A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

05/07/2016 17:54

Onde única obra é a de pichadores, centro cultural expõe desperdício

Projeto chegou para dar "vida" a prédio onde seria uma rodoviária, que começou a ser construída há 23 anos

Leandro Abreu
Pichações ao lado de material abandonado no prédio que já deveria ter sido rodoviária e, depois, Centro de Belas Artes (Foto: Fernando Antunes)Pichações ao lado de material abandonado no prédio que já deveria ter sido rodoviária e, depois, Centro de Belas Artes (Foto: Fernando Antunes)
Prédio começou a ser construído há 23 anos pelo ex-governador Pedro Pedrossian e continua sem utilidade. (Foto: Fernando Antunes)Prédio começou a ser construído há 23 anos pelo ex-governador Pedro Pedrossian e continua sem utilidade. (Foto: Fernando Antunes)

Sem previsão para ser concluída e com pelo menos R$ 10 milhões já investidos, a construção do Centro de Belas Artes de Campo Grande parece estar caminhando para se tornar outro eterno canteiro de obras. No local, só se encontram pichações, sujeira e vandalismo.

Portas e janelas danificadas e salas que deveriam receber grandes espetáculos abrigam moradores de rua e usuários de drogas diariamente, segundo vizinhos. Além disso, a segurança do prédio não existe e 2014 foi a última vez que um operário trabalhou na obra, após a desistência da empreiteira responsável.

O Campo Grande News esteve na obra do Centro de Belas Artes nesta terça-feira (5) e encontrou o local abandonado, sem segurança e depredado. O local parece um gigantesco ninho de pombos, que estão por todo lado.

Além disso, várias salas, que já estavam praticamente prontas, com pintura nas paredes e instalações elétricas finalizadas, estão pichadas e com muito lixo, potenciais criadouros de mosquito da dengue, zika e chikungunya. Alguns materiais de construção, como canos e telhas, também foram abandonados no local.

Inicialmente, a previsão de entrega do centro, sob promessa de aumentar o leque de opções culturais do campo-grandense, caso fosse concluído, era o segundo semestre de 2012. Todo o projeto teria um investimento total de R$ 28,8 milhões e cerca de R$ 10 milhões já foram investidos nas duas etapas. O Belas Artes previa ter espaço para exposições de arte, apresentações de teatro, música e cinema, entre outras atividades.

Para os moradores da região, a obra continua com os mesmos aspectos da “carcaça” do prometido Terminal Rodoviário do Pedrossian. “Moro aqui há seis anos e está do mesmo jeito. Não mudou quase nada, somente umas pastilhas fixadas e pronto. E não é aproveitado para nada. Deixa a desejar, pois aqui é uma região que é carente de comércio e o centro traria bastante benfeitorias para a região”, diz o vendedor Otoni Mustafá Figueiredo, 35 anos.

Sobre a segurança do local, Otoni lembra que só vê gente “cuidando” da obra no período da noite. “O bairro é até bem seguro, mas lá dentro a gente só vê de noite. As vezes a Guarda Municipal entra com a viatura lá, dá uma volta e sai”, resume.

Em 2014, a empresa Mark Construções abandonou a obra, que desde então não foi retomada. O próximo passo, conforme a administração municipal, é levantar o que foi feito, o que precisa ser refeito por conta da depredação de vândalos e do tempo e o que ainda nem começou a ser realizado.

“Estamos contratando os projetos complementares de elétrica, hidráulica e outras ações que precisam ser feitas. Vamos abrir processo licitatório para contratar uma empresa que faça esse levantamento total, que vamos encaminhar para a Caixa Econômica Federal, que deve analisar e liberar mais recursos para terminarmos a obra”, explicou a coordenadora da Central de Projetos da prefeitura, Catiana Sabadin.

Pichações e depredações podem ser vistos por todos os lados da obra abandonada. (Foto: Fernando Antunes)Pichações e depredações podem ser vistos por todos os lados da obra abandonada. (Foto: Fernando Antunes)
No canteiro de obras, vários materiais de construção foram largados e são mais um símbolo do desperdício de dinheiro público. (Foto: Fernando Antunes)No canteiro de obras, vários materiais de construção foram "largados" e são mais um símbolo do desperdício de dinheiro público. (Foto: Fernando Antunes)

A previsão é que todo esse trâmite de contratar uma empresa e realizar o levantamento dure três meses. “São dois convênios. Um já foi feito cerca de 80% e o outro está 30% executado”, completou Catiana.

Eterno Elefante Branco - Assim como era o esperado Terminal Rodoviário, que começou a ser construído há 23 anos, ainda no governo de Pedro Pedrossian naquele mesmo terreno, localizado na avenida Ernesto Geisel, no bairro Cabreúva, o Centro de Belas Artes parece ter sido esquecido e pode voltar a ser somente mais uma "carcaça" de um prédio.

Retomada pelo ex-prefeito Nelson Trad Filho (PTB), a obra deve continuar sendo depredada e consumindo ainda mais dinheiro público para tentar sair do papel e beneficiar a população. Atualmente, não há nenhuma empresa tocando as ações e a previsão é que continue assim pelo menos até o fim deste ano.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions