A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/06/2016 19:26

Pacientes conseguem vagas em UTIs, mas falta viatura para o transporte

Nyelder Rodrigues
Idosa está internada há dois dias na UPA Vila Almeida e conseguiu hoje vaga em UTI, mas falta de viatura impede a transferência (Foto: Direto das Ruas)Idosa está internada há dois dias na UPA Vila Almeida e conseguiu hoje vaga em UTI, mas falta de viatura impede a transferência (Foto: Direto das Ruas)

Pelo menos duas idosas com suspeita de gripe H1N1, internadas em postos de saúde de Campo Grande, conseguiram nesta quinta-feira (23) vagas em UTIs (Unidade de Tratamento Intensivo) de hospitais particulares, alugados pela prefeitura, porém, elas ainda não foram transferidas ainda por falta de viaturas para o transporte.

Uma das pacientes nesta situação é a idosa Mariana Felícia de Souza, de 80 anos, e que está há dois dias internada em estado gravíssimo na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Vila Almeida - o Campo Grande News conversou com a neta da idosa durante à manhã, quando ela ainda não tinha conseguido a vaga.

"Dizem que só tem duas viaturas Alfa do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), e só elas podem fazer esse transporte de alta complexidade. O diagnóstico da minha avó foi de pneumonia grave, mas há suspeita de H1N1", explica a neta da paciente, Tatiane Cândia de Souza Silva, 27 anos. A idosa está mantida com ventilação manual.

Outra pessoa que passa pela mesma dificuldade é Ilame Chafic Araje, de 64 anos. Ela está há quatro dias internadas com os mesmos sintomas de Felícia, mas no CRS (Centro Regional de Saúde) do Tiradentes, e está entubada, também com ventilação manual, aguardando a transferência.

"Ela estava no asilo São João Bosco, estava bem, mas há quatro dias nos ligaram afirmando que ela precisou ser levada para a posto. Deu entrada com pneumonia e infecção urinária e não melhorou. Agora conseguiram essa vaga em UTI porque ela tem suspeita de H1N1, mas não tem viatura para levá-la", conta a sobrinha dela, Jamila Taha, 54.

A idosa Mariana Felícia de Souza conseguiu a vaga no Hospital El Kadri, enquanto que a UTI destinada para Ilame Chafic fica na Clínica Campo Grande. Segundo os acompanhantes das pacientes, ainda não há previsão de quando elas serão transferidas.

Cidade sem leitos - No início desta semana o Campo Grande News mostrou a situação do maior hospital da cidade, a Santa Casa, onde os 93 leitos da UTI estavam ocupados e a lotação na área vermelha era de 200%.

Com a chegada do inverno, casos graves associados a problemas respiratórios aumentam e por isso a preocupação com a falta de vagas é também maior, obrigando com que a prefeitura, como nos dois casos mostrados nesta matéria, alugue leitos na rede privada de saúde de Campo Grande.

Em contato com a assessoria da prefeitura em questionamento relativo a caso ocorrido na tarde de ontem (22), quando uma mulher de 60 anos em coma induzido e com pneumonia e infecção generalizada conseguiu vaga no Hospital Regional, Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) não negou que falta de vagas em UTIs virou um problema constante na Capital.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions