A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/04/2013 11:50

Para receber salário maior, médicos até recusaram recém-nascido em UTI

Aline dos Santos

Médicos suspenderam, de forma irregular, o atendimento na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal do HU (Hospital Universitário) de Campo Grande para forçar melhores salários e a contratação ilegal de empresa de pediatria.

A denúncia foi feita pelo MPF (Ministério Público Federal) e MPT (Ministério Público do Trabalho), que pedem a condenação dos médicos em mais de R$ 3 milhões. O pedido foi apresentado à 1ª Vara da Justiça Federal em março. Na semana passada, foi negada liminar.

A suspensão durou 16 dias, entre novembro e dezembro de 2012. Inicialmente, o setor foi interditado depois da chegada de um bebê com suspeita de catapora. Afastado o perigo de contaminação, os profissionais decidiram manter o local fechado para novos pacientes sob justificativa de falta de médicos plantonistas. A situação forçaria a contratação de terceirizada para realizar os plantões, por coincidência a mesma empresa integrada pelos plantonistas.

Para o Ministério Público, “mães e recém-nascidos tiveram, friamente, o atendimento de saúde de emergência e urgência negados para que os profissionais médicos obtivessem ganhos salariais. A vida de recém-nascidos foi, sem tentativa prévia de negociação, trocada por um possível vínculo de trabalho estável”.

A situação só foi revertida após alerta do Ministério Público e Secretaria Estadual de Saúde. Foi denunciado o diretor-geral do HU, José Carlos Dorsa Vieira Pontes, afastado do cargo no mês passado, após operação da PF (Polícia Federal). Também respondem pela paralisação os médicos Silvia Hiromi Nakashita, Janaine Cristina da Silva Grossi, Marcela Chacha Trad e Thiago Campo Faro.

Além da indenização, a ação civil pública quer a notificação de todos os médicos que compõem a escala de plantão da UTI neonatal. O objetivo é que os profissionais estejam formalmente cientes do regimento interno, que determina antecedência mínima de 30 dias para solicitação de afastamento da escala de plantão, sob pena de multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


O MP deverá averiguar as reais versões, afinal de contas sabe-se que no HU há um déficit imenso de profissionais da saúde, em que os poucos que ainda estão atuando tem que cumprir uma jornada triplicada, sem recursos, sobrecarregados para conseguir tentar manter o funcionamento do serviço, especial na Unidade Neonatal!
 
Isis Barbosa em 18/04/2013 13:11:05
Infelizmente essa denúncia esta equivocada, só quem trabalha na neonatologia do HU sabe do esforço e dedicação destes profissionais para manterem o setor aberto e funcionando em prol da sociedade do nosso estado. Esse tipo de calúnia só desestimula os profissionais envolvidos e competentes que atuam na área da saúde.
 
Patricia Trindade em 18/04/2013 11:07:12
Não vai acontecer nada, a punição máxima do crm é dar férias de 30 dias, se for comprovada isso, que caso aconteça será daqui a uns 02 anos.
 
RICARDO MENDONCA em 17/04/2013 17:02:40
Quem vai os postos sabe. Tem médico que nem olha na sua cara. Tem uns que tem o nariz tão impinado que dá nojo. Você conta nos dedos os que são simpáticos e humanos. Tem veterinário que trata os animais melhor que um médico que é gente igual seu paciente. Acho sim, que eles devem ganhar bem igual qualquer profissão. Se um engenheiro achar que ganha mal e resolver diminuir a estrura de um prédio, este prédio vai cair e vai matar muitas pessoas.
 
Antonio Reis em 17/04/2013 15:31:48
E o tal do CRM vai fazer o que?
 
José Leite em 17/04/2013 13:21:26
Quanto vale a vida de um recem nascido????? vale um aumento de salario para os médicos!!!!! Onde fica o juramento????/
 
lenita santos em 17/04/2013 13:02:42
profissão de médico hoje em dia é sinônimo de enriquecer facilmente, reclamam que trabalham horas, o que não é a realidade, ganham fortunas, cobram tudo e de todos, e dizem que visam a "saúde" do povo, é só precisar de um e sentira na pele.
 
rogerio arruda de souza em 17/04/2013 12:53:22
Que vergonha um médico que no dia de sua formatura faz um juramento tão lindo e emocionante, negar atendimento a recem nascidos por conta do vil metal, tem que cassar estes "médicos"...
 
Gina Nunes em 17/04/2013 12:37:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions