ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  22    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Pedreiro aproveita obra de reparo em casa e estupra deficiente mental

Viviane Oliveira | 09/05/2015 11:13

Um pedreiro de 71 anos foi preso na tarde de ontem (8), no Bairro Guanandi, acusado de abusar de uma jovem, 24 anos, com deficiência mental. O caso aconteceu em novembro do ano passado e foi registrado na Polícia Civil no dia 1º de dezembro. A prova do crime é um vídeo que foi feito por uma criança de 12 anos, sobrinho da vítima.

De acordo com a mãe da jovem, o idoso foi contratado para fazer obra de reparo em uma janela. No dia do crime, a moça estava sozinha em casa com o sobrinho de 12 anos. O menino assistia televisão na sala, quando o pedreiro pediu para que fosse brincar na rua. Desconfiado da situação, a criança foi, mas deixou o celular gravando na janela do cômodo. “Ele [o pedreiro] foi um dia antes do combinado, porque sabia que eu não estava em casa”, diz a mulher.

Depois de alguns dias, a mãe da jovem foi chamada pela diretora da escola do neto. Lá, ela ficou sabendo das imagens que o menino havia mostrado a professora. “Fiquei desesperada ao ver o vídeo e fui orientada pela direção a procurar a polícia no mesmo dia”, relata.

As imagens mostram o momento em que o idoso se esfrega na menina e levanta a roupa dela. Ele só para a ação com o retorno da criança a sala. Segundo a mãe, o ato sexual foi confirmado por exame.

A mulher conta ainda que conhece o pedreiro há mais de 5 anos. "Ele prestava serviço para a minha patroa. Até agora é inacreditável o que aconteceu. Não consigo mais ter paz, estou com depressão passando por tratamento médico ”, lamenta. A vítima, que tem idade mental de uma criança de 11 anos, fica nervosa ao ser questionada sobre o caso, segundo a mãe.

O idoso, que vai responder por estupro de vulnerável, foi levado para a Deam (Primeira Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher de Campo Grande) e em seguida seria encaminhado para o Instituto Penal de Campo Grande.

Nos siga no Google Notícias