A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018

02/09/2015 17:58

Ocupação continua e deixa famílias em "pé de guerra" com invasores

Ricardo Campos Jr. e Alan Diógenes
Guarda Municipal montou base para evitar tumultos (Foto: Vanessa Tamires)Guarda Municipal montou base para evitar tumultos (Foto: Vanessa Tamires)
Várias portas tiveram as fechaduras arrancadas pelos invasores (Foto: Vanessa Tamires)Várias portas tiveram as fechaduras arrancadas pelos invasores (Foto: Vanessa Tamires)

Novas invasões de casas populares no Celina Jallad, construído pelo programa Minha Casa, Minha Vida, deixaram o clima tenso no residencial. Moradores em situação regular reclamam da truculência das pessoas que têm arrombado as unidades cujos donos ainda não conseguiram se mudar ou que ainda pertencem à Caixa Econômica Federal. A Guarda Municipal deixou uma equipe de prontidão no local caso haja tumulto.

Uma mulher de 28 anos, que pediu para ser identificada apenas como Mara, teve a porta do imóvel danificada pelos invasores, que só não conseguiram ocupá-lo porque o vizinho interveio. Ela ainda não havia se mudado porque a água e a luz ainda não foram ligadas, mas mesmo assim se viu obrigada a “ficar de castigo” no local com medo de perdê-lo.

A proprietária afirma que cem novas famílias invadiram imóveis de ontem para hoje. Algumas delas moram na região.

O eletricista Carlos Alberto, 37 anos, voltava da igreja no domingo quando avistou uma movimentação de viaturas da guarda e decidiu ver o que estava havendo, já que a cunhada mora sozinha no Celila Jalad com três filhos pequenos, de 3, 4 e 5 anos.

“Fiquei preocupado, pois são pessoas que não têm respeito. Chegaram metendo o pé mesmo. Estão tentando invadir casas que têm gente dentro”, afirma o trabalhador. Alguns invasores, segundo ele, deixam as mulheres e os filhos nas casas e ficam circulando de moto pela região para intimidar os moradores.

A Guarda Municipal está com seis integrantes no local realizando um trabalho preventivo para manter a harmonia entre os moradores e os invasores. Não há informações se alguém entrou com ação de reintegração de posse ou quais medidas o poder público tomará para resolver o problema.

Algumas casas tiveram vidros quebrados (Foto: Vanessa Tamires)Algumas casas tiveram vidros quebrados (Foto: Vanessa Tamires)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions