ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Para receber R$ 89,4 milhões, idosa cai em golpe e perde R$ 507 mil

Idosa foi abordada por homem que pedia ajuda para encontrar família alemã que lhe daria R$ 298 milhões

Por Silvia Frias | 18/05/2022 07:48
Caso foi registrado como estelionato de idoso na Depac do Centro. (Foto: Henrique Kawaminami)
Caso foi registrado como estelionato de idoso na Depac do Centro. (Foto: Henrique Kawaminami)

Idosa de 83 anos foi vítima de três golpistas e perdeu R$ 507 mil, entre joias e dinheiro ontem, em Campo Grande. Um dos homens havia pedido ajuda para receber parte dos R$ 298 milhões a que teria direito como repasse de “uma família alemã”, que estaria na Capital.

O caso foi relatado na Depac/Centro (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário). A idosa foi abordada ontem de manhã, por volta das 10h, próximo do Cemitério Santo Antônio, onde foi pagar taxa de limpeza de jazigos da família.

Na frente do cemitério, foi abordada por homem com idade aparente de 59 anos, branco, olhos azuis, magro e alto, trajando casaco preto, calça jeans e que se identificou como Pedro.

Pedro disse que era analfabeto, mas tinha dinheiro e não sabia “mexer com banco”, mas tinha R$ 298 milhões a receber. Para provar, mostrou documentos dizendo que iria receber a quantia de família alemã que está em Campo Grande.

Durante esta conversa, outro homem se aproximou: branco, idade aparente de 40 anos, olhos castanhos, estatura média, usando jaqueta e calça jeans e sapatênis preto. Este identificou-se como Roberto e falou “esconde esse documento, é perigoso, muito dinheiro”.

Pedro ofereceu 30% dos R$ 298 milhões para que eles o ajudassem, ou seja, R$ 89,4 milhões. No relato à polícia, a idosa disse que, por pena deles, por conta do frio, os chamou até o carro dela para ajudá-los, mas ainda teria que ir a outro cemitério pagar taxa de limpeza.

Roberto disse que esta família que Pedro procura tinha o mesmo sobrenome de conhecido dele, com escritório próximo do local. “Vamos lá, o senhor resolve a situação.”

Foram até o endereço citado por Roberto e, próximo ao “escritório”, um homem de cerca de 45 anos, branco, olhos azuis e magro disse que estava com pressa para ir ao hospital e voltaria dali a duas horas para atendê-los.

Os homens ainda foram ao Cemitério Parque das Primaveras acompanhar a idosa e, depois, deram continuidade ao golpe.

Pedro perguntava para a idosa: “Como posso confiar em você?”. Ela respondeu que iria ao banco para mostrar que tinha dinheiro. Na agência do Banco do Brasil, no Centro da cidade, entrou sozinha e sacou R$ 5 mil com o gerente e, no caixa, mais R$ 2 mil. Enquanto isso, os homens a esperavam na Praça Ary Coelho.

Pedro pediu para ver o dinheiro e guardou em uma bolsa. Ainda se mostrando desconfiando, perguntou se ela não “tinha posses”. Ele sugeriu que a idosa fosse em casa para buscar as joias que tivesse.

Eles ficaram esperando a idosa na praça, que foi até em casa e voltou com mostruário de joias, segundo ela, avaliadas em R$ 500 mil.

Pedro também guardou as joias na bolsa que carregava. Roberto dirigia o carro da idosa e disse que pararia de novo no tal escritório para levantar documentos e ajudar Pedro.

Eles foram até rua sem saída, perto da Avenida Fernando Corrêa da Costa, pararam o veículo e disseram para que a idosa aguardasse por eles no local.

Ela não se recorda onde seria o escritório. Outro carro teria parado perto dela, impedindo sua passagem. Depois de um tempo, percebeu que havia caído em um golpe.

O caso foi registrado como estelionato de idoso e está em investigação.

Nos siga no Google Notícias