A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

25/12/2017 18:32

Órgãos captados em procedimento inédito ajudarão quatro pessoas

Autorização para cirurgia partiu da família de João Paulo Lemes de Lima, 36 anos

Guilherme Henri e Anahi Gurgel
Corpo clínico carregando caixas térmicas onde órgãos são transportados (Foto: Paulo Francis) Corpo clínico carregando caixas térmicas onde órgãos são transportados (Foto: Paulo Francis)

Os órgãos captados por procedimento inédito no Hospital Universitário nesta tarde de Natal ajudarão quatro pessoas que estão a espera de transplantes. Foram captados dois rins, que seguirão para Pernambuco e Rio Grande do Sul, além de duas córneas, que permanecerão no banco de olhos da Santa Casa da Capital.

A autorização para o procedimento partiu da família de João Paulo Lemes de Lima, 36 anos, que morreu com problemas respiratórios. Ele era casado, morava no Portal Caiobá e tinha dois filhos.

Conforme o médico Waldemar Abe, que captou os rins, todo o procedimento durou pelo menos 3h e envolveu nove profissionais. E conforme todo o corpo clínico, a palavra e o sentimento que mais definiu o procedimento foi: emoção.

Órgãos captados sendo levados para ambulância de transporte (Foto: Paulo Francis)Órgãos captados sendo levados para ambulância de transporte (Foto: Paulo Francis)

Após a retirada, os rins foram transportados por uma ambulância da Central Estadual de Transplantes até o Aeroporto Internacional de Campo Grande. Eles serão levados aos estados aos quais foram regulados por meio de vôos comerciais. Um deles está programado para às 21h.

“Orgulho em fazer parte deste momento histórico do hospital. Agradeço a todos os envolvidos e principalmente à família pela sensibilidade mesmo em um momento de dor. Serão pessoas que poderão viver melhor”, lembra.

Já a enfermeira Angelita Fernandez explica que todo o processo de captação inicia assim que um possível doador dá entrada na unidade de saúde. As ações vão desde a preparação para captação e transporte ao dialogo com à família, que no meio do luto, precisam encontrar forças para o desapego.

Este é o primeiro procedimento cirúrgico de captação de órgãos em 46 anos hospital. Nesses casos, os órgãos vão para as pessoas que estão em primeiro em uma fila nacional.

 

Equipe reunida após procedimento de captação dos órgãos (Foto: Divulgação/ HU)Equipe reunida após procedimento de captação dos órgãos (Foto: Divulgação/ HU)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions