A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

28/09/2013 10:46

Para chamar atenção da sociedade, pessoas com deficiência protestam no centro

Francisco Júnior e Zana Zaidan
Cadeirantes durante manifestação no centro da cidade. (Foto: João Garrigó)Cadeirantes durante manifestação no centro da cidade. (Foto: João Garrigó)

Cerca de 50 pessoas entre deficientes e parentes participaram nessa manhã (28) de uma manifestação no centro de Campo Grande. Batizado de “Caminhada da Inclusão” o protesto visa chamar a atenção da sociedade para a inclusão de pessoas com deficiência.

O grupo se concentrou às 8 horas na praça Ary Coelho e de lá percorreram a Avenida Afonso Pena até a praça do Rádio Clube. “Nós precisamos que a sociedade se preocupe com essa causa”, afirmou Lúcia Furtado, assistente social e uma das organizadoras da caminhada.

Para a fonoaudióloga Eliana Menezes, que trabalha há 20 anos com deficientes auditivos e neurológicos, um dos principais problemas da socialização é que ainda existe preconceito e medo. “Algumas pessoal evitam ficar próximas de quem tem problemas neurológicos”, citou como exemplo. 

A dona de casa Grazianny de Rezende, de 32 anos, mãe de um menino de 7 ano que tem paralisia cerebral, reclama da falta de acessibilidade e falta de recursos para resolver essa questão em Campo Grande.

O filho dela estuda na escola municipal Oneida Ramos, no bairro Campina Verde, e só este ano conseguiu transporte especializado gratuito para transportá-lo até a unidade escolar. “Antes tinha que pegar o ônibus circular que sempre estava cheio. Algumas pessoas não respeitava o espaço para deficiente, isso quando o elevador não estava estragado”, reclamou.

De quatro em quatro meses precisa levar o filho para São Paulo onde recebe tratamento especializado na AACD (Associação dos Amigos da Criança com Deficiência). Segundo Grazianny, toda a viagem tem um custo de R$ 4 mil bancados pelo governo do Estado. Para ela, se no Estado houve mais investimento para atendimento das pessoas com algum tipo de deficiência, não precisaria fazer esse deslocamento. “Porque não investem aqui”, disse.

Toda a caminhada foi acompanhada por policiais da Btran (Batalhão de Trânsito).

Secretaria - Ontem foi debatido em audiência pública na Câmara Municipal proposta de criação da Secretaria Municipal do Idoso e Pessoa com Deficiência ou Mobilidade Reduzida, que será encaminhada para o executivo. 

Dona de casa reclama da falta de investimentos aqui no Estado. (Foto: João Garrigó)Dona de casa reclama da falta de investimentos aqui no Estado. (Foto: João Garrigó)
Caminhada terminou na praça do Rádio Clube. (Foto: João Garrigó)Caminhada terminou na praça do Rádio Clube. (Foto: João Garrigó)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions