje não viu sinal da velocidade que, nas palavras dele, mais parece discada.

Técnico de eletrônica, Carlos Alberto contratou 5 mega, mas diz que a internet parece discada de tão ruim. (Foto: Cleber Gellio)Técnico de eletrônica, Carlos Alberto contratou 5 mega, mas diz que a internet parece discada de tão ruim. (Foto: Cleber Gellio)

Para baixar uma música, por exemplo, o técnico precisa ter paciência de esperar uma manhã inteira. O pior de tudo isso é que o serviço, para ele, não é barato. Daqui há um mês, a mensalidade, que atualmente custa R$ 59,90, chegará a mais de R$ 100,00.

Proprietária de um Cyber, Rafaela Joaquina Muniz, de 27 anos, protesta pelo mesmo motivo. No estabelecimento dela, os 10 mega prometido pela Oi geralmente não chega.

E a velocidade, para piorar, precisa ser compartilhada com as 15 máquinas que tem no estabelecimento. “Funciona, mas é lenta. Tem hora que o cliente reclama. Você abre o Face, mas não consegue ver as fotos”, contou.

Reclamar, pelo visto, não adianta muita coisa. Quando consegue falar na Central de Relacionamento com o Cliente, ela ouve a mesma história: “estamos melhorando nossos serviços”. “Já tive problemas que teve vir técnico aqui. Fui obrigada a fechar as portas porque trabalho com isso”, relembrou.

Na tentativa de encontrar uma solução para os problemas, já que as empresas e o poder público não tomam providências, muitos moradores recorrem à internet 3G, mas se ela não pega bem nem no centro, que dirá no bairro.

“No notebook é bem fraco. Você tem que ficar andando de um lado para o outro para encontrar o sinal”, disse a vendedora Franciele Pimenta Ozório, de 27 anos. O irmão, ela contou, também passa raiva. No caso dele, nem a internet via rádio está resolvendo.

A reportagem do Campo Grande News procurou a assessoria de imprensa da Oi, mas não conseguiu contato.



Por que será que os presos no presídio tem acesso a celulares e internet? Postam fotos, conversam e comandam o crime aqui fora? Isso simplesmente acontece porque o país é governado por criminosos para os criminosos e com isso tudo aquilo que esta na constituíção que se diz direito do cidadão não é exercido, mas para os presos tem de ser seguido ao pé-da-letra! As empresas de internet onde não tem concorrência elas não investem e oferecem serviços 90% a menos do contratado(isso quando elas não entram em comum acordo, é só olhar que os serviços são parecidos e preços iguais em todas operadoras!). Agora eu pergunto, se chegar minha contra e quiser pagar só 10% do valor contratado(já que é só isso que recebo de serviço) eles aceitaram? Não! O que anatel faz? Nada!
 
Alexandre de Souza em 09/07/2013 17:05:35
Gostaria que pudesse ser diferente, mas isso tem se tornado rotina em vários bairros e até em partes da área central, falta mesmo é fiscalização dos órgãos competentes.
 
Victor Antunes em 09/07/2013 16:15:45
O problema de conexão não é privilégio do Jd Noroeste. Eu moro na região da Vila Nasser, pago por 10 MB da Oi e desde ontem a conexão cai a cada 15 minutos. Ontem liguei 11 vezes - isso mesmo, 11 vezes (tenho todos os protocolos), pro atendimento da tal operadora e ninguém resolveu o problema. Banda larga no Brasil é uma piada (de mau gosto).
 
Cristina Miranda em 09/07/2013 15:03:28
No Monte Castelo é impossível falar em celulares Claro. 3G então... nem da pra contar.
 
Ademar Freitas em 09/07/2013 13:25:42
Realmente sinal de Celular ou internet 3G nessa região é uma lenda. O melhor é recorrer a alguns provedores de Internet Via Rádio que entregam o serviço com qualidade, mas o grande problema de contratar um serviço desses é que, as pessoas tem receio por não ser uma grande empresa ou até mesmo por boatos de que internet via rádio cai. Eu indico essa solução, pois as grandes Telecom's nunca irá lhe atender com a atenção que uma pequena atende.
 
Leandro de Alencar em 09/07/2013 11:40:23
O que soa estranho é que no presídio, que está neste mesmo bairro, os bandidos se comunicam tranquilamente e até organizam ações aqui fora, vai entender...
 
Kaio Gleizer em 09/07/2013 11:05:23
Não deveria nem ter residencias naquela região.
 
Marcondes Correia em 09/07/2013 10:58:59
ENGRAÇADO ALI FICA PERTO DO PRESIDIO, MAS SO OS PRESOS CONSEGUEM FALAR NO CELULAR, OS MORADORES FORAO BLOQUIADOS KKKKKKKKKKKKK
 
Agnaldo Silva em 09/07/2013 10:48:28
Sou moradora do Jardim Noroeste e na minha residência não é diferente destes da reportagem, a internet é realmente lenta e torres nos celulares é lenda, raramente existe e quando está aparece oscila muito. Nosso bairro está carente em quase todos os setores, precisamos que a prefeitura se volte para os problemas do bairro, não somente de internet ou falta de torres das operadoras mas também situações como saneamento básico.
 
Angélica Santos em 09/07/2013 09:05:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions