A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

19/01/2013 14:43

Paraquedista sofre acidente em aeroporto e fratura as duas pernas

Nícholas Vasconcelos e Paula Vitorino
Acidente foi aeroporto Aeroching, antigo Aerorrural, na saída para Três Lagoas. (Foto: João Garrigó)Acidente foi aeroporto Aeroching, antigo Aerorrural, na saída para Três Lagoas. (Foto: João Garrigó)

O paraquedista Marcelo Vaz da Silva, 29 anos, que se acidentou na tarde de hoje no aeroporto Aeroching, em Campo Grande, fraturou as duas pernas. Ele foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levado para a Santa Casa e não foi informado o estado de saúde dele.

Segundo o caseiro do aeroporto, André Leite, 35 anos, Marcelo estava com um grupo de 10 pessoas que saltava na tarde deste sábado. Eles estavam divididos em dois grupos que saltaram separadamente e o acidente ocorreu durante o segundo salto.

“O paraquedas abriu normal, mas na hora da curva para pousar ele caiu”, explicou o funcionário. Conforme André, a queda foi quando o homem já estava perto do chão.

Marcelo foi atendido no local pelo Corpo de Bombeiros e as primeiras informações repassadas pela corporação davam conta de que o estado dele era grave.

O caseiro trabalha no antigo Aerorural há seis anos e disse que esta é a primeira vez que há salto de paraquedas que, segundo ele, costumam ser realizados no aeroporto Teruel. A opção pelo aeroporto na saída para Três Lagoas foi porque ele estaria com menor movimento.

 

Paraquedista fica gravemente ferido depois de queda no Aeroching
Um paraquedista ainda não identificado ficou gravemente ferido neste sábado (19) depois de uma queda no aeroporto Aeroching, na saída para Três Lagoa...
Eventos de Natal, inauguração de igreja e obras interditam 9 ruas na Capital
A Agetran (Agência Municial de Transporte e Trânsito) informa que pelo menos 9 ruas terão o tráfego impedido neste domingo (17) em Campo Grande. O fe...


Ariane, respeito seu comentário.
Não venho defender ninguém. Sequer conversei com quem estivesse no local. Apenas soube do fato agora pela manhã no TVCA, mas vim te dizer o que geralmente ocorre para que casos assim aconteçam: CURVA BAIXA.
Não culpo ninguém, nem estou afirmando que foi isso o que ocorreu, mas geralmente é.
Os alunos, por mais que sejam alertados e informados, por um motivo ou outro acabam fazendo uma última curva a uma altura que não deveria. E te garanto que não é o instrutor quem manda ele fazer isso.
Também pode ter ocorrido uma condição climática desfavorável. Alguma rajada de vento. Isso também é comum acontecer.
Digo isso porque do pouco do que apareceu na filmagem vimos o paraquedas totalmente aberto e voando normalmente. A imagem do pouso, se houver, pode ajudar!
 
Fernando Manzi Santos em 21/01/2013 10:58:08
Uma investigação de qualidade da policia e dos órgãos responsáveis é necessária, pois ocorreram N irregularidades: não havia ambulância para socorro imediato no local (a vítima levou 40 min até receber os primeiros socorros), ninguém chamou a polícia para investigar (omissão dos paraquedistas e principalmente do instrutor), não houve perícia no paraquedas, mexeram no local dos fatos...
E o grande detalhe que não foi explicado pela mídia: o iniciante é marionete do instrutor (foi seu primeiro salto), faz o que o instrutor manda pelo rádio. Se houve acidente é pq alguma instrução foi equivocada que se juntou com a imperícia da vítima!

Justiça seja feita é o que implora a família e amigos do Marcelo, pois ele esta correndo o risco de ficar paraplégico!!!
 
Ariane Farias em 21/01/2013 09:10:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions