ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Peixeiro que matou a esposa com 22 facadas fica em prisão preventiva

Homem afirmou que não se recorda sobre motivo da briga que o levou a desferir facadas

Por Dayene Paz | 16/05/2022 10:31
Elenice Martins e Delzimar em foto postada no Facebook. (Foto: Redes sociais)
Elenice Martins e Delzimar em foto postada no Facebook. (Foto: Redes sociais)

A Justiça decretou prisão preventiva de Delzimar Alves do Nascimento, de 49 anos, assassino confesso da esposa, a diarista Elenice Pinto Martins, de 48 anos. Ela foi morta com 22 facadas na noite de sexta-feira (13), na frente do enteado de 11 anos, na Vila Neusa, que fica na saída para Rochedinho, em Campo Grande.

Em seu depoimento à polícia, Delzimar - que trabalha como peixeiro - contou que não se lembra da motivação e nem de detalhes da briga que terminou na morte da esposa. Segundo ele, chegou da fazenda onde trabalha por volta das 14 horas e à noite, saiu com a vítima para bares.

Quando chegaram em casa, iniciaram uma discussão e entraram em vias de fato. Em seguida, Delzimar lembra de ter dado golpes na vítima com uma faca que guarda no quarto. Depois, não pensou em fugir e sim, em tirar a própria vida, por isso, passou a faca no pescoço.

Mesmo a família afirmando que Delzimar já chegou a ameaçar a esposa com um machado, ele alega que nunca a agrediu antes. A polícia, através da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), pediu a prisão preventiva do autor, que foi decretada pela Justiça.

Como ocorreu o crime, conforme a polícia - Conforme as informações da polícia, o caso ocorreu por volta das 22 horas de sexta-feira (13), na residência onde o casal morava, na Rua José Matte, Vila Neusa. Pouco antes do crime, Elenice e Delzimar estavam em um bar, onde teriam ingerido bebidas alcoólicas.

Depois, os dois seguiram para casa, onde houve discussão presenciada pelo filho de Delzimar, a criança de 11 anos. Vizinhos escutaram gritos de socorro, momento em que a criança foi até a casa da tia, em frente, pedindo ajuda. A criança afirmava que o pai tinha matado Elenice e tentou se matar em seguida.

O sobrinho da vítima, Paulo André Mendes, de 30 anos, foi o primeiro a entrar no imóvel ao ser chamado pela criança. "Quando entrei, vi ele [Delzimar] deitado na cama com pescoço cortado e uma faca ao lado. Eu tirei a faca dele, joguei fora e sai procurando a tia", lembra. No desespero, Paulo não viu o corpo de Elenice ao lado da cama. "Achei que ela tinha fugido, aí, falei pro meu irmão 'acho que a tia fugiu'. Quando meu irmão entrou, viu que o corpo estava do outro lado da cama. Quando entrei de novo, ele [Delzimar] se jogou em cima dela, como se tivesse tentando esconder."

A Polícia Militar foi acionada, assim como o Corpo de Bombeiros, mas não houve tempo de socorro e a mulher morreu no local. A delegada Barbara Camargo Alves, que atendeu a ocorrência, afirmou que a vítima foi golpeada 22 vezes. Já Delzimar tentou se matar se lesionando no pescoço com a faca. Ele recebeu atendimento médico na Santa Casa e depois foi levado para a delegacia, preso em flagrante.

Delzimar tinha ciúme possessivo - O casal estava junto há aproximadamente dois anos, segundo a família. Paulo André conta que a tia tinha todos os passos controlados por Delzimar. Até na casa do irmão, que ficava em frente à dela, a mulher não podia ir.

A Polícia Civil revelou que não há registro de ocorrência anterior de violência doméstica envolvendo o casal. No entanto, a cunhada da vítima, Andrelina Toledo, de 55 anos, revelou que os dois bebiam todos os dias e brigavam muito. Em determinado dia, ele tentou matar a vítima com um machado, mas acabou dormindo bêbado.

Nos siga no Google Notícias