ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Ônibus da Blitz Covid identificou 24 casos positivos e projeto será prorrogado

Em 10 dias de trabalho, 2,5 mil pessoas receberam orientações e 150 foram testadas para covid na região de Campo Grande

Por Silvia Frias e Clayton Neves | 31/07/2020 10:03
Teste rápido será feito durante todo o dia de hoje, no centro de Campo Grande (Foto: Kisie Ainoã)
Teste rápido será feito durante todo o dia de hoje, no centro de Campo Grande (Foto: Kisie Ainoã)

Em dez dias do projeto itinerante do ônibus da Blitz da Covid-19, a Vigilância Sanitária atendeu 2,5 mil pessoas, testou 150 e, destas, 24 tiveram resultado positivo para doença. O trabalho seria encerrado hoje, com o serviço prestado próximo ao Camelódromo, mas será prorrogado por mais duas semanas passando, entre outros bairros, pelo Jardim Noroeste e Paulo Coelho Machado.

A auditoria fiscal sanitária Neiva Kaspary explica que o foco do projeto é prestar orientação à população, sobre cuidados sanitários para evitar a proliferação da covid-19. As equipes também enfatizam procedimentos que devem ser adotados caso haja alguma pessoa doente na família, residente na mesma casa.

Até agora, 2,5 mil pessoas recebera orientações, no projeto que passou pelos bairros São Conrado, Mata do Jacinto, Nova Lima, Jardim Parati, Jardim Aeroporto e Moreninhas, aldeia urbana Vila Romanda e distritos de Anhanduí e Rochedinho.

Neiva diz que muitas pessoas sentem grande alívio após testagem, mas alerta que os cuidados precisam ser mantidos. “Pode estar livre do coronavírus e passar por uma situação em seguida e se contaminar; as pessoas precisam incorporar medidas de proteção, é uma prática que vai durar muito tempo”, disse.

Ônibus parado próximo ao Camelódromo (Foto: Kisie Ainoã)
Ônibus parado próximo ao Camelódromo (Foto: Kisie Ainoã)

Uma das pessoas aliviadas hoje era a atendente de farmácia Natália Rosa, 21 anos. “Deu negativo, graças a Deus”, disse. Há duas semanas começou a sentir dores de cabeça e de gargante, além de febre e coriza. Agora, com o resultado, acredita que tenha sido uma gripe. Ela tinha passado no Camelódromo para uma compra, ficou sabendo do ônibus e foi até o local para se submeter ao exame.

Uma operadora de caixa, de 24 anos, que não quis se identificar, também teve resultado negativo para doença. Há 10 dias sente dores de cabeça e no corpo. Ficou com medo pela filha, menina de 2 anos e que tem bronquite. Ela e o marido ficaram sabendo que o ônibus estaria no centro e foram até lá, somente para a testagem. “Foi um alívio muito grande, bate um desespero na gente”.

O motorista Leandro Heidrich, 40 anos, também saiu de casa somente para tentar fazer o teste, mas não passou pela triagem. Ele está com dores no corpo há apenas 2 dias e o teste rápido é destinado para quem já apresenta sintomas há mais de 7 dias. “Já deu uma melhorada, mas, agora quero saber, fiquei com medo”, referindo-se ao contato com o filho de 8 anos, que tem bronquite.

Natália estava aliviada com resultado (Foto: Kisie Ainoã)
Natália estava aliviada com resultado (Foto: Kisie Ainoã)

Prorrogação – Neiva Kaspary disse que o trabalho seria encerrado nesta sexta-feira, mas a Vigilância Sanitária recebeu demanda de vários presidentes de bairros e a lista com as regiões que receberão o projeto será elaborada esta tarde.

Preliminarmente, Neiva diz que o Jardim Noroeste e bairro Paulo Coelho Machado integram esta lista.

Hoje, o ônibus ficará estacionado próximo ao Camelódromo até 11h e depois retorna à tarde, das 14h às 17h. Além da testagem, as equipes também distribuem máscaras à população, aferem temperatura e distribuem borrifadas de álcool em gel.

Antes do exame, triagem para verificar se podem passar pelo teste rápido (Foto: Kisie Ainoã)
Antes do exame, triagem para verificar se podem passar pelo teste rápido (Foto: Kisie Ainoã)