A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

12/08/2018 15:19

Polêmico, piso tátil em ziguezague é retirado do Parque dos Poderes

Calçada tinha cerca de 700 metros, e foi quebrada, restando poucos metros.

Anahi Gurgel
Boa parte do piso tátil em ziguezague já foi retirado, e calçada estava reduzida na manhã deste domingo (12). (Foto: Marina Pacheco)Boa parte do piso tátil em ziguezague já foi retirado, e calçada estava reduzida na manhã deste domingo (12). (Foto: Marina Pacheco)
Até sexta-feira a calçada em ziguezague estava assim, desviando de árvores. (Foto: Mirian Machado)Até sexta-feira a calçada em ziguezague estava assim, desviando de árvores. (Foto: Mirian Machado)

A polêmica calçada construída em formato de ziguezague na Rua Delegado Osmar de Camargo, no Parque dos Poderes, já não existe mais. Na manhã deste domingo (12), boa parte do piso tátil que deveria orientar pessoas com deficiência visual mas virou até “meme” e provocou notificação à construtora, havia sido quebrada e retirada do trecho.

A calçada integra parte das obras de drenagem e pavimentação do Parque dos Poderes, pela etapa A, no complexo Mata do Jacinto. A Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) notificou a empresa responsável, solicitando alterações no projeto.

Desde quando começou a ser construída, a estrutura foi alvo de muitas críticas, principalmente de pessoas com deficiência visual, que reclamavam do contorno em ziguezague e seus consequentes riscos. De acordo com a construtora, o formato foi o escolhido para integrar o projeto para desviar das árvores já plantadas ao longo da calçada.

O trecho concretado possuía cerca de 700 metros, com o ziguezague em praticamente metade do piso. Agora, restaram aproximadamente 5 metros da “curiosa” estrutura, que virou motivo de chacota em Campo Grande. 

Nesta via, localizada entre a Avenida Desembargador Leão Neto do Carmos e a Rua Rio Claro, estão os prédios da Acadepol (Academia de Polícia Civil), da SGI (Superintendência de Gestão da Informação) e a Gerência de Medicamentos Básicos.

Abaixo, confira imagem da calçada antes de ser retirada.



É uma piada mesmo. E lá se vai mais dinheiro. De onde vocês acham que vai sair a grana que foi jogada fora nessa obra ridícula? Qualquer pessoa mais leiga no assunto vê que não precisaria fazer essa palhaçada toda, pois as árvores não estão na beirada da calçada e sim, um pouco afastadas. Daria muito bem pra fazer uma calçada normal. Mas aí, como superfaturar né? Esses pisos táteis não são baratos e muito dificilmente você consegue retirar sem quebrar depois que estão concretadas... Absurdo atrás de absurdo. Quando se pensa que já se viu de tudo aparece isso...
 
Mariana Carvalho em 12/08/2018 21:06:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions