A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

09/12/2011 18:00

PAC Lagoa põe fim a inundações, facilita acesso e já valoriza imóveis na região Oeste da Capital

Wendell Reis

Obra conta com mais de R$ 55 milhões em investimentos da Prefeitura, Estado e Governo Federal

Avenida vai ligar a Duque de Caxias ao macroanel na saída para Sidrolândia (Foto: João Garrigó)Avenida vai ligar a Duque de Caxias ao macroanel na saída para Sidrolândia (Foto: João Garrigó)

O Complexo Buriti-Lagoa será entregue à população nos próximos dias, provavelmente no dia 15 de dezembro, mas as mudanças já são sentidas pela vizinhança. Quem mora perto aguarda ansioso pela liberação da avenida, que vai ligar a Duque de Caxias ao Anel Viário, na saída para Sidrolândia, próximo ao bairro Coophavila II, no chamado “PAC Lagoa”.

Nataly Marques, 17 anos, mora na mesma residência, no bairro Coophavila II, desde que nasceu e espera ansiosa pela inauguração. “Já demorou bastante. Espero há 17 anos. Eles asfaltaram no ano passado, pararam um pouco e agora parece que estão terminando. Aqui era horrível. Só mato. Uma chácara”.

Nataly conta que leva uma hora de ônibus e 30 minutos de carro para chegar até o centro da cidade e analisa que com a inauguração da avenida o acesso ficará muito mais rápido. Ela tem razão. O Campo Grande News percorreu toda a avenida, do Anel Viário, próximo a sua casa, até a Duque de Caxias, perto da Afonso Pena, e levou cerca de 10 minutos para fazer o trajeto. Antes, só era possível pelas ruas Marechal Deodoro ou avenida Ernesto Geisel, enfrentando diversos semáforos.

A jovem lembra ainda que a avenida vai valorizar muito a sua casa. Também destaca, entre outras coisas, o benefício do asfalto, desde o começo do ano, a iluminação da rua, que traz sensação de segurança e aumento do fluxo de pessoas, graças à utilização da ciclovia e das caminhadas no local.

Obras de combate à erosão devem evitar inundações que ocorriam até o ano passado (Foto: João Garrigó)Obras de combate à erosão devem evitar inundações que ocorriam até o ano passado (Foto: João Garrigó)

A aposentada Adélia Iarrossi, 71 anos, mora no bairro Bonança há 25 anos e até o ano passado convivia com o problema das enchentes. “Tinha inundação todo ano. No ano passado só não entrou em casa porque a casa é alta. Mas, chegou até o meio-fio. Melhorou 100%. Era só mato. Perto do córrego tinha uma favela, que foi retirada para a construção da avenida”.

Neide Regina, 43 anos, concorda com a amiga. Antigamente, conta, passava pelo local e dizia que não compraria nunca uma casa na região, pois achava "muito feio". Entretanto, morando há seis meses na residência comprada por R$ 42 mil, ela nem pensa em vender. “De jeito nenhum. Quando era uma favela eu passava por aqui e não queria. Agora, um homem me ofereceu R$ 120 mil na casa. Em três meses ela vale três vezes mais”.

Neide é testemunha do olhar atento do governador André Puccinelli (PMDB) sobre a obra. “Todo fim de semana ele está aqui com o seu Uno vermelho. Ele vem sozinho. Desce aqui, olha tudo. Se não gosta de alguma coisa já fala na hora mesmo. Quinta-feira ele veio aqui para olhar como estava. Antes de terminar já está bonito. Imagina depois?”.

Marcilene já tem lucro com a valorização do imóvel onde reside há 11 anos (Foto: João Garrigó)Marcilene já tem lucro com a valorização do imóvel onde reside há 11 anos (Foto: João Garrigó)

A auxiliar de serviços gerais Marcilene Paes Vieira, 29 anos, mora no bairro Bom Jardim há 11 anos e diz que não há como comparar o antes e depois da região.“Era feio demais. Horrível. Agora está bem arrumado. Quando chovia virava um barro só. Inundava tudo. Valorizou bastante”.

A mudança já reflete na grana extra que Marcilene fatura com o aluguel da pequena sala em frente a sua residência. Ela aluga o local há três anos e, até o ano retrasado, o valor era de R$ 100. Após um ano sem locatário, agora recebe R$ 200. “Tudo por causa da valorização. Para mim já rendeu”.

Flaome da Silva, 29 anos, é o locatário do estabelecimento. Ele revela que já trabalha com manutenção de celular há um ano e há dois meses alugou a sala de Marcilene com a expectativa melhorar o faturamento. “O pessoal vem fazer caminhada e a loja fica mais conhecida. Acho que vai melhorar bastante quando liberar toda a rua”.

A paisagista Angélica Cristiane Teodora Barbosa, 22 anos, comprou um terreno no bairro Oliveira I há quatro anos e está bastante satisfeita com as transformações ocorridas. Há quatro anos pagou R$ 10 mil no terreno e hoje ele está valendo R$ 60 mil. “Jogavam lixo no local era bem feio. Agora a ponte que era de madeira aqui na rua João Ribeiro Guimarães está com asfalto e liga ao bairro Caiçara. Sempre falaram que ia chegar. Demorou, mas agora está chegando a avenida. Antes aqui não tinha ninguém e hoje tem muitas pessoas pelo bairro tarde da noite”.

Satisfeita, a moradora comenta que para ficar melhor, a Prefeitura e o Governo deveriam investir em lazer. Ela acredita que se for verdade os comentários sobre a construção de um mirante próximo à nascente do Buriti, o local será ainda mais valorizado.

Insatisfação- Mesmo com tantos elogios, a obra não é uma unanimidade. Para a secretária Mirian Rockl a única coisa boa até o momento é o asfalto. A moradora reclama que comprou sua casa nos fundos do bairro Taveirópolis para ter paz e, agora, a avenida pode por fim a esse sossego.

“Estava feliz. Em paz no meu cantinho. Agora é muito movimento. Algumas pessoas consumindo droga. Eles estão escondendo drogas embaixo dos tapetes de grama que a prefeitura está colocando”.

Questionada sobre a valorização, a moradora diz que não comprou para vender e sim por causa do sossego. “Se soubesse que construiriam a avenida não era aqui que eu ficava. Há um ano estou aguentando este barulho das máquinas. Colocaram o asfalto, mas está tudo sujo. Não para nada limpo. Não gosto do movimento. Não tinha tráfego e hoje tem”.

A dona de casa Norma Pereira, 39 anos, entende que a rua valorizou o bairro, mas preferia que ficasse do jeito que estava antes. Segundo ela, o pai tinha uma chácara em comodato, onde plantava para se alimentar. Com a construção da avenida, ele perdeu a chácara, e a casa de Norma, afirma ela, ficou muito exposta. “Não tenho condições de fazer um muro, uma calçada. Ficamos expostos. Para mim, sinceramente, não melhorou. Há sete anos minha irmã pagou R$ 6 mil e agora vale R$ 80 mil. Acho que vai ser melhor ela vender. Não tenho como continuar aqui. Mas, não sei para onde vou, porque não tenho onde morar e fiquei em uma situação difícil”.

Etapa final- O prefeito Nelson Trad Filho(PMDB) e o governador André Puccinelli(PMDB) anunciaram como prováveis datas da inauguração os dias 12 ou 15 de dezembro, com expectativa de que a presidenta Dilma Rousseff (PMDB) participe da solenidade.

Obra receberá árvores frutíferas para alimentar a população e os animais (Foto: João Garrigó)Obra receberá árvores frutíferas para alimentar a população e os animais (Foto: João Garrigó)

A obra também teve preocupação com o meio ambiente. Incluiu a reposição de vegetação, a plantação de palmeiras, tamareiras, pau-mulato e 400 árvores, incluindo ipês e oitis, plantadas de dez em dez metros para amenizar o espaço, que ficou árido com a retirada da cobertura vegetal.

Os frequentadores do local também poderão encontrar árvores frutíferas como acerola, araçá, pitanga, manga, ingá, jenipapo e amora. Elas serão plantadas principalmente nas encostas dos córregos, para servir tanto para as pessoas como para os pequenos animais e pássaros que vivem no local.

O supervisor da instalação de iluminação da obra, Jandir Lossazero, espera que o trabalho termine nesta sexta-feira. Ele informa que a avenida recebeu 557 luminárias desde a Duque de Caxias até o macroanel. Durante a visita do Campo Grande News à obra foi possível verificar que ela está em fase final, faltando apenas a instalação de pedras para contenção da erosão próximo ao córrego Buriti e término da pavimentação, no final da avenida, já chegando ao macroanel.

De acordo com o diretor de trânsito da Agetran, Janine de Lima Bruno, a sinalização da avenida já está incluída na obra e não há previsão de instalação de semáforo ou lombada, o que garantirá um acesso mais rápido do macroanel até o centro.

A expectativa da Agetran é de que a liberação da avenida facilite a vida de moradores que atravessam entre quatro e cinco bairros para chegar a sua casa. Além disso, o novo acesso pode liberar o tráfego na Albert Sabin e avenida Maria, a exemplo, que sofrem com o tráfego intenso.

Investimento-O Governo do Estado investiu R$ 19,2 milhões, sendo R$ 13,6 milhões do Governo Federal, por meio do PAC II (Programa de Aceleração do Crescimento, segunda etapa) e R$ 5,5 milhões de recursos próprios. Nesse pedaço da obra, são 4.520 metros de pista do lado esquerdo e 3.540 metros da margem direita, incluindo ciclovia e calçadas de 1,5 metros de largura do lado esquerdo e direito, em toda a extensão.

A Prefeitura, responsálvel pelo trecho da rua Antônio Bandeira até o macroanel, está investindo R$ 36 milhões, sendo R$ 32 milhões do Governo Federal, por meio do PAC II, e R$ 4 milhões de investimentos próprios.

Iluminação contou com 557 postes e já está na etapa final (Foto: João Garrigó)Iluminação contou com 557 postes e já está na etapa final (Foto: João Garrigó)


Esta é uma obra muito importante para desafogar as ruas da região, mas temos que prevenir acidentes futuros, na entrada da base aéra, que tem uma escola municipal dentro, tem que colocar uma lombada, como a que foi colocada em frente a entrada do hospital militar, pois na saida das crianças hoje, sem ainda estrar inaugurada a via, ja é dificil atravessar.
 
Victor Barros em 10/12/2011 12:35:44
Realmente tá ficando muito bonito, valorizou o local e vai desafogar o transito de algumas ruas alem de promover acesso mais rapido, eu por exemplo moro no Buriti e tenho que trabalhar aos finais de semana na Rua Yokoama, leva muito tempo dando tanta volta, tendo que passar em frente aos quarteis, com a nova avenida poderei sair um pouco mais tarde e nao me atrasar.
 
Rosiane Araujo em 10/12/2011 09:24:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions